O que é PGBL e como investir em previdência privada

Ao entender o que é PGBL, você fica por dentro de um investimento na sua aposentadoria. Conheça as regras e veja como aplicar.

Se você quer investir em previdência privada, precisa saber o que é PGBL e como funciona o plano.

Um dos formatos mais conhecidos de aposentadoria complementar, o Plano Gerador de Benefício Livre apresenta algumas vantagens tributárias. Por isso, quem quer diminuir os custos com o Imposto de Renda, por exemplo, deve ficar atento ao funcionamento da aplicação.

Descubra, ao longo do texto, o que é PGBL e como você pode se beneficiar com a previdência privada.

O que é PGBL?

PGBL, ou Plano Gerador de Benefício Livre, é um tipo de previdência privada. Ou seja, ele é um dos planos abertos disponíveis a qualquer pessoa que queira poupar para o futuro.

Então, o contratante faz depósitos mensais em PGBL durante o chamado período de acumulação. Geralmente, o plano é de longo prazo e a poupança é feita por vários anos. Nada impede, no entanto, que a previdência privada seja feita no médio prazo. É o que acontece, por exemplo, com planos de aposentadoria complementar para idosos.

Ao fim da acumulação, o saldo poderá ser utilizado pelo contratante como renda mensal ou vitalícia ou, ainda, ser resgatado de uma única vez.

Mas o PGBL não é apenas um tipo de poupança. Todo o valor aplicado é realocado pela gestora em outros ativos financeiros. A instituição financeira responsável pela previdência privada capta o dinheiro do contratante e, então, o reinveste em títulos de renda fixa ou renda variável.

O valor acumulado como plano de aposentadoria deve render juros ao contratante. Dessa forma, o PGBL também é um formato de investimento.

Além do Plano Gerador de Benefício Livre, o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) é outra aplicação muito conhecida para ser utilizada como poupança e investimento para o futuro.

Como o PGBL funciona

Basicamente, o PGBL funciona como qualquer outra maneira de investir: o contratante deve escolher uma gestora, fazer aportes mensais e cobrir os custos da operação.

É importante observar que a instituição financeira ficará responsável pelo seu dinheiro durante longo período. Assim, faça uma boa pesquisa sobre a empresa, condições e práticas de mercado.

Além disso, a disciplina e organização do pagamento mensal é fundamental para que o saldo seja devidamente totalizado. Quanto mais você conseguir poupar e investir hoje, em PGBL, maiores serão os ganhos e a renda futura.

Por fim, é importante conferir atentamente todos os custos envolvidos no investimento. A operadora pode cobrar taxas sobre a operação, como taxa de administração e carregamento. Por isso, analise todas as cobranças realizadas pela gestora.

O Imposto de Renda (IR) é outro custo que pode impactar significativamente a rentabilidade do PGBL. Nesse formato de previdência privada, o IR incide sobre os aportes realizados e sobre os rendimentos gerados ao longo do tempo de acumulação.

Por isso, o PGBL é recomendado, especialmente, para os contribuintes que são obrigados a fazer a Declaração Anual de Ajuste do Imposto de Renda (DIRPF) no modelo completo. Dessa forma, os depósitos realizados no plano poderão ser deduzidos da renda tributável, no limite de 12%.

Por exemplo: uma pessoa teve R$ 100 mil de recebimentos passíveis de tributação durante o ano. No mesmo período, aplicou R$ 20 mil a título de PGBL. Nesse caso, o contribuinte poderá abater R$ 12 mil da sua renda tributável. De forma simplificada, o IR seria calculado sobre R$ 88 mil – em vez dos R$ 100 mil.

Assim, o PGBL pode trazer vantagens fiscais para as pessoas obrigadas a entregar a DIRPF completa. Mas há outras, como vamos citar na sequência.

Vantagens do PGBL

Depois de entender o que é PGBL e como funciona, veja quais são as principais razões para contratar:

  • Benefício tributário: o investimento pode ser descontado do pagamento do Imposto de Renda em até 12% da renda tributável
  • Não vai a inventário: se o titular do plano falecer antes de usufruir todo o saldo do investimento e o PGBL puder ser repassado para os herdeiros, o valor não entra em processo inventariante
  • Investimento para a aposentadoria: é um valor com baixo risco para poupar hoje e investir no futuro, sem depender do benefício da previdência social do INSS
  • Variedade de formatos: existem diferentes maneiras tanto para poupar, quanto para resgatar o PGBL.

Desvantagens do PGBL

Agora, vamos aos pontos de atenção quanto ao investimento em um plano PGBL:

  • Custos: planos de previdência privada podem ter várias taxas. Por isso, fique atento quanto aos gastos do investimento
  • Período de carência: alguns formatos de PGBL podem ter período de carência. Assim, verifique com sua operadora o prazo mínimo de aplicação
  • Baixa rentabilidade: apesar de ser considerado um investimento, a taxa de juros não é tão alta, se comparada a outros tipos de aplicações financeiras.

Como contratar um plano PGBL

Fazer a contratação de previdência privada aberta é simples. Basta pesquisar pelas gestoras de planos, comparar taxas e condições gerais para investimento.

É importante, antes mesmo de consultar as instituições, entender seus objetivos com a aposentadoria complementar e seu próprio perfil de investidor para, então, escolher um formato adequado a você.

Para mais dicas sobre PGBL e outros tipos de previdência privada, continue acompanhando os conteúdos da Capital Research.

Recomendados

Investimentos

Previdência privada aberta: conheça as regras para investir

...

2 anos atrás

Investimentos

PGBL no Imposto de Renda: regras para pagar e declarar

...

2 anos atrás

Investimentos

Diferença entre PGBL e VGBL e como escolher a sua

...

2 anos atrás