Taxa mínima de atratividade: o que é e como calcular nos investimentos

Descubra o que é taxa mínima de atratividade (TMA) e por que calcular esse percentual antes de investir. Clique e saiba mais.

A taxa mínima de atratividade é um indicador essencial para decidir se vale a pena ou não fazer uma aplicação financeira.

Ela consiste no percentual mínimo que o investidor está disposto a receber a partir de um ativo específico. Por isso, analisar a taxa mínima de atratividade é um passo obrigatório para montar a carteira de investimentos.

Não sabe como fazer o cálculo e em quais fatores ele se baseia?

Então, continue com a leitura e aprenda.

O que é a taxa mínima de atratividade, a TMA

Taxa mínima de atratividade (TMA) é o percentual mínimo que um investidor está disposto a ganhar a partir de uma aplicação financeira.

Portanto, é um indicador fundamental na hora de investir, que tem como finalidade avaliar se um investimento vale a pena ou não.

Também é um percentual que pode indicar o valor mínimo que o tomador de um financiamento ou empréstimo está disposto a receber.

Mas tem um detalhe: a taxa mínima de atratividade está relacionada a fatores que vão além do investimento em si.

Ela está ligada a dois conceitos centrais: custo de capital e custo de oportunidade.

O custo de capital equivale ao custo de uma empresa para captar recursos financeiros que irão circular no ambiente interno.

Nesse conceito, estão incluídos tanto o capital próprio da empresa, como a parte dos acionistas ou recursos dos gestores, quanto capital de terceiros, referente a empréstimos e financiamentos, por exemplo.

Já o custo de oportunidade é o custo de uma oportunidade renunciada.

Em outras palavras, é quanto custa para a empresa deixar de lado outro investimento específico em nome da aplicação atual, considerando que ele poderia reverter em benefícios financeiros.

Por que usar a taxa mínima de atratividade

Afinal, por que a taxa mínima de atratividade não pode ficar de fora da avaliação de um investidor?

É simples: esse dado serve com um guia para a tomada de decisão, como uma das principais taxas que indica se vale a pena fazer um determinado investimento.

A partir dela, também é possível compor uma carteira de investimentos inteligente, selecionando as melhores oportunidades, capazes de gerar maior rentabilidade.

Além disso, a taxa permite que o investidor se concentre nos riscos de cada aplicação, verificando se o potencial de retorno é suficiente para compensar o grau de incerteza.

E ainda há outra vantagem de calcular a taxa mínima de atratividade: tomar decisões de maneira analítica. Isso vale até mesmo para gestores de empresas que pretendem implementar projetos no empreendimento.

Nesse caso, não basta acreditar na ideia: é preciso verificar, em números, se é um bom investimento para o negócio  — ou seja, se vai render os lucros mínimos desejados.

Com essas questões em mente, podemos dizer que a taxa mínima de atratividade é uma ferramenta crucial na hora de fazer aplicações financeiras.

Como calcular a taxa mínima de atratividade

Agora que você conhece a importância da taxa mínima de atratividade, é hora de saber como encontrá-la. A verdade é que não existe uma fórmula para calcular a TMA.

Geralmente, investidores consideram a taxa básica de juros da economia, que é a Taxa Selic, como a própria TMA.

Existe uma razão para isso: como os títulos Tesouro Direto Selic são seguros e oferecem boa rentabilidade, não compensa fazer investimentos com rentabilidade mais baixa em relação à própria Selic.

Mas a estimativa da taxa mínima de atratividade também pode ser feita a partir de outros indicadores, como a Taxa Básica Financeira (TBF) e a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), por exemplo.

Apesar disso, se você quiser fazer uma análise mais aprofundada, o ideal é considerar três fatores-chave:

  • Custo de oportunidade
  • Risco do negócio
  • Liquidez.

O custo de oportunidade, como vimos antes, é o sacrifício financeiro realizado ao deixar de lado um investimento.

O risco do negócio, por sua vez, é a relação entre os riscos envolvidos em um investimento ou projeto e os ganhos financeiros que ele pode gerar.

Quanto maior o risco, maior o retorno esperado a partir do investimento  — e mais alta será a taxa mínima de atratividade.

Por fim, a liquidez é a capacidade de converter um investimento em dinheiro.

Uma alta liquidez significa que um ativo pode ser convertido em caixa com rapidez  — o que é mais vantajoso para quem investe.

Como você pode ver, o cálculo da taxa mínima de atratividade baseia-se em diferentes fatores, tanto relativos ao investimento em si quanto às condições apresentadas pela economia.

Então, antes de fazer um investimento, é crucial olhar para esses elementos.

Se você ainda não tem experiência nesse universo, uma boa opção é recorrer a empresas especializadas no assunto.

Na Capital Research, você tem acesso a uma carteira de investimentos diversificada, encontra as melhores oportunidades e recebe orientação de especialistas para investir seu dinheiro da melhor forma.

Que tal testar agora mesmo?

É só escolher um dos planos disponíveis e ficar por dentro do mercado financeiro.

Recomendados

Investimentos

Análise de custos: o que é, para que serve e como fazer

Entenda a importância, quais os métodos mais utilizados e de que forma a análise ...

3 anos atrás

Investimentos

Capitalização simples: entenda o conceito e impactos nos investimentos

Saiba mais sobre a capitalização simples, como calcular e qual sua utilidade para o ...

3 anos atrás

Investimentos

Entenda porque a Matemática Financeira pode ser útil para você

Saiba um pouco mais sobre Juros, Amortização, entre outros, em nosso conteúdo ...

3 anos atrás