OPEX: o que esse indicador de despesas tem a ver com a minha empresa?

Opex se refere às esas operacionais da sua companhia em contrapartida às despesas de capital. Saiba como diferenciar esses dois indicadores e como saber qual o mais indicado para o seu negócio.

O mundo empresarial é cheio de termos e siglas que muitas vezes confundem a cabeça de gestores com pouca experiência. É claro que você não tem obrigação de conhecer todos de cor, mas alguns são essenciais para garantir a excelência da administração de um negócio.

Exemplo disso é o OPEX, termo ligado aos custos operacionais da sua empresa. Se você ainda não conhece esse indicador, ou se quer aprofundar seu conhecimento sobre ele, continue lendo este artigo que preparamos para você.

O que é OPEX?

O termo OPEX vem da sigla em inglês de Operational Expediture, ou seja, se refere às despesas operacionais da sua companhia. Aqui serão contabilizados somente os custos relacionados à operação da sua empresa, aqueles dos quais ela necessita para poder operar, como pagamentos relativos à gestão empresarial e venda de produtos e serviços.  

Logo, o OPEX é um dado essencial para medir a saúde financeira de uma empresa. Nele é verificado se, em sua operação, a empresa, por exemplo, não gasta mais do que produz.

Exemplos de OPEX

O OPEX funciona como uma forma de aluguel de bens e serviços, sendo relacionado a manutenção de máquinas, licenças, despesas com viagens e serviços de publicidade, por exemplo.

Também estão inclusas nas despesas de OPEX a folha de pagamento dos funcionários, seguridade e serviços relacionados ao terceiro setor.

Opex e capex: diferenças e semelhanças

 O CAPEX, ou Capital Expenditure, se refere à despesas de capital. Diferentemente do OPEX que engloba custos necessários ao funcionamento da empresa, o Capex está relacionado a investimento em bens materiais ou serviços que ajudem a empresa a melhorar a sua performance, ou seja, aumentar a sua lucratividade.

Exemplos são a compra de maquinário, hardwares ou serviços que possam alavancar a produtividade do negócio.

Como é feito cálculo de OPEX?

 O cálculo do OPEX é relativamente simples. Ele consiste na soma de todas as despesas operacionais, como manutenção e folha de pagamento, ao longo de um período contábil determinado. Geralmente utiliza-se o período de um ano.

Para a análise, o OPEX deverá ser comparado ao balanço patrimonial, fluxo de caixa, orçamento pessoal e DRE. Assim você determina a melhor forma de pagamento para os custos de manutenção, além de poder planejar o seu orçamento para esses serviços nos próximos períodos contábeis.

O cálculo do OPEX também demonstra onde é possível reduzir custos e aumentar a rentabilidade. Tambem garante que a empresa tenha todos os recursos necessários para o seu funcionamento, sem a necessidade de descapitalização ou financiamentos.

>>> Leia também: Aprenda como calcular prestações, de forma rápida e prática.

Como escolher a metodologia adequada para sua empresa?

 Na teoria, a diferença entre OPEX e CAPEX parecem bem claras, mas na prática, isso pode se tornar mais confuso. Por exemplo, ao implantar um projeto de TI, você terá um gasto com a contratação de analistas, compra e manutenção de equipamentos que irão gerar um impacto imediato no caixa da sua empresa. A compra dos equipamentos resultará num custo de capital.

Por um lado, esses mesmos equipamentos podem ser alugados pelo período de implantação do projeto, por um custo mais baixo e que já englobe a manutenção. Nesse caso, o custo seria apenas o operacional. É bom lembrar que esse tipo de gasto pode ser deduzido dos impostos.

Tendo isso em vista, qual o melhor caminho para a minha empresa? Bem, essa pergunta não possui uma resposta certa. Os projetos devem ser analisados, levando-se em consideração a capacidade de investimento da companhia.

É comum que as empresas optem pelo aluguel de equipamentos e terceirização dos serviços de forma a garantir renda sem a necessidade de um grande empenho de capital. No caso de optar por terceirizar o serviço, além de deduzir os custos do imposto, você não precisa se preocupar com a manutenção e depreciação dos equipamentos ao longo prazo.

Por outro lado, o tempo de depreciação de equipamentos de informática é de 3 a 5 anos, o que significa que eles poderão ser utilizados futuramente. Outro ponto é que os bens adquiridos passam a incorporar o efetivo do patrimônio da empresa, que serão analisados ao definir o valor de mercado da mesma. O patrimônio pode ajudar a aumentar o market share da sua companhia e apresentar uma vantagem em relação a concorrência.

Portanto, a escolha da melhor metodologia deve considerar os objetivos e metas de crescimento para o seu negócio.

Gostou do texto? Então assine a nossa newsletter e receba outras dicas como essa em seu e-mail.

 

Recomendados

Investimentos

Ativo diferido: o que é e como funciona

Ativo diferido é uma espécie de despesa pré-operacional, cujo benefício só é ...

3 anos atrás

Investimentos

Saiba tudo sobre o custo primário: o que é, como calcular e principais exemplos

Entender o que é custo primário pode ser fundamental para resolver as despesas do ...

3 anos atrás

Investimentos

Bullish: o termo que todo mundo quer ouvir no mercado financeiro

Mercado operando em alta e clima de otimismo entre acionistas tem nome: bullish. ...

3 anos atrás