Tipos de previdência: conheça e compare antes de contratar

Pensando na aposentadoria? Então, veja quais são os tipos de previdência, compare e escolha aquele que atende seus objetivos.

Você sabia que existem diferentes tipos de previdência, além do benefício concedido pelo INSS? A aposentadoria privada se divide entre os planos abertos e fechados e, ainda, pode ser contratada no formato PGBL, VGBL, instituído ou fechado.

Então, você tem diversas oportunidades de poupança e investimento para sua renda futura. Mas como escolher entre os formatos?

Elaboramos um guia prático para que você compreenda as principais características de cada um dos tipos de previdência. Dessa forma, será mais fácil se decidir por um deles. Acompanhe!

Quais são os tipos de previdência?

A aposentadoria é o momento em que o trabalhador encerra suas atividades profissionais. Ou seja, não terá mais a renda vinda do trabalho. Se ele não tiver outra fonte de recebimentos ou fundos para utilizar neste período, como fica o seu orçamento?

É aí que entra a previdência. Ela é um formato de poupança e investimento com o objetivo de ser tornar uma renda futura. Assim, o contratante do plano resguarda uma parte do seu orçamento atual para utilizar no futuro – quando não houver outros ganhos.

A previdência se subdivide em:

  • Previdência Social
  • Previdência Privada
    • Aberta: PGBL, VGBL e outros
    • Fechada: planos instituídos e patrocinados

Cada um dos formatos tem características peculiares e é indicado para diferentes perfis de contratantes. Veja, então, como funcionam os principais tipos de previdência:

 

Previdência Social

A Previdência Social é instituída pelo governo e operada pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Trabalhadores com carteira assinada e outros profissionais são obrigados a fazer contribuições neste formato.

A Reforma da Previdência deixou ainda mais claro que o futuro do INSS é incerto, visto que o déficit das suas contas pode comprometer o pagamento dos benefícios. Além disso, os valores pagos pela Previdência Social são limitados. Assim, deixar a renda da aposentadoria unicamente sob responsabilidade do INSS pode ser arriscado.

 

Previdência privada

A previdência privada tem a função de complementar a renda do aposentado. Para isso, o contratante escolhe entre os tipos de planos, faz aportes regulares por vários anos e recebe o saldo sob a forma de renda mensal ou saque único.

A operadora recolhe seu dinheiro e o reinveste em ativos de renda fixa e/ou variável, fazendo os recursos renderem juros. Dessa forma, a previdência privada é um investimento de longo prazo, com o objetivo de prover uma renda futura ao investidor.

Quais são os tipos de previdência privada?

Todos os planos de aposentadoria complementar funcionam da forma que mencionamos, anteriormente: poupança e investimento para resgate futuro. Mas os tipos de previdência podem se alterar de acordo com o público contratante, incidência do Imposto de Renda (IR) e operadora.

Veja, então, as principais características dos planos de aposentadoria privada:

 

Previdência privada aberta

Como o nome sugere, a previdência privada aberta pode ser contratada por qualquer pessoa. Ela é operada por instituições financeiras privadas que cobram taxas sobre os planos.

Existem variados formatos abertos, como PRGP, PAGP e PRSA. Os mais conhecidos, no entanto, são PGBL e VGBL. Eles se diferenciam, basicamente, pela maneira como IR é calculado. Confira como é a tributação de cada dos planos mais famosos:

PGBL – Plano Gerador de Benefício Livre

O Imposto de Renda é tributado sobre todo o valor aplicado como PGBL e sobre os rendimentos gerados. O plano é recomendado, então, para contribuintes que fazem a declaração anual completa. Nesse formato, será possível abater até 12% do investimento sobre a renda tributável.

VGBL – Vida Gerador de Benefício Livre

No VGBL, o IR é calculado apenas sobre os rendimentos. Assim, o seguro de vida é indicado para contribuintes que podem fazer a declaração simplificada. Nela, o desconto geral de 20% tende a ser mais vantajoso para o investidor.

 

Previdência privada fechada

A previdência fechada é operada sem fins lucrativos por empresas e associações a seus funcionários e associados, de forma exclusiva. Também conhecidos como fundos de pensão, os planos são divididos em instituídos e patrocinados. Confira:

Plano instituído

Esse modelo é bem semelhante aos demais: o contratante faz aportes mensais e resgata o valor futuramente. No plano instituído, ele será totalmente responsável pelo pagamento das contribuições.

Plano patrocinado

O plano patrocinado, no entanto, conta com o investimento parcial da empresa ou associação. A patrocinadora paga parte da aposentadoria do empregado ou associado, reduzindo o investimento que ele tem a realizar para a sua previdência.

Como escolher entre os tipos de previdência?

Se você tem a opção de contratar um fundo de pensão, analise as condições oferecidas pela empresa e compare com os planos abertos. Mas, se você não é associado a nenhuma instituidora ou patrocinadora, resta contratar um dos tipos de previdência aberta.

Considere as taxas de rentabilidade e custos, compare planos e veja aquele que mais se alinha aos seus objetivos de longo prazo.

Conheça mais detalhes sobre a previdência privada nos conteúdos da Capital Research e invista com mais confiança.

Recomendados

Investimentos

Investimento em previdência privada: como planejar

...

2 anos atrás

Investimentos

Previdência privada para idosos: existe idade limite para investir?

...

2 anos atrás

Investimentos

INSS ou Previdência Privada: qual opção vale mais a pena?

Confira tudo o que você precisa saber sobre INSS e previdência privada e como ...

2 anos atrás