Como investir em fundos de investimento: passo a passo

Quer descobrir como e por que investir em fundos de investimento? Veja como analisar os gestores e comparar os melhores.

Entender como investir em fundos de investimento é o primeiro passo para quem deseja colocar a gestão do seu patrimônio nas mãos dos melhores gestores do mercado financeiro.

Não importa se você tem um perfil de risco mais arrojado ou conservador. Os fundos de investimento atendem a todas as necessidades e são uma excelente alternativa para quem busca diversificação e praticidade.

Neste artigo, você vai entender como investir em fundos de investimento com um passo a passo simplificado e também vai conhecer os principais tipos de fundos à disposição.

Por que investir em fundos de investimento

Antes de investir em fundos de investimento, vale a pena compreender seu funcionamento. Para simplificar, dá para dizer que eles são como um condomínio em que os investidores são os cotistas. Cabe aos gestores administrar o patrimônio de todos, seguindo as diretrizes e regras de cada fundo.

Encontrados em bancos, bancos de investimento e em corretoras de valores, os fundos de investimento são uma excelente alternativa para quem deseja deixar a gestão do seu dinheiro na mão de especialistas.

Ao investir em um fundo de investimento, o valor que você aplicou passa a variar de acordo com a oscilação do fundo – que depende das escolhas de investimento dos gestores.

Por isso, eles são uma opção prática, simples e rápida de terceirizar a gestão do patrimônio, por motivos de falta de tempo ou de conhecimento, e, ao mesmo tempo, diversificar a carteira. Isso porque, ao comprar uma única cota de fundo de investimento, você pode se expor a uma ampla variedade de ativos.

Outra vantagem dos fundos de investimento diz respeito ao imposto de renda, porque a declaração acaba sendo simplificada. Em troca dessa gestão, os fundos são remunerados com taxas de performance e de administração.

Como investir em fundos de investimento

Agora que você conhece as vantagens desse tipo de aplicação, confira um passo a passo para investir em fundos de investimento.

Defina seus objetivos

O primeiro passo para investir em fundos de investimento é definir os seus objetivos com os investimentos. Você vai precisar do dinheiro no curto, médio ou longo prazo? Qual o risco que você aceita tomar? Quais são os seus objetivos com o dinheiro? Tudo isso vai interferir na montagem da sua estratégia.

Monte sua estratégia

Montar a sua estratégia significa definir a alocação ideal de cada fundo imobiliário e outros ativos no seu portfólio. Qual percentual você quer dedicar à renda fixa? E à renda variável? Deseja investir em câmbio? Essa estratégia deve ser montada de acordo com seus objetivos e o seu perfil de risco.

Conheça os fundos e entenda suas estratégias

Agora que você tem objetivos e estratégias definidas, é hora de vasculhar o mercado em busca dos fundos que melhor atendam aos seus objetivos. Conheça os gestores, veja suas entrevistas, siga-os nas redes sociais, leia as cartas dos fundos e procure entender com detalhes as estratégias de todos os fundos pelos quais você se interessou.

Compare custos, taxas e investimento inicial

Agora, é hora de comparar os custos para investir, como taxas de administração e de performance, além do investimento inicial. É preciso ficar atento, porque alguns fundos são voltados apenas a investidores qualificados, que possuem mais de R$ 1 milhão em aplicações financeiras. 

Outros não são tão proibitivos, mas exigem investimentos mínimos elevados. Compare todos os custos para escolher os fundos mais adequados para o seu perfil.

Compare rentabilidade e volatilidade 

Você também precisa analisar, é claro, a rentabilidade do fundo ao longo do tempo, comparando com o seu respectivo benchmark (alvo de referência). Utilize períodos longos de tempo para fazer essa análise e não esqueça de comparar a rentabilidade com a volatilidade, que indica quanto as cotas do fundo oscilaram ao longo do período.

