Letras do Tesouro Nacional (LTN) – entenda o que é e saiba como investir

Entenda melhor como funcionam os diversos tipos de LTN disponíveis e qual a utilidade de cada um deles para poder investir

Quem deseja ir além da poupança mas ainda pretende ter segurança no investimento, bem como uma rentabilidade significativa, investir na LTN pode ser uma boa opção. As Letras do Tesouro Nacional têm atraído um número grande de investidores ativos. Tanto é que, segundo as últimas estatísticas do próprio Tesouro Direto, em julho deste ano, as vendas atingiram cerca de R$ 2,6 milhões, enquanto os resgates giraram em torno de R$ 2,2 milhões, sendo R$ 2,1 milhões relativos às recompras e R$ 92,2 milhões aos vencimentos. Dessa forma, houve emissão líquida de R$ 440,7 milhões.

Mas o que é LTN?

Como visto anteriormente, LTN significa Letras do Tesouro Nacional. São papéis que possuem o lastro na dívida pública do país. Em resumo, quando o governo federal precisa de recursos, ele pode captá-los emitindo esses títulos para o mercado. Embora essas letras aumentem o tamanho do rombo, por outro lado, essa verba captada permite o financiamento de projetos por parte da União.

Como funciona a LTN?

A LTN funciona de forma semelhante às outras oferecidas no Tesouro Direto. As Letras do Tesouro Nacional são consideradas títulos prefixados, ou seja, permitem ao investidor conhecer a rentabilidade com antecedência e saber o quanto irá ganhar ao final do investimento. Entretanto, elas possuem certa volatilidade, visto que seguem de perto as oscilações que existem no juro futuro. Isso quer dizer que, caso você resolva fazer o resgate antes do vencimento, poderá ter prejuízos. Explicando melhor: quando o juro futuro sobe, o valor do título provavelmente irá cair. Por outro lado, quando há a queda, a letra investida tende a se valorizar.

Para que serve a LTN?

A LTN pode ser considerada um investimento interessante, principalmente quando o país está com os juros altos, visto que as taxas são prefixadas. Por outro lado, em uma administração com juros baixos, é necessário avaliar as possibilidades de elevação nos juros atuais e a situação da taxa futura.

Tipos de LTN

Atualmente, há dois tipos de Letras do Tesouro Nacional disponíveis no mercado, sendo uma com vencimento para 2021 e a outra para 2025. Contudo, assim como os vencimentos, a rentabilidade de cada uma delas é diferente. Embora não seja uma LTN, há outro tipo de Tesouro Prefixado. É o chamado NTN-F, que trabalha com juros semestrais, onde o rendimento é recebido pelo investidor ao longo do período da aplicação.

Como Investir em Letras do Tesouro Nacional

Para se investir em uma LTN, é preciso abrir uma conta em uma instituição financeira autorizada para operar com o Tesouro Direto. Em seguida, o banco ou a corretora vai fazer a intermediação –  junto com a BM&F Bovespa – entre você e o Tesouro Nacional, que emite o título. Confira o que vem a seguir:

  • Depois do cadastro no Tesouro Direto por intermédio da instituição financeira escolhida, você receberá uma senha provisória da BM&FBovespa para o primeiro acesso à área restrita do Tesouro Direto. Nela, são realizadas as operações de compra e venda, bem como consultas a saldos e extratos;
  • Após trocar sua senha provisória, você já poderá começar a investir;
  • Para comprar o título mais adequado para você, utilize a ferramenta “Orientador Financeiro”. É possível acessá-la tanto no site do Tesouro Direto quanto na área restrita ao investidor.

Qual o melhor Tesouro Direto para investir? E qual o seu rendimento

Primeiro, é preciso entender a diferença entre os títulos que estão disponíveis para investimento. O Tesouro Direto oferece a compra e a venda dos títulos públicos por pessoas físicas nas modalidades prefixadas e pós-fixadas. Há também a possibilidade de investir no híbrido, que abrange títulos pré e pós. Em suma, eles têm uma parte da remuneração prefixada e a outra vinculada à inflação. Vamos entender melhor como cada um funciona:

  • LTN e NTN-F

As Letras do Tesouro Nacional (LTN) e as Notas do tesouro Nacional – Série F (NTN-F) são títulos prefixados recomendados para quem acredita na queda das taxas de juros e da inflação. Ou seja, no atual momento econômico, com baixos índices tanto da Selic quanto do IPCA, podem ser consideradas ótimas opções. São investimentos com renda média de 13,14% ao ano, podendo chegar a 44,9% em 36 meses.

  • LFT

A LFT (Letra Financeira do Tesouro), por sua vez, é um título pós-fixado.  Ela é atrelada à taxa Selic. Entretanto, o retorno do investimento só é conhecido no vencimento do título, com o principal mais os juros sendo pagos apenas no final. Essa modalidade é indicada para quem acredita os juros vão subir. Aqui, o rendimento é de 113% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário), podendo chegar a 47,02% em três anos.

  • Tesouro IPCA+

O Tesouro IPCA+ (NTN-B – Nota do Tesouro Nacional – Série B) é incluído na categoria títulos longos. É um investimento para você formar seu patrimônio pensando na aposentadoria. A diferença para os títulos mais curtos é no método do pagamento dos juros. Há a NTN-B principal, onde você recebe juros mais o capital inicial somente no vencimento, e a NTN-B com juros semestrais. A remuneração deste título é submetida a inflação você terá a certeza de sempre receber um rendimento acima do IPCA. Ou seja, seu patrimônio certamente estará sempre aumentando, assim como seu poder de compra. Afinal, em o cálculo é feito levando em conta a inflação mais 6,17%, o que pode levar a um rendimento de 51,79% em 36 meses.

Recomendados

Investimentos

Ação Vale: saiba as informações principais e o que pode afetar em seu valor

Conheça mais sobre a VALE3, código das ações da Vale, e entenda quais fatores ...

3 anos atrás

Investimentos

Bolsa de Valores: o que é, qual sua importância e 5 razões para investir

A Bolsa de Valores pode ser uma maneira de aumentar a rentabilidade dos seus ...

3 anos atrás

Investimentos

Como comprar ações online

Investir na Bolsa de Valores é uma realidade que pouco a pouco vem conquistando os ...

3 anos atrás