Tipos de títulos que devem estar na sua carteira de investimentos

Entre públicos e bancários, diferentes tipos de títulos podem estar na sua carteira de investidor. Veja quais são eles.

Existem diferentes tipos de títulos para você investir. Desde ativos da dívida pública, passando por papéis de bancos privados até outros formatos, como letras de crédito. O que não faltam são opções para aplicar seu dinheiro com segurança e rentabilidade.

Quer saber mais sobre as formas de investimento? Então, leia as principais informações sobre títulos e saiba como obter bons rendimentos com eles.

Por que investir em diferentes tipos de títulos?

Os diferentes tipos de títulos públicos e privados são uma forma de renda fixa. Isso quer dizer que esses ativos remuneram seus investidores com taxas conhecidas a eles. O investimento é considerado seguro, já que conta com garantias reais de pagamento. Mas o nível de segurança varia de acordo com o tipo de título.

O baixo risco apresentado pela renda fixa acaba trazendo retornos financeiros menores do que os oferecidos pela renda variável. Por isso, diversificar o investimento em diferentes tipos de títulos é importante.

Dessa maneira, o investidor consegue diminuir ainda mais os riscos e aumentar suas taxas de rentabilidade. Veja, a seguir, os principais tipos de títulos públicos e privados para você estudar e começar a investir.

Tipos de títulos públicos

O governo federal pode arrecadar dinheiro através de impostos. Mas também consegue recursos financeiros para financiar suas operações com a emissão de títulos públicos.

Os papéis são vendidos no mercado financeiro e seus compradores são remunerados com o pagamento de juros. Emitidos pelo Tesouro Nacional, os títulos formam o Tesouro Direto.

Confira o funcionamento dos principais ativos do Tesouro:

 

Tesouro Direto Prefixado

Os títulos prefixados remuneram os investidores com taxas fixas durante todo o período do investimento. Essa é uma das maneiras mais seguras para investir no Tesouro Direto, já que os compradores do papel conhecem exatamente toda a rentabilidade do ativo até o momento do seu resgate.

 

Tesouro Selic

O Tesouro Direto Selic é um tipo de título pós-fixado. Dessa forma, ele rende juros aos investidores com base no índice ao qual é indexado. Como o nome sugere, ele é indexado à Selic, a taxa básica de juros da economia brasileira. Assim, o ativo paga o valor da alíquota da Selic e mais um percentual, o qual varia conforme o prazo do papel.

 

Tesouro IPCA

O Tesouro IPCA também é um título indexado, mas ao IPCA. A alíquota representa o aumento geral dos preços da economia. Em outras palavras, é a taxa da inflação. Dessa maneira, o título remunera os investidores com valores acima do apresentado pelo processo inflacionário, com a garantia de ganhos reais.

Tipos de títulos bancários

Da mesma forma que os cofres públicos buscam financiamento no mercado, os bancos e instituições financeiras emitem papéis para arrecadar dinheiro. Assim, os títulos privados também são uma forma de renda fixa muito negociada entre os investidores.

Veja como funcionam os mais conhecidos títulos bancários.

 

CDB

Os Certificados de Depósitos Bancários têm o mesmo funcionamento dos títulos públicos. A diferença é que eles são realizados pelos bancos privados. Geralmente, os CDBs remuneram seus investidores com taxas atreladas ao valor médio do Certificado de Depósitos Interbancários, ficando entre 80% e 120% do CDI.

Os CDBs são assegurados pelo FGC, o Fundo Garantidor de Crédito. Dessa forma, aplicações realizadas por uma pessoa no valor de até R$ 250 mil, por conglomerado financeiro, estão cobertas em caso de quebra da instituição financeira emissora do papel.

 

LCI e LCA

Quem compra títulos de Letras de Crédito aplica dinheiro em setores específicos da economia, como o imobiliário (LCI) e o do agronegócio (LCA). O investimento também remunera com taxas atreladas ao CDI. Além disso, as letras são garantidas pelo FGC e têm isenção de pagamento do imposto de Renda.

 

LF

Letra Financeira é um tipo de título de renda fixa de longo prazo. O investimento é emitido pelo governo federal e só pode ser resgatado após 2 anos de aplicação. A LF não tem cobertura do Fundo Garantidor de Crédito, mas promete boa rentabilidade. O papel tem valor mínimo de R$ 150 mil e também pode ser remunerado com base no CDI.

3 dicas práticas para investir em títulos

Para qualificar ainda mais a sua estratégia, depois de escolher os tipos de títulos para investir, veja dicas para ter um melhor retorno financeiro.

 

1. Pesquise bastante por uma boa operadora

Você só pode investir em títulos por intermédio de uma corretora ou gestora de investimentos. Muitas delas já oferecem corretagem zero para alguns tipos de renda fixa. Então, analise as possibilidades.

 

2. Confira a incidência de taxas e impostos sobre os títulos

Mesmo que a instituição não cobre taxas administrativas, alguns valores são de pagamento obrigatório. Portanto, confira todos os gastos da aplicação.

 

3. Tenha um bom plano de investimentos

Investir requer planejamento e disciplina para que os resultados aparecem com mais rapidez e maiores ganhos. Por isso, estude sobre as melhores práticas, conheça seus objetivos e faça aplicações com muito mais confiança e rentabilidade.

Gostou das dicas? Então, continue com a gente! Na Capital Research, você encontra conteúdos, análises e recomendações para fazer investimentos mais rentáveis e seguros.

Recomendados

Investimentos

Saiba o que são títulos públicos e porquê você deveria investir neles

Ajudar a financiar os projetos do governo e ainda rentabilizar com isso é possível ...

3 anos atrás

Investimentos

O que são títulos públicos e como investir no Tesouro Direto

Quer um investimento seguro e que rende mais do que a poupança? Saiba o que são ...

2 anos atrás

Investimentos

Crédito privado: o que é, títulos e cuidados para investir

O crédito privado oferece rentabilidade maior do que os títulos públicos. Confira ...

2 anos atrás