Crie uma conta em uma corretora

Finalmente, é hora de criar uma conta em uma corretora de valores que ofereça os fundos que você selecionou para compor a sua carteira. Os cadastros são fáceis e simples de fazer, e quase todos têm processos 100% online.

Transfira o dinheiro

Depois de a corretora aprovar a sua conta, ela enviará seus dados bancários por e-mail, e você já pode fazer a transferência dos recursos que pretende investir nos fundos.

Comece a investir

Agora, é só fazer os aportes nos fundos escolhidos, de acordo com a estratégia que você definiu. Depois, acompanhe o desempenho dos fundos nos seus respectivos sites, ou em plataformas como Kinvo e Trademap, que mostram a rentabilidade diária. Mas não esqueça de mirar o longo prazo e de ter paciência para ver os resultados. 

Tipos de fundos de investimento para investir

Agora que você já sabe como investir em fundos de investimento, vamos conhecer os principais tipos de fundos de investimento à disposição nas corretoras de valores.

Fundos de renda fixa

Os fundos de renda fixa são indicados para investidores com perfil mais conservador, porque só podem investir em títulos de renda fixa públicos e privados, como papéis do Tesouro Direto, Letras de Crédito (LCI e LCA) e Certificados de Depósito Bancário (CDB). Geralmente, esses fundos têm como benchmark o CDI e buscam uma rentabilidade superior ao indicador.

Fundos de ações

Já os fundos de ações são indicados para quem tem perfil de risco moderado a arrojado, porque devem investir, no mínimo, 67% do patrimônio do fundo em ações. Reúnem alguns dos gestores mais cultuados do mercado financeiro, especialistas nas empresas listadas na bolsa de valores.

O papel desses gestores é negociar ações em nome dos investidores, identificando as melhores oportunidades do mercado. Em geral, esses fundos seguem o benchmark do índice Ibovespa (IBOV), o principal índice do mercado de ações brasileiro.

Fundos multimercado

Os fundos multimercado são muito populares no mercado financeiro, porque podem investir em diversos tipos de ativos, como ações, moedas e títulos de renda fixa.

Dessa forma, são fundos flexíveis e com ativos muito diversificados, o que permite aos gestores controlar a exposição a determinados ativos de acordo com o humor do mercado. Aqui, o benchmark costuma variar de fundo para fundo, de acordo com a estratégia dos gestores.

Fundos imobiliários

Os fundos imobiliários, conhecidos pela sigla FII, são formados apenas por ativos do setor imobiliário, com imóveis e cotas de fundos imobiliários.

Na prática, o investidor que investe em um fundo imobiliário se torna dono de uma pequena parte do portfólio de imóveis do fundo, e passa a receber proventos (aluguéis) mensalmente. Os FIIs são muito procurados por quem deseja criar uma fonte de renda passiva e quer se expor ao mercado imobiliário sem a burocracia e a complexidade de investir em um imóvel diretamente.

Fundos cambiais

Os fundos cambiais investem pelo menos 80% do capital dos cotistas em moedas ou ativos relacionados a moedas estrangeiras, como dólar, euro, libra e iene.

Esses fundos são procurados por quem deseja se proteger contra a desvalorização do real e tem interesse em alocar parte do patrimônio em moedas mais fortes.

E aí, gostou das dicas? Entendeu como começar a investir em fundos de investimento? Assine a Capital Research para acelerar ainda mais sua jornada de investidor e receba a carteira recomendada, dicas de fundos e todas as novidades do mercado.

Recomendados

Investimentos

Fundos de investimento: o que são e como funcionam?

Entenda o que são fundos de investimento, como funcionam e por que vale a pena ...

2 anos atrás

Investimentos

Tipos de fundos de investimentos: conheça os principais

Entenda quais são os tipos de fundos de investimentos disponíveis no ...

2 anos atrás

Investimentos

IFIX: Entenda o Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários

Semelhante ao Ibovespa, indicador aponta o desempenho médio do mercado de fundos de ...

2 anos atrás