RLP: Saiba como funciona e para que serve Retail Liquidity Provider

Serviço em período de testes na Bolsa aumenta a liquidez de alguns investimentos.

A liquidez de um investimento é definida pela velocidade e pela facilidade com que o Ativo pode ser convertido em dinheiro. Para os investidores que atuam na Bolsa de Valores brasileira, a B3, com um grande volume de negociações diárias, a liquidez é fundamental para facilitar e garantir as operações de compra e venda. Em vista disso, desde agosto de 2019 a própria B3 passou a disponibilizar um serviço que já é oferecido há alguns anos na Bolsa de Nova Iorque e em outras mundo afora: o Retail Liquidy Provider, ou RLP. Fiscalizado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o RLP está inicialmente em período de testes por 12 meses (até agosto de 2020, portanto) e não tem adesão obrigatória: as corretoras de valores e instituições financeiras que operam na B3 participam somente se desejarem – e os investidores que são clientes das participantes escolhem se irão usar ou não o serviço. 

O que é RLP (Retail Liquidity Provider)

A sigla inglesa RLP significa, em português, Provedor de Liquidez para o Varejo. O serviço permite que uma instituição financeira ou corretora de valores atue como contraparte nas negociações que envolvem seus próprios clientes – nesta fase de experimentação, no entanto, isso é permitido somente para minicontratos futuros de índice e dólar. Ao permitir que as instituições que intermediam a relação entre investidores e B3 atuem também como contraparte nas operações de índice e dólar, o RLP possibilita que esses Ativos sejam ofertados aos investidores com valores iguais ou mais atraentes do que o book de ofertas geral – e em grande volume.

Na prática, a instituição financeira ou corretora que adere ao serviço RLP passa a atuar em mais de um lado da negociação de Ativos: além de exibir as ofertas disponíveis na Bolsa, ela mesma faz suas próprias ofertas – que precisam estar sempre melhores ou iguais ao valor de mercado – e passa a negociar o investimento com seu próprio cliente. Daí vem a liquidez, já que a própria instituição financeira está garantindo o dinheiro da operação. Elas são obrigadas a sempre igualar ou melhorar os preços oferecidos na B3, cobrindo a oferta para seus clientes – somente pessoas físicas, os clientes de varejo, podem utilizar o RLP

Como funciona o RLP (Retail Liquidity Provider)

No mercado geral de ofertas da B3, uma baixa liquidez ou falta de compradores para um determinado Ativo pode fazer com que vendedores dividam os Ativos em lotes e os negociem por preços diferentes – nem sempre pelo melhor valor. Já com o RLP, a instituição que oferece esse serviço é obrigada a garantir o melhor preço do book de ofertas para seu cliente, que então consegue vender grandes quantidades por um preço único. Tudo isso ocorre dentro da mesma plataforma de acesso à Bolsa que a própria instituição disponibiliza a seus clientes/investidores.

Para ter acesso ao RLP, a pessoa física que atua na B3 deve consultar se sua instituição ou corretora participa e oferece o serviço. Em caso positivo, a pessoa deve autorizar a instituição/corretora a lhe fazer ofertas de Ativos (por enquanto, minicontratos de índice e dólar) por meio da RLP, sempre com o melhor preço do mercado. O próprio algoritmo do RLP informa à B3 que o negócio precisa ser fechado pelo melhor valor e com o maior volume, sem precisar dividir em lotes. Em contrapartida, o investidor precisa limitar as negociações via RLP a até 15% do seu volume total de transações.

Principais regras do RLP

Além de algumas normas que já mencionamos, a B3 e a CVM estabeleceram uma série de regras para nortear tanto a adesão de empresas e clientes quanto o uso do RLP. Confira quais são:

– Disponível inicialmente apenas para minicontratos futuros de dólar e índice;

– Ofertas limitadas às ordens à mercado (que são executadas imediatamente);

– Ofertas RLP não aparecem no book de ofertas;

– Se não for executada, a oferta RLP é cancelada no final do dia;

– Ofertas RLP não podem ultrapassar 15% do volume total de negócios feitos pelo investidor;

– Ofertas RLP devem ter valor igual ou melhor que o book de ofertas, disponibilizando os melhores preços na venda imediata (BID) e na compra imediata (ASK);

– Uso exclusivo para pessoas físicas (clientes do varejo);

– O cliente deve autorizar a instituição/corretora a fazer ofertas pelo RLP

Vantagens de aderir ao RLP (Retail Liquidity Provider)

A principal vantagem oferecida pelo RLP é a liquidez diária que possibilita um grande volume de transações a um preço atraente – por enquanto, especificamente no mercado de minicontratos futuros de índice e de dólar. Confira mais algumas vantagens:

– Fim da necessidade de dividir os Ativos em lotes e fazer um preço médio na hora da venda;

– Preço igual ou melhor que o book na execução de ofertas;

– Aumento no volume de negociações;

– Regulado e vistoriado pela CVM: corretoras e instituições são obrigadas a divulgar mensalmente os negócios realizados via RLP.

Gostou do conteúdo? Então assine a newsletter da Capital Research e fique sempre atualizado sobre o mundo dos investimentos.

Recomendados

Investimentos

Anbima: entenda o papel dessa associação reguladora do mercado financeiro

Saiba mais sobre o que é a Anbima, entendendo seu papel regulador do mercado e ...

3 anos atrás

Investimentos

Bullish: o termo que todo mundo quer ouvir no mercado financeiro

Mercado operando em alta e clima de otimismo entre acionistas tem nome: bullish. ...

3 anos atrás

Investimentos

Call: o que é, diferença para a put e como usar

A call é uma opção de compra de uma ação e pode proteger ou alavancar seu ...

2 anos atrás