O que é previdência privada, planos e como contratar

Se você procura um investimento de longo prazo e planeja a aposentadoria, precisa saber o que é previdência privada. Confira nosso guia.

Entender o que é previdência privada e de que forma ela funciona é importante para todo mundo. Afinal, com as recentes instabilidades da Previdência Social, se aposentar apenas com o benefício pago pelo INSS é cada vez mais arriscado.

Então, se você quer ter uma aposentadoria mais tranquila, com conforto financeiro para sua família, precisa saber de que modo os planos podem trazer mais segurança ao seu orçamento futuro.

Veja, neste texto, o que é a previdência privada e como ela deve fazer parte do planejamento das suas finanças.

O que é previdência privada?

Previdência privada é uma forma de poupar e investir com orçamento atual para ter uma renda complementar ao se aposentar. Isto é, você faz contribuições hoje para usufruir do valor no futuro.

Os planos privados de aposentadoria têm a função de complementar o benefício pago pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Atualmente, a Previdência Social tem recolhimento obrigatório para alguns tipos de contribuintes – como trabalhadores com carteira assinada. No entanto, o sistema previdenciário público enfrenta uma crise nas contas e o pagamento futuro é cada vez mais incerto.

Portanto, contratar um plano de previdência privada é a maneira mais segura de garantir uma renda confortável durante a fase de aposentadoria.

Como a previdência privada funciona

A previdência privada é dividida em planos abertos e fechados, com diversas opções tanto de aporte quanto de resgate. Ela pode ser entendida sob dois aspectos: poupança e investimento.

Como poupança, sua principal função é acumular dinheiro para que ele seja utilizado posteriormente. Os planos previdenciários funcionam muito bem, inclusive, para quem tem dificuldades de poupar. Afinal, eles “forçam” uma contribuição recorrente do contratante.

Por outro lado, a aposentadoria complementar também é um tipo de investimento. A operadora do plano administra os recursos financeiros do contratante em outros ativos. Dessa forma, o valor aplicado é reinvestido em títulos de renda fixa e/ou variável. A operação rende juros, que serão repassados ao titular do plano.

Então, uma pessoa contrata um plano de previdência privada e faz aportes mensais durante vários anos. Após o período de acumulação, ela receberá o valor investido somado aos rendimentos. O contratante pode resgatar o saldo de uma única vez ou, ainda, receber o valor como renda mensal ou vitalícia.

Quais são os planos de previdência privada

Como vimos, os planos privados de aposentadoria se dividem em abertos e fechados. A seguir, você vai conferir como funciona cada uma das modalidades.

 

Planos abertos de previdência privada

A previdência complementar aberta é oferecida sem qualquer tipo de restrição de público. Ou seja, toda pessoa pode se tornar titular de um plano aberto de aposentadoria.

Além de taxas cobradas pelas operadoras – como carregamento e administração –, é importante observar a incidência do Imposto de Renda (IR) sobre os planos. Aliás, a tributação é um dos principais pontos que diferenciam os planos abertos mais conhecidos – o PGBL e o VGBL.

O Plano Gerador de Benefício Livre é integralmente tributado. Ou seja, o IR é calculado sobre os aportes e os rendimentos. Nesse caso, o PGBL é indicado para contribuintes que fazem a declaração anual do IR no modo completo.

O Vida Gerador de Benefício Livre, por outro lado, é tributado apenas sobre os juros acumulados. Assim, quem pode fazer a declaração simplificada tem mais benefícios fiscais com o VGBL.

 

Planos fechados de previdência privada

A aposentadoria fechada é aquela que só é disponível para funcionários de uma empresa ou membros de entidades de classe. Os planos fechados podem ser instituídos – que seguem o padrão da previdência privada, de um modo geral –, ou patrocinados. 

Os planos patrocinados são pagos de forma compartilhada pelos contratantes e as instituições. Dessa forma, o titular contribui com apenas uma parte do valor total que receberá como aposentadoria e, a outra, é paga pela patrocinadora.

Mas, como dissemos, os planos fechados ficam restritos a alguns grupos. Então, nem sempre será possível usufruir dos seus benefícios. 

Qual a melhor previdência privada para você?

Com tantas opções, como escolher a melhor previdência privada? Confira algumas dicas para encontrar o plano ideal para você:

  • Entenda seu perfil de investimento, com a tolerância ao risco e ambição de ganhos
  • Tenha objetivos claros com a aplicação e estipule metas de prazo e rentabilidade
  • Pesquise pelas opções disponíveis para seu perfil
  • Analise e compare custos e condições dos planos
  • Mantenha o foco e disciplina do investimento depois de contatar.

Como vimos, investir em planos complementares previdenciários é importante para ter um futuro financeiro mais confortável. Então, entenda suas possibilidades de investimento, as alternativas do mercado e comece – o quanto antes – a pensar na sua aposentadoria.

Por aqui, você encontra mais detalhes sobre os planos de previdência privada e como pode investir com confiança. Então, continue sua leitura pelos conteúdos da Capital Research.

Recomendados

Investimentos

O que é PGBL e como investir em previdência privada

...

2 anos atrás

Investimentos

INSS ou Previdência Privada: qual opção vale mais a pena?

Confira tudo o que você precisa saber sobre INSS e previdência privada e como ...

2 anos atrás

Investimentos

Previdência privada é renda fixa ou variável, afinal?

...

2 anos atrás