Previdência privada ou LCI: tire suas dúvidas antes de investir

Não sabe se investe em previdência privada ou LCI? Descubra as características de cada um para fazer uma escolha certeira.

Afinal, qual investimento é melhor: previdência privada ou LCI? Entender como funciona cada modalidade é o primeiro passo para escolher aplicações financeiras de acordo com o seu objetivo.

Ao analisar a rentabilidade, prazos e incidência de Imposto de Renda, fica mais fácil ter segurança ao investir em previdência privada ou LCI. 

Mas, como você verá adiante, as aplicações não são excludentes e podem formar uma carteira de investimentos diversificada. Acompanhe as dicas.

Previdência privada ou LCI: como funciona cada uma

Para escolher entre previdência privada ou LCI, primeiro é necessário entender as características de cada investimento:

Como funciona a previdência privada

A previdência privada funciona como um complemento à aposentadoria do INSS. É um investimento de longo prazo em que o investidor faz contribuições regulares para que o dinheiro gere rendimentos ao longo dos anos. Ao fim do prazo, é possível obter o saldo sob a forma de renda mensal ou resgate único.

Os planos de previdência privada no Brasil são oferecidos por bancos e corretoras de crédito. Há duas modalidades: PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre).

No PGBL, é possível fazer restituição de até 12% da renda bruta tributável na declaração de Imposto de Renda, mas a alíquota incide sobre o valor total do investimento. No VGBL, a restituição não é permitida, mas a alíquota é cobrada apenas sobre os rendimentos.

Como funciona a LCI

LCI é a sigla para Letra de Crédito Imobiliário. São títulos emitidos por bancos para financiar atividades do setor imobiliário brasileiro. Ao comprar uma LCI, o investidor empresta dinheiro para as instituições e recebe os valores posteriormente com o acréscimo de juros. 

Em relação ao período do investimento, as LCIs têm datas de vencimento diferentes. Já a rentabilidade pode ser prefixada (com taxa de rentabilidade fixa) ou pós-fixada (com taxa de rentabilidade indexada a um indicador econômico, como o CDI).

Vantagens da previdência privada

A seguir, descubra quais são as principais vantagens que a previdência privada oferece:

Benefícios fiscais de longo prazo

A previdência privada oferece benefícios fiscais de longo prazo que maximizam a rentabilidade. Conforme já mencionamos, uma das vantagens é a possibilidade de deduzir até 12% da renda no PGBL. Mas há ainda outro ponto que merece destaque: o regime de tributação.

A previdência privada funciona por meio de dois regimes: progressivo e regressivo. O benefício fiscal está relacionado à tabela regressiva, com alíquotas que diminuem conforme o tempo de aplicação:

  • Até 2 anos: 35%
  • De 2 a 4 anos: 30%
  • De 4 a 6 anos: 25%
  • De 6 a 8 anos: 20%
  • De 8 a 10 anos: 15%
  • Acima de 10 anos: 10%.

Como você pode ver, após 10 anos de investimento, é possível pagar uma alíquota reduzida de 10%. É a menor alíquota que um investidor pode encontrar em aplicações tributadas no Brasil.

Diversificação de ativos para maior rentabilidade

Outra vantagem é que os fundos de previdência alocam recursos em diferentes ativos financeiros, e a composição da carteira define a rentabilidade

É possível conciliar renda fixa e renda variável. Cabe frisar que a renda variável apresenta rendimentos mais altos, e ter ao menos uma parcela do dinheiro aplicada nela faz toda diferença.

Vantagens da LCI

Depois de entender as vantagens da previdência privada, confira quais são elas quando falamos de LCI:

Isenção de Imposto de Renda para pessoa física

A vantagem principal da LCI é a isenção de Imposto de Renda para pessoa física, uma vez que os recursos são destinados a setores-chave da economia. Portanto, o investidor não precisa se preocupar com o pagamento de alíquotas ao fazer resgates. A rentabilidade líquida é favorecida, principalmente considerando títulos de longo prazo.

Além disso, vale lembrar que a LCI não tem prazo inferior a 30 dias. Então, também não há cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

Prazos menores

Os prazos do investimento são menores em relação à previdência privada. É possível encontrar LCIs com prazo a partir de 90 dias até o valor máximo definido pela instituição que oferece o título. Para quem busca um investimento de curto a médio prazo, mirar nos ativos com vencimento a partir de três meses é a alternativa ideal.

Previdência privada e LCI não são excludentes

Você não precisa escolher entre previdência privada ou LCI. Conforme vimos, esses investimentos têm características e vantagens diferentes. Enquanto a previdência mira no longo prazo, a LCI é uma alternativa para aumentar o patrimônio em um período menor. Então, o ideal é conciliar as duas modalidades e diversificar a estratégia de investimento.

Dessa forma, você aproveita a isenção de Imposto de Renda para resgatar valores de LCI no curto prazo. E pode deixar o dinheiro da previdência privada rendendo por anos, até aproveitar a alíquota de 10% no modelo regressivo.

Apesar disso, vale a pena ter o apoio de uma assessoria especializada para combinar o seu objetivo financeiro ao investimento adequado. Para isso, conte com a Capital Research e tenha acesso a uma carteira de investimentos completa e balanceada. Entre no site e confira nossas soluções financeiras.

Recomendados

Investimentos

O que é LCI? Qual a diferença desse título?

Conheça as principais caracteristicas da LCI (Letras de Crédito Imobiliário). ...

3 anos atrás

Investimentos

Fundo de Previdência privada: o que é e como investir?

Entenda como funciona um fundo de previdência privada e saiba quais são as ...

2 anos atrás

Investimentos

INSS ou Previdência Privada: qual opção vale mais a pena?

Confira tudo o que você precisa saber sobre INSS e previdência privada e como ...

2 anos atrás