Títulos da dívida pública: vale a pena investir neles?

Investir em títulos da dívida pública é uma alternativa segura e mais rentável que a poupança. Saiba tudo sobre eles.

Os títulos da dívida pública são uma maneira para você investir seu dinheiro. Seguros e rentáveis, eles são emitidos pelo governo federal.

Os papéis vêm se tornando mais populares a cada dia e, inclusive, são uma alternativa mais lucrativa à caderneta de poupança.

Assim, se você está em busca de novas formas de investimento, precisa conhecer os títulos da dívida pública. Siga acompanhando o artigo!

O que são títulos da dívida pública?

Os governos têm suas fontes de receitas e despesas. Mas, em muitos casos, os cofres públicos não conseguem equilibrar as contas. Por isso, são emitidos os títulos da dívida pública.

A emissão dos títulos é uma maneira que o governo federal tem para captar recursos financeiros no mercado. Ou seja, ele cria os papéis, os vende a investidores e fica com o valor aplicado. Enquanto isso, os compradores dos títulos recebem juros como remuneração pela aplicação financeira.

Em outras palavras, os títulos da dívida pública funcionam como papéis que documentam um empréstimo tomado pelo governo junto aos investidores. Eles são simples de investir e podem ser resgatados com facilidade, o que significa alta liquidez. Além disso, se adaptam bem a estratégias de curto, médio e longo prazo.

No Brasil, o Tesouro Nacional é o responsável pela emissão dos títulos da dívida pública, que integram um programa chamado Tesouro Direto.

Tipos de títulos da dívida pública

Os títulos da dívida pública são um tipo de investimento de renda fixa. Dessa forma, as taxas, prazos e condições da remuneração são definidos antes mesmo da compra dos ativos.

O Tesouro Direto tem duas formas de rentabilizar os investidores. Assim, os papéis podem ser pré ou pós-fixados. Veja, a seguir, os três tipos de títulos da dívida pública:

 

Tesouro Direto Prefixado

Como o nome já sugere, o Tesouro Direto Prefixado tem taxas determinadas. Assim, o investimento vai ser remunerado a uma alíquota fixa durante todo o tempo em que o dinheiro ficar aplicado.

Por exemplo, um título que vencerá em 2031, com taxa anual de 7,86%, será rentabilizado a essa mesma alíquota todos os anos até lá.

O Tesouro Direto Prefixado é um tipo de renda fixa ainda mais estável. Dessa forma, ele é indicado para os investidores mais conservadores e, por isso, menos propensos ao risco.

 

Tesouro Direto Selic

A Selic é definida pelo Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) a cada 45 dias. Ela é a taxa básica de juros da economia e, por isso, todas as demais alíquotas partem desse valor.

O Tesouro Direto Selic é um título público indexado à Selic. Ou seja, ele remunera de acordo com o valor da taxa.

Essa é uma estratégia pós-fixada da renda fixa, uma vez que o investidor conhece os parâmetros, mas não tem como prever o valor das taxas com exatidão.

Por exemplo, um Tesouro Direto Selic 2025 remunera os investidores da seguinte forma: Selic + 0,03%. Considerando uma taxa Selic de 3,75% (dados de abril de 2020), o investimento será rentabilizado à alíquota de 3,78%.

Mas, como vimos, a Selic é corrigida pelo Copom com frequência. Então, não dá para garantir, com precisão, qual será a taxa final de rentabilidade da aplicação pós-fixada.

 

Tesouro Direto IPCA

O Tesouro Direto IPCA funciona da mesma forma que o outro título pós-fixado. Neste caso, ele é indexado ao IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo).

O IPCA é a medida da inflação. Logo, todos os papéis indexados ao IPCA vão remunerar o investidor com valores superiores ao do processo inflacionário.

Um título com rentabilidade anual de IPCA + 3,46%, por exemplo, rendeu juros à taxa de 7,77% a.a., em 2019. Isso porque, naquele ano, a inflação acumulada ficou em 4,31%.

Como investir em títulos da dívida pública

O Tesouro Nacional lançou, em 2002, o portal do Tesouro Direto. Nele, é possível pesquisar pelos títulos da dívida pública. Confira como você pode investir, de maneira online:

 

1. Escolha o título

Acesse o site do Tesouro Direto e confira todos os papéis disponíveis. Lá você pode, inclusive, simular investimentos de acordo com a remuneração, aplicação inicial, aportes mensais e/ou valor final a ser recebido.

 

2. Cadastre-se em uma corretora de investimentos

Apesar de ver os títulos no site do Tesouro, só dá para comprar e vender os ativos através de uma corretora de investimentos.

Pesquise pela instituição de sua confiança e abra uma conta de investimentos para poder negociar os títulos. Você deve transferir dinheiro para a conta e, então, começar a investir no Tesouro Direto.

 

3. Acompanhe as aplicações

Agora que você já escolheu os títulos, abriu a conta e começou a aplicar, não se esqueça de continuar observando os investimentos. Os títulos da dívida pública são seguros e rentáveis, mas você deve sempre acompanhar o andamento das operações.

Além disso, mantenha suas estratégias de investimento e evite resgatar os valores antes da data de vencimento – o que pode prejudicar sua rentabilidade.

O Tesouro Direto é uma forma simples e confiável para você investir e que rende, inclusive, mais e melhor do que a caderneta de poupança.

Oferecer informação de qualidade para as suas decisões de investimento é a proposta da Capital Research!

Recomendados

Investimentos

Tesouro Direto: passo a passo de como investir

O Tesouro Direto é uma opção mais rentável e tão segura quanto a poupança. ...

3 anos atrás

Investimentos

Letras do Tesouro Nacional (LTN) - entenda o que é e saiba como investir

Entenda melhor como funcionam os diversos tipos de LTN disponíveis e qual a ...

3 anos atrás

Investimentos

NTN-F: descubra o que são as Notas do Tesouro Nacional série F sem complicações

Investir no Tesouro Direto é uma boa opção para investidores específicos. O ...

3 anos atrás