Melhor previdência privada: um guia para a sua escolha

Quem planeja um futuro tranquilo na aposentadoria pode investir na melhor previdência privada. Nosso guia ajuda a encontrar.

Encontrar a melhor previdência privada pode não ser tarefa das mais simples. Afinal, você precisa pesquisar por operadoras e planos que se adaptem aos seus objetivos de longo prazo e capacidade de pagamento atual.

Existem, ainda, fatores como custos e impostos que devem ser levados em consideração. E, agora, como escolher a aposentadoria complementar?

Pensando em tudo isso, elaboramos um guia prático para que você compreenda o que é a previdência privada e como encontrar o plano ideal, que esteja mais alinhado às suas expectativas e condições financeiras. Vamos conferir?



Existe uma melhor previdência privada para você?

Com certeza, há uma opção em previdência privada (ou várias delas) que se encaixe nos seus planos de aposentadoria. Afinal, existem diversos formatos do investimento que combinam maneiras de acumulação e resgate diferentes. Mais à frente, vamos entender como funcionam os planos previdenciários.

O importante nessa busca pela aplicação é entender quais são seus objetivos com o investimento, seu perfil de investidor e como espera utilizar o saldo acumulado – quando chegar o período de uso dos recursos.

Com essas informações, você terá como pesquisar entre os planos com mais clareza. Assim, a melhor previdência privada é aquela que atende às suas expectativas e o quanto consegue pagar por ela.

Para entender melhor sobre a aposentadoria complementar, conheça a seguir os tipos de planos e confira qual deles está mais alinhado às suas metas de longo prazo.

Quais os planos de previdência privada

Como falamos, existem vários formatos de previdência privada. Primeiramente, podemos dividi-la em:

  • Previdência privada fechada
  • Previdência privada aberta.

Os planos fechados, também conhecidos como fundos de pensão, são oferecidos exclusivamente para determinados grupos. No geral, empresas e entidades de classe operam a previdência privada para seus funcionários e associados de forma exclusiva.

Já a previdência privada aberta é ofertada ao público de maneira geral. Ou seja, qualquer pessoa pode contratar um dos planos previdenciários abertos. Eles se dividem em variados formatos, como PRGP, PAGP, PRSA e PRI. Mas, os mais conhecidos são o PGBL e VGBL.

O Plano Gerador de Benefício Livre se diferencia, especialmente, em questão da cobrança do Imposto de Renda (IR). No PGBL, a tributação incide sobre o valor aplicado e sobre os rendimentos gerados.

O Vida Gerador de Benefício Livre enquadra-se como seguro de vida. Na prática, também é conhecido como plano de previdência privada. O VGBL tem incidência do IR apenas sobre os ganhos acumulados com a aplicação.

Para quem o PGBL é a melhor previdência privada?

Considerando a maneira como o tributo trabalha sobre o plano, o PGBL é indicado para quem faz a Declaração Anual de Ajuste do Imposto de Renda (DIRPF) no modo completo. Dessa forma, o contribuinte poderá incluir a previdência privada nas despesas dedutíveis, descontando o investimento em até 12% da renda tributável.

Para quem o VGBL é a melhor previdência privada?

Por outro lado, o VBGL é recomendado para os contribuintes que podem fazer a DIRPF simplificada. Neste modo, não é possível deduzir despesas com a aposentadoria complementar. Mas, o desconto de 20% sobre toda a renda tributável tende a ser mais vantajoso para o contratante do que a declaração completa.

Como escolher a melhor previdência privada

Agora que você já conhece os principais modelos de previdência, veja dicas práticas para fazer uma boa escolha entre os planos de aposentadoria complementar:

 

1 – Saiba o que você espera

O primeiro passo para encontrar o melhor investimento é ter clareza sobre os seus objetivos. Em se tratando de previdência privada, a ideia é complementar a renda futura, certo?

Mas quanto você espera ganhar quando se aposentar? Quanto de risco está disposto a correr para acumular mais dinheiro? O quanto do seu orçamento você consegue comprometer hoje para ter melhor renda amanhã?

Assim, compreenda seus objetivos de longo prazo, metas de ganho, expectativas de renda, perfil de investidor e capacidade de pagamento atual. Além disso, estude a forma como espera resgatar o saldo futuro, a fim de escolher mais assertivamente entre os planos.

 

2 – Entenda a previdência privada como investimento

Sim, a previdência é uma forma de investimento. Entender isso é importante para que você também compreenda que a aplicação tem riscos e deve ter rentabilidade atrativa. Ou seja, ao pesquisar pelos planos de aposentadoria, é necessário ter a compreensão de que eles precisam justificar o risco com boas taxas de juros sobre o valor aplicado.

 

3 – Avalie as operadoras dos planos

Seja criterioso ao escolher a instituição financeira que fará a administração do seu plano. Assim, pesquise pela solidez da empresa e práticas de mercado. Além disso, estude todas cobranças realizadas pela operadora, como taxa de administração e carregamento.

Em seguida, faça uma comparação entre as instituições e aplicações para escolher o melhor plano de previdência privada para você.

Por fim, continue acompanhando os materiais da Capital Research para conhecer novos e rentáveis formatos de investimento no longo prazo.

Recomendados

Investimentos

Quem pode contratar previdência privada? Descubra

...

2 anos atrás

Investimentos

INSS ou Previdência Privada: qual opção vale mais a pena?

Confira tudo o que você precisa saber sobre INSS e previdência privada e como ...

2 anos atrás

Investimentos

Fundo de Previdência privada: o que é e como investir?

Entenda como funciona um fundo de previdência privada e saiba quais são as ...

2 anos atrás