O que é homo economicus e seus princípios

Homo economicus é um conceito que se refere a um perfil que toma decisões financeiras e econômicas racionais e acertadas. Conheça!

homo-economicus

Você sabia que existe uma teoria chamada homo economicus e que ela pode ajudá-lo a investir melhor?

De acordo com o conceito, o indivíduo tem suas decisões baseadas na razão. Assim, ele faz suas escolhas sempre objetivando interesses pessoais e o lucro. Quer saber mais sobre o homo economicus e seus princípios? Então, continue a leitura!

O que é homo economicus?

A teoria circunda a defesa de que o homem tem a capacidade de usar a razão para produzir e consumir. Isso gera, portanto, uma dinâmica social acerca de seus próprios interesses.

O homo economicus não considera outras esferas da vida humana. Ou seja, as motivações individuais de caráter emocional, de onde também surgem os comportamentos, inclusive os de consumo, não são levadas em conta.

Teoria sobre o homo economicus

A teoria de homo economicus surgiu com os conceitos da própria economia como ciência entre os séculos XVI e XVII.

Nela, é defendido que o trabalhador é influenciado somente por motivações financeiras e materiais. Ou seja, o homem procura o trabalho não pelo propósito de contribuir com a sociedade, mas como forma de se sustentar e acumular riquezas.

Logo, o homem seria induzido e motivado ao ofício pelo receio da falta de dinheiro e pela fome.

Fazem parte desse pensamento econômico, além da racionalidade, fatores como:

  • A geração do conhecimento;
  • As leis da utilidade marginal, ou seja, a obtenção do lucro;
  • A capacidade de realizar previsões.

No homo economicus, o indivíduo pratica alguma forma de atividade econômica para alcançar seus próprios interesses.

Adam Smith, em pensamento descrito na obra Riqueza das Nações, já relatava que o ser humano só servia a outro em troca de recompensas materiais, pensando sempre em seu próprio bem-estar.

Nesse cenário, não abre espaço para o olhar de cuidado sobre o outro, assim como não considera as suas necessidades emocionais. Portanto, o indivíduo adquire bens de consumo para satisfazer os seus desejos, e produz apenas para o mesmo fim.

O valor monetário de tudo o que é comercializado é definido a partir das suas oscilações de necessidade. Além disso, o desejo do homo economicus é acumular riquezas, a fim de concretizar as suas intenções.

Princípios que regem o homo economicus

O conceito da teoria é baseado em cinco princípios. Veja, abaixo, quais são eles:

Uso exclusivo da razão

O conceito desconsidera completamente as necessidades emocionais do indivíduo. Ou seja, não compreende as necessidades subjetivas inerentes ao ser humano. Então, a teoria é limitada ao comportamento econômico no contexto ideal do uso do dinheiro.

Mínimo esforço

Esse princípio tem como importante valor evitar o lavoro e o esforço de forma desnecessária.

Atemporalidade

A teoria defende que o homem vive em um tempo linear, ou seja, vive o presente, desconsidera o passado e não tem como prever o futuro. Logo, suas decisões racionais são válidas em todos os lugares e a qualquer tempo.

Informação

O indivíduo é perfeitamente informado e, portanto, sabe de todas as consequências a respeito de seus atos.

Universal

O homem também é universal, sendo que sua decisão vale em todas as épocas e lugares.

No que o conceito pode ser útil a você?

Os princípios que acabou de conhecer, talvez, não sejam aplicáveis em muitos âmbitos.  Afinal, em diversas ocasiões, é quase impossível ignorar as emoções. No entanto, eles permitem prever comportamentos objetivos, importantes para o sucesso de investimentos, por exemplo. Isso ajuda, principalmente, na análise da previsibilidade dos fatos.

Na hora de investir, é preciso ter um raciocínio lógico, analisar os números, verificar de forma criteriosa as tendências econômicas – o que também envolve analisar o mercado – para, só então, tomar as decisões mais acertadas. Com isso, prejuízos podem ser evitados.

Vamos a um exemplo prático para entender melhor?

Você se lembra de ter apostado naquela ação na bolsa de valores ou no investimento que vinha com uma performance ruim, mas “sentiu” que ele iria valorizar, e amargou um prejuízo tempo depois?

Pois é justamente nas percepções subjetivas que muita gente ganha, mas também pode perder dinheiro. Logo, para não contar apenas com a “sorte”, as análises racionais, pregadas pelo homo economicus, são fundamentais.

Como vimos ao longo desta leitura, o homo economicus é uma simplificação das ações do ser humano, considerando que cada indivíduo é dotado de racionalidade em suas escolhas. Com isso, busca aumentar o seu bem-estar a ponto de adotar uma atitude individualista e egoísta em tudo o que faz.

Como contribuição para o homem de negócios, a teoria possibilita uma alta previsibilidade das ações humanas, o que pode ser estudado para conquistar vantagens na hora de investir.

Mas para tanto, deve-se considerar o estudo do histórico desses investimentos, ignorando o princípio de que o homem só vive no presente e não considera o seu passado. Além disso, o homo economicus sempre verifica todos os custos de oportunidades inerentes às suas decisões.

Fique sempre bem informado sobre investimentos aqui no blog da Capital Research. Aproveite para acessar nosso site e descobrir mais sobre como encontrar as melhores oportunidades de investimento de forma gratuita.

Recomendados

Investimentos

Come-cotas: entenda melhor o que é e qual investidor pode afetar

Saiba como o imposto come-cotas age, quais alíquotas, como funciona a tabela ...

3 anos atrás

Investimentos

Investidor Anjo - Entenda o que é e como pode ajudar em seu negócio

Leia mais sobre o que é um investidor anjo e como pode ser o principal impulso que ...

3 anos atrás

Investimentos

Investidor de risco: o que é e qual a sua importância para o mercado?

Saiba o que é um investidor de risco e entenda qual o papel que ele desempenha ...

3 anos atrás