Poupança para filho: opções melhores que a caderneta para juntar dinheiro

Deseja fazer uma poupança para filho? Há opções bem melhores que a caderneta. Saiba quais são elas e como investir.

Fazer uma poupança para o filho é um dos melhores investimentos que os pais podem realizar por ele. Com quantias reservadas todos os meses, a família consegue assegurar um bom valor futuro para a criança.

Mas, atenção: é necessário fazer escolhas acertadas para que o dinheiro poupado tenha taxas de rentabilidade atrativas. Significa dizer que a famosa caderneta passa longe de ser a melhor opção, como vamos ver ao longo deste artigo.

Descubra, então, como planejar e executar a poupança para os filhos e de que maneira pensar estrategicamente no futuro financeiro das novas gerações.

O que é uma poupança para filho?

Os gastos com os filhos podem durar longos anos e custar uma boa quantia à família. Os valores desembolsados começam desde a descoberta da gravidez até à plena formação profissional.

O total investido varia de acordo com a classe econômica e outras pontuações. Mas, segundo estudos recentes, os valores podem ficar entre R$ 500 mil e R$ 2 milhões para manter e sustentar as crianças até que elas alcancem os 18 anos.

Essas quantias ainda nem contemplam o investimento com ensino superior e outros estudos – o que pode somar mais meio milhão ao total.

Assim, para evitar maiores surpresas no futuro e assegurar um bom “começo de vida” para os filhos, poupar é uma estratégia inteligente e efetiva. A ideia é formar um saldo que será resgatado, no futuro, pelos descendentes.

Dessa forma, a poupança para o filho é um investimento realizado pelos pais durante a infância e adolescência da nova geração. Quanto mais cedo a família começar a separar mensalmente uma quantia e investir, menores serão os aportes e maiores as possibilidades de ganhos.

Caderneta de poupança para o filho é boa opção?

Antes de tudo, é importante entender que os conceitos de poupança e caderneta de poupança são diferentes. Enquanto a poupança é o resultado do ato de poupar, a caderneta é um tipo de conta bancária que corrige as aplicações a uma taxa determinada.

Assim, poupar para os filhos é sempre uma boa escolha. Afinal, os pais estão fazendo uma reserva financeira periódica para os descendentes. O ideal, nesse caso, é aplicar o valor em algum tipo de investimento, a fim de evitar perdas e fazer com que o dinheiro renda mais.

No entanto, a caderneta de poupança não é uma opção interessante para os filhos. Atualmente, a conta tem corrigido seus depósitos com taxas anuais por volta de 2%. Na prática, os juros da caderneta vêm ficando abaixo do valor da inflação e, dessa forma, deixar o dinheiro aplicado nessa conta é prejuízo.

Mas não se preocupe! Existem vários outros investimentos simples e seguros para você fazer a poupança dos seus filhos. Conheça as principais aplicações para poupar no longo prazo, a seguir.

5 aplicações que funcionam como poupança para filho

Poupar para o futuro financeiro das novas gerações passa por investimentos que garantam segurança e boa rentabilidade durante os anos. Confira, assim, 5 tipos de investimentos que funcionam bem para a poupança dos filhos.

 

1. Tesouro Direto

Os títulos públicos são uma forma de renda fixa com boa segurança; afinal, os papéis são emitidos pelo governo federal e os juros, pagos pelo próprio Tesouro Nacional.

As aplicações podem ter taxas pré ou pós-fixadas e indexadas a índices como a Selic e IPCA. O investimento inicial e os aportes mensais podem ser baixos e os títulos do Tesouro Direto prometem boa rentabilidade ao longo dos anos.

 

2. LCI / LCA

As Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio são papéis de crédito que financiam estes setores da economia. Além de serem assegurados pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), as letras são isentas do pagamento do Imposto de Renda (IR).

Portanto, os investimentos em LCI e LCA ficam cobertos em até R$250 mil e não precisam de recolhimento do IR.

 

3. CDB

Os Certificados de Depósito Bancário (CDB) remuneram os investidores com taxas indexadas ao CDI – Certificado de Depósito Interbancário, preferencialmente. Os títulos emitidos por bancos privados são cobertos pelo FGC e costumam pagar juros com valores entre 80% e 120% do CDI.

 

4. Debêntures

As debêntures têm um funcionamento semelhante ao dos títulos públicos e privados. Neste caso, os papéis são emitidos por empresas privadas, a fim de obterem recursos financeiros para financiar suas atividades.

As debêntures remuneram o investimento com taxas pré ou pós-fixadas e também podem ser uma boa alternativa para a poupança dos filhos.

 

5. Previdência Privada

Por fim, os planos de previdência privada são aplicações regulares para o resgate no futuro. Os mais comuns são o VGBL e PGBL que se diferenciam entre si, basicamente, pela maneira como o Imposto de Renda incide sobre eles.

A aposentadoria complementar é ideal para investimentos de longo prazo e, assim, ela se adapta bem à formação de poupança para o filho.

Quer conhecer novos formatos de aplicações financeiras? Então, acompanhe os conteúdos exclusivos da Capital Research e saiba como investir com melhores resultados.

Recomendados

Investimentos

Como se proteger financeiramente em crise?

Os famosos períodos de “vacas magras” são mais comuns que imaginamos, sendo ...

2 anos atrás

Investimentos

Gastos mensais: guia para cortar despesas, poupar e investir

...

2 anos atrás

Investimentos

Melhores aplicações financeiras para quem quer sair da poupança

...

3 anos atrás