Small caps da Bovespa: critérios, cuidados e como investir

As small caps da Bovespa são empresas com grande capacidade de crescimento. Entenda como investir e quais cuidados tomar.

Investir nas small caps da Bovespa é uma alternativa para o investidor que já tem alguma experiência na renda variável e está interessado no potencial de valorização dessas empresas.

As small caps são as empresas de menor valor de mercado na bolsa de valores. Em geral, essas organizações se dividem em dois tipos: são jovens e estão em crescimento ou pertencem a setores de menor representatividade na economia.

Ao investir em small caps, o investidor pode verificar uma rentabilidade superior à rentabilidade das large caps (maiores empresas da bolsa). Só que, ao mesmo tempo, vai enfrentar uma volatilidade maior no preço da ação, além de menor liquidez.

Neste artigo, você vai entender quando vale a pena investir em small caps e que cuidados você precisa ter. Além disso, vai descobrir como aplicar no ETF de small caps da bolsa.

Classificação das small caps na Bovespa

Small caps são empresas com valor de mercado menor do que as maiores companhias do Brasil. 

De acordo com definição da própria B3, a Bolsa de Valores brasileira, que mantém o índice SMLL, as small caps são empresas cujo valor de mercado não abrange 85% do valor de mercado de todas as empresas listadas na bolsa.

Ou seja: as small caps são as empresas que pertencem aos 15% do valor de mercado da bovespa.

Mas, como há mais de 400 empresas listadas na bolsa, o número de small caps é relativamente alto.

Não há, porém, uma definição sobre o valor de mercado máximo que uma empresa pode ter para ser considerada small cap.

Há analistas que defendem a tese de que as small caps devem ter valor de mercado de US$ 230 milhões até US$ 2 bilhões.

Mas, na composição do índice SMLL, é possível encontrar empresas maiores do que isso. Acompanhe a lista com algumas small caps do índice, de acordo com valor de mercado referente a abril de 2020:

  • Gerdau: valor de mercado de R$ 20,4 bilhões
  • M.Dias Branco: valor de mercado de R$ 10,6 bilhões
  • Fleury: valor de mercado de R$ 7,4 bilhões
  • Grendene: valor de mercado de R$ 6,4 bilhões
  • MRV: valor de mercado de R$ 6,3 bilhões
  • Iguatemi: valor de mercado de R$ 5,6 bilhões
  • CVC: valor de mercado de R$ 2,2 bilhões.

De fato, a definição de small cap pode variar entre gestores, analistas e investidores.

O que você precisa saber, no entanto, é simples: small caps são empresas menores.

Geralmente, ou elas são jovens, ou pertencem a setores com menos representação na economia, o que limita o seu potencial de crescimento. 

Essas empresas são observadas com atenção pelos pequenos investidores, que veem nessas ações um grande potencial de valorização.

Mas também é preciso atenção ao investir, já que a liquidez dos papéis tende a ser menor, e a volatilidade mais alta, como veremos a seguir.

Por que investir nas small caps da Bovespa 

Listamos, abaixo, algumas vantagens que os investidores podem encontrar ao investir em small caps, principalmente durante períodos de bull market, em que a bolsa de valores está com viés otimista.

 

Potencial de valorização 

O primeiro e principal motivo que os investidores consideram para investir em small caps da bovespa é o potencial de valorização dessa ações.

Como as small caps são empresas menores, que são jovens ou estão em fase de crescimento, é natural que elas tenham mais espaço para crescer e ganhar mercado do que as gigantes dos setores, que já estão com market share muito elevado.

Em 2019, isso ficou claro pela valorização do índice SMLL, que cresceu 58,2% no ano, contra 31,5% do índice Ibovespa.

 

Ações fora do radar

Além do potencial de valorização, outro motivo para investir em small caps está na possibilidade de encontrar ações fora do radar de grandes investidores, gestores e analistas.

