Capital de Terceiros: conheça os prós e contras para o seu negócio

Saiba o que são capital de terceiros e entenda qual a melhor opção para o crescimento da sua empresa.

Capital de Terceiros

Seja qual for o modelo de negócios da sua empresa, é importante que os recursos financeiros sejam organizados de maneira correta para manter o bom funcionamento do empreendimento. Para isso, existem duas opções de investimento que podem ser usadas para financiar as atividades empresariais: com o capital próprio ou o capital de terceiros.

Confira o artigo abaixo e descubra as principais vantagens e desvantagens do capital de terceiros e se vale a pena buscar investimentos externos para a sua empresa. Vamos lá?

O que é Capital de Terceiros?

Em uma explicação básica, o capital de terceiros é o dinheiro que credores emprestam para a empresa em troca de uma remuneração, que é previamente acordada em contrato. Assim, o capital de terceiros engloba recursos externos, como empréstimos e financiamentos.

Um exemplo prático para entender como funciona o capital de terceiros é quando o banco faz um financiamento para um determinado negócio. Posteriormente, então, a empresa deve arcar com todos os valores da dívida adquirida.

Esses empréstimos são usados pelas empresas para aumentar o capital de giro, fazer um financiamento, ampliação da organização, crescimento dos investimentos, entre outros.

Veja também: O que é open banking, vantagens e soluções.

Por que buscar por Capital?

Como citado anteriormente, as empresas podem buscar o capital de terceiros por diversos motivos, pois é um recurso garantido para que seja investido no negócio, independente se haverá resultados positivos ou não.

Todavia, o pagamento do capital de terceiros pode levar a uma rentabilidade maior para os acionistas, quando bem gerida. E para isso, a administração deve destinar os recursos para projetos.

Por exemplo, se uma empresa tem um projeto cuja rentabilidade estimada é de 20% ao ano e, para executá-lo, são necessários cem mil reais. Como os sócios não têm esses recursos disponíveis de imediato, a empresa vai ao banco buscar uma linha de crédito que permita a execução do projeto.

Ao negociar com o gerente, a empresa consegue uma proposta que consiste na oferta de cem mil reais com pagamento de juros de 10% ao ano. Após um ano, os lucros do projeto são suficientes para pagar o empréstimo solicitado ao banco. Então, nesse caso, acaba tornando-se vantajoso optar pelo capital de terceiros.

Capital Próprio x Capital de Terceiros

Para entender melhor o funcionamento do capital de terceiros, é preciso saber a diferença entre esse tipo de investimento e o capital próprio, ambos usados para realizar o gerenciamento de recursos na empresa.

Capital Próprio

Como o nome já diz, é o dinheiro do próprio empresário, que também pode contar com recursos dos sócios, acionistas ou o lucro da empresa. Esse dinheiro está diretamente relacionado ao patrimônio líquido e, por isso, não necessita ser devolvido.

Quando a empresa opta por capital próprio, também não precisa pagar juros e o próprio dono do negócio assume os riscos.

As principais características do capital próprio são:

  • Ativo;
  • Patrimônio líquido;
  • Empresário assume o risco.

Capital de terceiros

Diferente do capital próprio, há a necessidade de devolução dos recursos. Esse dinheiro entre na empresa de forma externa, principalmente por empréstimos. Relacionado ao passivo, o dinheiro deve ser devolvido de acordo com o contrato assinado.

De forma resumida, podemos apontar as principais característica do capital de terceiros como:

  • Passivo;
  • Dinheiro de empréstimos ou financiamentos;
  • Necessidade de devolução .

Vantagens do Capital de Terceiros

Adotar o capital de terceiros para gerenciar recursos da empresa pode apresentar vantagens que ajudam a alavancar os seus negócios. Como é formado por recurso externo, há o comprometimento em organizar os recursos para que os valores sejam pagos corretamente.

Além disso, também destacam-se outras vantagens, como:

  • Retorno a longo prazo;
  • A dívida paga é conhecida desde o contrato;
  • Gera previsões mais assertivas ao administrador.

Desvantagens do Capital de Terceiros

Por outro lado, esse modelo de gerenciamento de recursos também apresenta algumas desvantagens, como:

  • Quanto maior o financiamento, maior será o valor da dívida;
  • Juros são contados desde o início;
  • Se o projeto não tiver a rentabilidade esperado, pode gerar prejuízos.

Quando vale a pena buscar investimento?

Antes de procurar por capital de terceiros, ou qualquer outro tipo de investimento, a empresa deve analisar todos os recursos disponíveis, e se é preciso fazer investimentos operacionais. Se deseja ampliar, modificar ou fazer melhorias em alguma área, caso necessite de outros recursos, é hora de buscar o capital de terceiros.

A estruturação do capital, vindo de recursos de terceiros ou não, deve ser bem elaborada a fim de maximizar os lucros da empresa.

Quando vale a pena investir no negócio de um terceiro?

Investir em capital de terceiros, vale a pena quando a empresa tem um planejamento que poderá dar retorno lucrativo e garantir o pagamento total da dívida. Então, a boa análise, antes de decidir no investimento no negócio de um terceiro, pode fazer a diferença.

Afinal, uma escolha errada pode significar um aumento desnecessário de custos ou a perda de atratividade da empresa.

Em qualquer uma das situações, claro, opções indesejáveis podem trazer prejuízos a qualquer empresário, que terão dificuldades em gerenciar os recursos de seus negócios. Portanto, o equilíbrio de capitais dará mais vigor e uma boa oxigenação à empresa.

Como escolher o melhor investimento para o seu negócio?

As empresas em estágio inicial ou com administração conservadora costumam optar pelo capital próprio. Já as empresas consolidadas, que geram caixa e lucro, preferem capital de terceiros. Por isso, cada modelo é vantajoso de acordo com a realidade de cada organização.

Além disso, cada tipo de capital dá ao empresário a liberdade de como gerir o recurso a ser utilizado na empresa. Com o capital próprio, o investimento dos sócios fica exposto e os mesmos assumem todo o risco. Em um período negativo, o patrimônio fica comprometido.

Por sua vez, o capital de terceiros permite um crescimento mais rápido, além de um fluxo mais estável de recursos. Isso porque o valor não está condicionado às questões societárias e à distribuição de lucros e dividendos.

Então, ambas as opções valem a pena ser investidas, desde que seja reconhecida a realidade da empresa.

Agora que você já sabe o que é o capital de terceiros e quando vale a pena investir na empresa de outra pessoa, também aproveite para conferir os planos da Capital Research e saiba como aumentar os seus investimentos.

Recomendados

Investimentos

A corretora Rico é confiável? Tudo o que você precisa saber antes de investir

Leia o texto e veja se a corretora Rico é confiável e se é uma boa opção para os ...

3 anos atrás

Investimentos

A Reforma Trabalhista e o cenário econômico do Brasil

A reforma trabalhista veio com a promessa de gerar mais empregos e aquecer a ...

2 anos atrás

Investimentos

Acionista Minoritário: Conheça os direitos, vantagens e porque se tornar um

Conheça os dispositivos legais para exercer poder na empresa em que investe, sendo ...

2 anos atrás