Fundo simples: como funciona e como investir nessa aplicação

Investir em um fundo simples pode atender a diferentes estratégias, perfis e objetivos. Veja como funciona essa aplicação.

Procura um fundo simples para investir seu dinheiro? Essa pode ser uma aplicação interessante para ter na carteira.

O mundo dos investimentos pode parecer confuso para quem ainda não aplica seu dinheiro. Mas algumas opções são elaboradas justamente para facilitar a vida dos investidores iniciantes. É o caso do fundo simples.

Como o nome já sugere, o formato é simplificado. Ele é de fácil entendimento, de baixo risco e é uma boa alternativa para quem ainda não saiu da caderneta de poupança, que rende cada vez menos.

Descubra, então, o que é e como funciona o fundo simples. Veja, ainda, um passo a passo descomplicado para você começar a investir com confiança.

Acompanhe todas as dicas!

O que é um fundo simples?

O fundo simples é um tipo de investimento que reúne os recursos financeiros de diferentes pessoas e investe em aplicações variadas de renda fixa. Dessa forma, uma instituição financeira administra o montante de dinheiro em papéis como Tesouro Direto, CDBs e letras de crédito.

Ou seja, esse tipo de ativo investe em vários formatos de renda fixa, com baixo risco e rentabilidade superior à da caderneta de poupança.

Para investir em um fundo, basta comprar suas pequenas partes – também conhecidas como cotas –, tornando-se um cotista.

Em resumo, os fundos simples de investimento são como um grande grupo de cotistas que investe em diversificados ativos ao mesmo tempo e é assessorado pela gestora de investimentos.

O formato foi criado justamente para facilitar o acesso das pessoas que ainda não se arriscam para além da caderneta de poupança. Assim, os fundos simples são fáceis de compreender, seguros e oferecem ganhos reais aos investidores.

Como um fundo simples funciona?

Um fundo simples deve ter, pelo menos, 95% dos recursos aplicados em ativos de renda fixa. Dentre eles, podem estar títulos públicos e privados, títulos de crédito, letras de crédito e de câmbio e outros formatos.

Os demais 5% serão investidos em formatos de renda variável, a fim de aumentar a taxa de rentabilidade da aplicação.

Vale observar os custos relativos ao investimento. Assim, as aplicações em fundos simples são tributadas pelo Imposto de Renda (IR), na tabela regressiva. Ou seja, quanto mais distante o resgate, menor a alíquota do tributo. Além disso, eles entram no esquema come-cotas, que faz recolhimentos do IR duas vezes ao ano.

O Imposto sobre Operação Financeira (IOF) também pode ser aplicado sobre esse tipo de fundo. Dessa maneira, valores resgatados antes de 30 dias de aplicação sofrem incidência do IOF.

Considere, ainda, que os fundos simples podem ter taxas relacionadas aos serviços prestados pela gestora; dentre elas, estão taxas de administração e performance.

Vantagens do fundo simples

Estas são as principais vantagens de um fundo simples:

  • Facilidade de aplicação
  • Pulverização dos riscos
  • Aumento da rentabilidade da renda fixa
  • Gestão profissional dos investimentos
  • Rendimentos maiores do que a caderneta de poupança
  • Baixos investimentos iniciais.

Desvantagens do fundo simples

Já entre as desvantagens, podemos citar duas principais. São os custos com taxas da gestora (é preciso conhecê-los para planejar o investimento) e as carteiras rígidas, sem interferência do investidor (ou seja, você fica refém das decisões da gestora do fundo).

Como investir em um fundo simples

Depois que você viu as principais informações sobre os fundos simples, está na hora de conferir como aplicar seu dinheiro. Vamos ao passo a passo!

 

1 – Abra conta na gestora de investimentos

Como vimos, os fundos devem ser geridos por uma instituição financeira. Fica a cargo dela captar e alocar os recursos financeiros dos cotistas. Por isso, você deve abrir uma conta em uma gestora de investimentos. Atualmente, existem diversas empresas que realizam esse tipo de operação, além dos tradicionais bancos.

Então, pesquise pelas gestoras, compare taxas e condições para investir. Em seguida, abra uma conta e transfira seu dinheiro para lá.

 

2 – Escolha o fundo simples

Conta aberta, é o momento de ver os fundos de investimentos disponíveis. A gestora disponibilizará o acesso a uma plataforma, onde você conseguirá ver os ativos para comprar.

Nesse momento, confira cuidadosamente as opções de fundos, histórico de pagamentos, valores mínimos, prazo de resgate e condições para investir. Lembre-se, ainda, de se certificar sobre os custos relacionados aos investimentos – como impostos e outras tarifas.

Feito todo esse trabalho de pesquisa e comparação entre os fundos simples, é hora de seguir para o próximo passo.

 

3 – Envie a remessa de compra

Agora, basta enviar a remessa de compra da cota para a sua gestora de investimentos. Nunca é demais conferir o ativo, para ver se é exatamente aquele que você escolheu, e o valor a ser investido. Em seguida, envie a remessa e acompanhe os rendimentos da sua aplicação em fundo simples.

Como deu para perceber, você pode sair da caderneta de poupança e ter ganhos maiores de maneira simplificada. O mercado de investimentos tem opções atrativas e de fácil entendimento, além de gerarem boas e seguras remunerações para você.

Para entender como fundos e outras aplicações podem trazer maiores retornos para a sua carteira de investimentos, acompanhe os conteúdos exclusivos e análises da Capital Research. De forma simples, você aprende como investir com mais segurança e rentabilidade.

Recomendados

Investimentos

Entenda o que é e como funciona o fundo de investimento

Uma das opções mais populares do mercado, o fundo de investimento pode ser a ...

3 anos atrás

Investimentos

Como investir em fundos de investimento: passo a passo

...

2 anos atrás

Investimentos

Como escolher um fundo de investimento: Guia Completo 2020

Assim como qualquer modalidade, saber como escolher um fundo de investimento é a ...

2 anos atrás