Tesouro IPCA: quando vale a pena?

Planejamento e disciplina são fundamentais para quem quer investir em um longo período. Por isso, o Tesouro IPCA é boa opção para quem já está pensando na aposentadoria.

Tesouro IPCA

O Tesouro IPCA entra na categoria de boas opções em renda fixa para quem planeja um saque a longo prazo, ou seja, somente no final do investimento.

O investidor de perfil conservador, interessado na categoria precisa ter uma virtude essencial para gerar bons rendimentos: paciência. Isso porque quanto maior o tempo de investimento, maiores serão os seus ganhos.

Mas, afinal, o que é o Tesouro IPCA?

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) também é conhecido por outro famoso nome: inflação. Ele é usado para apurar a variação de preços de bens de consumo no nosso país.

O Tesouro IPCA é uma categoria de títulos de oferecidos pelo Tesouro Direto, entrando na categoria de investimentos em renda fixa e o seu rendimento está associado à variação da inflação. No final da aplicação, você terá a valorização do seu investimento através de juros compostos. Há duas categorias em que você pode investir no Tesouro IPCA. São elas:

  • Tesouro IPCA com juros semestrais

Como o próprio nome diz, nessa categoria você receberá rendimentos a cada seis meses após a aplicação. Nela, há menor rendimento dos juros compostos e maior impacto no pagamento de Imposto de Renda.

É uma opção interessante para pessoas que precisam desse rendimento em um intervalo mais curto de tempo, como idosos ou pessoas que querem uma renda extra.

  • Tesouro IPCA + NTNB Principal

Essa é a categoria em que o investidor recebe todos os rendimentos de uma só vez, apenas no final da aplicação, que pode ser de pequeno (5 anos), médio (10 anos) ou longo prazo (20 anos).

Seus rendimentos com juros compostos são melhores e a cobrança do Imposto de Renda só acontece no final do período total. Quanto maior tempo de aplicação, maior será o rendimento.

Tenha em mente que é muito importante que o investidor não retire o dinheiro antes do vencimento. É preciso planejamento e paciência para que os frutos dessa categoria tenham o melhor rendimento possível.

Para quem ele é voltado?

Investidores de perfil mais conservador, que não querem optar por investimentos de maior risco, costumam preferir categorias com mais garantia, como acontece com o IPCA.

Ele é considerado como sendo a aplicação mais segura do país, pois tem a proteção de pagamento garantida pelo Tesouro Nacional. Ou seja, o seu investimento está protegido de possíveis crises ao passar dos anos. Se a taxa de juros no momento estiver baixa, mesmo assim, você tem ganhos minimamente satisfatórios.

Mesmo que haja a variação de valor durante o período, você terá a valorização garantida, caso leve o título até o fim. Mas também há a possibilidade de venda do título por um preço maior do que a compra, caso haja a valorização. É importante que o investidor analise o caso e defina qual é a melhor estratégia.

O Tesouro IPCA também é acessível para a maioria das pessoas, pois tem baixo investimento. A compra mínima é de 0,01 título (1%), desde que seja respeitado o valor mínimo de R$ 30,00. O investidor é quem decide se compra 0,01 título, 0,02 título e assim em diante.

Mirar no IPCA é acertar em planos futuros

Muitas pessoas podem utilizar do investimento no Tesouro IPCA como uma ótima estratégia para planos a longo prazo, como ter um fundo para pagar a faculdade dos filhos, comprar um imóvel ou ter uma aposentadoria mais confortável. Isso acontece porque quanto maior for o prazo do seu título, maior também será o seu rendimento final.

Mas essa é uma decisão que você terá que tomar depois de ter certeza que consegue manter o investimento até o vencimento. Caso não seja o seu caso, talvez seja bom considerar outras possibilidades para investir em uma categoria diferente, como o Tesouro Selic, por exemplo.

Como fazer para investir

A popularidade dos investimentos no Tesouro Direto garante formas cada vez mais acessíveis e fáceis de se você se tornar um investidor. Hoje em dia, é possível comprar títulos online, de forma muito simples. O que você precisa saber para começar seu investimento:

  • Faça simulações

É possível simular quanto você vai ganhar em rendimentos em várias categorias em renda fixa. Essa etapa é útil para você se planejar e até mesmo conhecer as vantagens de cada tipo de título. Você pode realizar simulações diretamente na calculadora disponível no site da Secretaria da Fazenda.

  • Escolha uma instituição financeira

Essa etapa é muito importante pois você vai decidir em qual corretora ou banco vai fazer seu cadastro. É ela que vai disponibilizar o valor que você quer aplicar e também é a que vai receber quando você resgatar os seus ganhos.

Veja quais instituições estão habilitadas no site do Tesouro Direto. Lá, você pode filtrar se só quer ver as instituições que não cobram taxas, por exemplo. Também fica disponível um ranking mensal das que mais negociaram títulos no mês que passou.

  • Considere as taxas

Mesmo que a sua instituição financeira não cobre taxas de serviço, o investidor em Tesouro Direto está sujeito a outras cobranças, como a Taxa de Custódia de 0,25% ao ano sobre o valor dos títulos. Considere também a incidência do Imposto de Renda sabendo que quanto mais tempo de aplicação, menor é a alíquota cobrada. Esse aspecto é fundamental para escolher entre o IPCA com juros semestrais e o IPCA+ (NTNB Principal).

  • Faça seu cadastro

Depois de de escolher a sua instituição financeira, você deverá fazer o seu cadastro informando nome completo, endereço e profissão. Também é necessário enviar cópias do seu RG, CPF e comprovante de residência. Depois disso, seu banco ou corretora vai fazer seu cadastro na BM&FBovespa.

  • Compre seus títulos

Agora, já é possível comprar online títulos do Tesouro IPCA diretamente do site do Tesouro Direto. Algumas corretoras também disponibilizam a opção de fazer a compra diretamente com elas.

  • Confirme a sua compra

Para confirmar a sua aquisição, acesse com os seus dados o Portal do Investidor do Tesouro Direto.

Gostou do artigo? Então assine a newsletter da Capital Research e receba, diariamente, atualizações sobre investimentos.

Recomendados

Investimentos

Aprenda o que é e como calcular os juros simples

Entender o que é juros simples é o primeiro passo para tomar as melhores decisões ...

2 anos atrás

Investimentos

Cálculo da TIR: como usar a Taxa Interna de Retorno

O cálculo da TIR é mais uma ferramenta que você pode utilizar para escolher os ...

3 anos atrás

Investimentos

Capital subscrito: entenda o que é e como analisar

Já ouviu falar em capital subscrito, mas não tem certeza de como ele funciona na ...

2 anos atrás