O que é a taxa de carregamento e por que evitá-la

Entenda tudo sobre a taxa de carregamento e por que ela impacta em seus investimentos.

Com as mudanças nas regras da previdência social, cada vez mais brasileiros estão procurando a previdência privada como alternativa para complementar o INSS.

Entretanto, ainda é comum as pessoas contratarem um plano de previdência privada sem entender direito como ele funciona, quais as diferenças entre os tipos de planos, e as taxas que incidem sobre o investimento.

É importante lembrar que a previdência privada é um investimento de longo prazo, e isso faz com que seja ainda mais importante entender as taxas que incidem sobre seus investimentos, principalmente a taxa de carregamento.

Taxa de Carregamento

A taxa de carregamento é uma taxa cobrada pelas instituições financeiras sobre os planos de previdência privada. Na teoria, ela é uma forma das empresas cobrarem pela administração e manutenção do plano de previdência privada.

Em alguns planos, essa taxa pode chegar a 5% do valor que for depositado. Ou seja, é um custo alto e que pode impactar negativamente os seus investimentos a longo prazo.

Entretanto, essa taxa é opcional, e muitas instituições financeiras já isentam seus clientes deste pagamento. Por isso, é importante analisar o plano escolhido para evitar este tipo de taxa.

Qual a diferença entre a taxa de carregamento e a taxa de administração?

Apesar da taxa de carregamento ser uma forma das empresas cobrarem pela administração e pela manutenção do plano, existe uma outra taxa específica para isso: a taxa de administração.

A taxa de administração é a remuneração da instituição financeira, por fazer a gestão do seu plano de previdência. Essa taxa é um percentual que incide em cima do total aplicado pelo investidor, e costuma ser cobrada anualmente.

A taxa de carregamento também é um percentual, mas diferente da taxa de administração, sendo que esta não tem uma periodicidade regular. Ela pode incidir sobre cada aplicação ou resgate.

Como a taxa de carregamento é cobrada?

Diferente da taxa de administração, a taxa de carregamento não é cobrada regularmente. Ela é cobrada apenas quando o investidor faz uma movimentação, podendo ser uma aplicação ou um resgate.

Existem três formas da taxa de carregamento ser cobrada:

 

  • Taxa de entrada: também conhecida como “taxa de carregamento antecipada”, ocorre no momento de aplicação e incide sobre o valor aplicado. Por exemplo, se um investidor aplicar R$ 100,00, e a taxa de administração for de 4%, apenas R$ 96,00 serão realmente aplicados, e R$ 4,00 ficarão com a instituição que administra o plano.

 

 

  • Taxa de saída: também conhecida como “taxa de carregamento postecipada”, ela é cobrada no momento de resgate do plano ou em casos de portabilidade. Em algumas instituições, essa taxa pode diminuir de acordo com o tempo do investimento. Isso acontece para incentivar a permanência das aplicações por um prazo maior.

 

  • Taxa híbrida: a taxa de carregamento híbrida é quando ocorre uma cobrança dupla, ou seja, tanto no momento da aplicação quanto no momento do resgate do seu plano de previdência.

 

Como vimoss, muitas instituições financeiras já não cobram mais estas taxas, porém isso varia de acordo com a oferta e a estratégia de cada instituição. Por isso, é importante analisar o plano de previdência privada para entender essas cobranças.

Por que evitar a taxa de carregamento?

Apesar de parecer uma cobrança pequena, a taxa de carregamento pode ter um impacto negativo significante nos seus investimentos. É preciso lembrar que, apesar de não ser uma taxa cobrada regularmente, a maioria dos planos de previdência são feitos com aportes mensais

Ou seja, as chances da taxa de carregamento ser aplicada mensalmente é alta. Além disso, se houver também a taxa de saída, serão duas cobranças que poderão corroer os seus rendimentos a longo prazo.

Por isso, é importante buscar por instituições que não cobrem a taxa de carregamento.

Bônus: Portabilidade de previdência privada

Após analisar seu plano de previdência, você pôde descobrir se a taxa de carregamento está impactando seus rendimentos?

A primeira ideia é pensar em fazer o resgate total dos seus investimentos e reinvestir em outro lugar. Porém, é importante ter em mente que essa pode não ser a melhor opção. É importante analisar as regras de saída do seu plano de previdência privada atual, bem como considerar os valores que poderão ser descontados de imposto de renda ao fazer o resgate.

Felizmente, existe uma saída para trocar de plano de previdência e fugir da taxa de carregamento: a portabilidade de planos de previdência.

A portabilidade permite mover seus investimentos entre planos de previdência e assim conseguir evitar algumas taxas que seriam cobrados se você resgatasse se fosse iniciar outra aplicação.

Quer saber como investir melhor? Confira os planos da Capital Research. Você terá acesso a conteúdos exclusivos e ainda terá o auxílio de uma equipe de especialistas para te orientar nos investimentos.

Recomendados

Investimentos

Análise de custos: o que é, para que serve e como fazer

Entenda a importância, quais os métodos mais utilizados e de que forma a análise ...

3 anos atrás

Investimentos

Capacidade produtiva: o que é e como analisar nos investimentos

A capacidade produtiva é um fator importante ao analisar uma ação da bolsa. Saiba ...

3 anos atrás

Investimentos

Empresa de economia mista: o que é, vantagens, desvantagens e exemplos práticos

Entenda como funciona a divisão societária de uma empresa de economia ...

3 anos atrás