Isso porque grandes fundos de investimento, com bilhões em carteira, não conseguem investir em small caps, já que o valor movimentado provocaria uma distorção no preço das ações.

Assim, as small caps acabam recebendo menos atenção, e você pode encontrar boas oportunidades com mais facilidade.

 

Diversificação da carteira

Outro motivo para investir em small caps é diversificar a sua carteira de ações, expondo parte do patrimônio a empresas com grande potencial de crescimento.

Dessa maneira, você pode surfar nas altas, mas não vai ficar excessivamente exposto a essas empresas em momentos críticos, quando as small caps podem sofrer mais, como veremos a seguir.

Cuidados ao investir nas small caps da Bovespa

Nem tudo são flores quando falamos das small caps. Confira, a seguir, alguns cuidados que você precisa tomar antes de investir nessas empresas:

 

Dificuldade de analisar os fundamentos

Pelo fato de receberem menos atenção de analistas, gestores e grandes investidores, as small caps podem ter fundamentos mais difíceis de analisar.

Os relatórios das casas de análise são mais raros, as análises nos fóruns de investimento não são recorrentes, e você talvez encontre dificuldade até para comparar os dados historicamente, se a empresa for muito jovem. 

 

Fragilidade de algumas small caps

Algumas small caps são muito jovens, o que pode inspirar cuidado com a sua resiliência, já que elas ainda não se provaram ao longo do tempo, superando crises que grandes empresas já enfrentaram.

Além disso, dependendo do setor, fica mais difícil fazer projeções e garantir que a empresa vai se manter sustentável por um longo período. 

 

Liquidez das ações

As small caps têm necessariamente uma liquidez menor do que as ações das large caps. 

Como você já sabe, liquidez é a capacidade de transformar um ativo em dinheiro.

Se a ação é negociada poucas vezes ao dia, não tem muitos compradores e vendedores.

Em um cenário de crise, isso pode ser um enorme problema, já que você pode ficar com as ações em mão, sem conseguir vender por falta de liquidez (falta de compradores), se esse for o seu interesse. 

 

Volatilidade maior

Quando uma ação tem menos liquidez, o mercado enfrenta mais dificuldade para precificar o valor exato do papel. Isso ocorre porque, em tese, quanto maior a liquidez, mais eficiente é o mercado em precificar os ativos.

Por isso as small caps podem apresentar uma volatilidade superior às large caps, com o preço oscilando mais do que o das ações de grandes empresas no mesmo período. 

Como investir em ETF de small caps da Bovespa 

Uma das maneiras mais simples de se expor às small caps da Bovespa é investir no ETF (Exchange Traded Fund) SMAL11.

ETFs são fundos de índices de ações, que costumam replicar um índice importante para o mercado. Eles funcionam como uma carteira teórica e buscam a mesma rentabilidade do seu índice de referência, replicando todas as ações, na exata quantidade e exposição.

O ETF SMAL11 segue o índice de small caps SMLL, que reúne as small caps da bovespa, permitindo que o investidor tenha a mesma rentabilidade do índice por meio de uma única aplicação.

Para investir, o processo é muito simples. Basta abrir conta em uma corretora de valores credenciada junto à B3 e procurar pelo ETF SMAL11 na parte de renda variável.

A compra é idêntica à negociação de qualquer outra ação, com acesso pelo home broker da corretora.

E aí, gostou do artigo? Assine a newsletter da Capital Research para receber informações sobre o mercado financeiro diariamente na sua caixa de entrada.

Recomendados

Investimentos

Ações preferenciais ou PN: entenda qual a vantagem

Ações preferenciais ou PN são ações com prioridade na distribuição de ...

3 anos atrás

Investimentos

Ações no Imposto de renda: como declarar?

Independentemente da transação e do valor envolvido, o investidor que possui ...

2 anos atrás

Investimentos

Blue Chips: saiba o que são e como escolher as melhores ações

Vai investir na Bolsa? Saiba como entrar em ações com altos volumes de negociação ...

2 anos atrás