Fundo de renda fixa: dicas para avaliar e investir

Um fundo de renda fixa reúne segurança e boa rentabilidade para o investidor conservador. Saiba tudo sobre essa aplicação.

Já pensou em aplicar dinheiro em um fundo de renda fixa? Essa é uma modalidade indicada para pessoas que desejam potencializar seus ganhos com o investimento ao mesmo tempo em que querem minimizar os riscos.

Se você se pergunta como isso é possível, não deixe de ler este artigo até o final. Para investir em Tesouro Direto e títulos privados, LCI/LCA e outras formas de renda fixa com boa rentabilidade, você pode escolher um fundo desta modalidade.

Siga acompanhando!

Fundo de renda fixa: o que é?

Um fundo de investimento é uma aplicação financeira que reúne diversos ativos em uma mesma carteira. Ele funciona como um grande grupo de pessoas que se junta e, assim, acumula um bom volume de recursos para investir nos produtos financeiros.

Dessa forma, o investidor compra cotas do fundo e consegue de, uma única vez, aplicar dinheiro em diferentes tipos de papéis.

A renda fixa é uma modalidade de investimento em que as taxas de rendimento são determinadas no ato da compra do ativo. Ou seja, o investidor conhece a alíquota de juros que será aplicada sobre o papel durante o tempo em que ele permanecer investido.

São exemplos de ativos de renda fixa os títulos públicos e privados, letras de crédito, debêntures e outros. Assim, os fundos de renda fixa são aplicações financeiras que reúnem diferentes ativos com taxas de juros determinadas.

O cotista, então, compra uma parte desse grande grupo de investimentos e é remunerado de maneira proporcional à sua aquisição de cotas. Estes fundos remuneram com taxas atreladas ao CDI – Certificado de Depósitos Interbancários. Geralmente, as aplicações em renda fixa pagam valores próximos a 100% do CDI.

Como um fundo de renda fixa funciona?

No geral, os fundos de renda fixa são compostos por 80% de ativos em renda fixa e 20% de outros produtos – como derivativos. Dessa forma, a maior parte do investimento é feita em títulos seguros. Afinal, o principal atrativo de quem busca a renda fixa são seus baixos riscos.

No entanto, a segurança vem acompanhada de taxas de correção não tão altas. Portanto, os 20% aplicados em outros produtos têm o objetivo de, justamente, aumentar a rentabilidade do investimento.

Para que haja um equilíbrio entre segurança e remuneração, o fundo de renda fixa é administrado por um gestor. Ele estará à frente do fundo, determinando quais ativos devem ser mantidos e quais devem ser descartados.

Vantagens do fundo de renda fixa

O fundo de renda fixa apresenta diversas vantagens, especialmente para quem deseja investir com segurança. Confira quais são as principais:

  • Carteira de investimentos diversificada: os fundos conseguem equilibrar rentabilidade e segurança em diferentes ativos
  • Baixo investimento mínimo: muitos títulos possuem valores altos para o investimento. Com o fundo, é possível fazer parte da compra do ativo pagando apenas o proporcional da cota
  • Gestão qualificada: mesmo que você não tenha conhecimentos aprofundados sobre o mercado financeiro, será possível investir de maneira qualificada através dos gestores do fundo
  • Rentabilidade: a alocação de recursos realizada pelos gestores maximiza os ganhos com a aplicação
  • Praticidade: você investe em vários produtos financeiros de uma única vez, sem precisar fazer diferentes aplicações.

Riscos do fundo de renda fixa

Como todo investimento, os fundos de renda fixa também apresentam seus riscos. Vale observar, assim, que a aplicação não é coberta pelo FGC, o Fundo Garantidor de Crédito. 

Além disso, os fundos têm custos com taxas (como administração e performance), além da cobrança de impostos (como Imposto de Renda e IOF). Portanto, verifique cuidadosamente os riscos e gastos que a aplicação apresenta e veja se o fundo de renda fixa se encaixa nas suas contas.

Como investir em fundos de renda fixa

Comprar cotas de um fundo de renda fixa é mais fácil do que imagina. Para isso, basta seguir este passo a passo e acompanhar os resultados:

 

1 – Abra uma conta em uma corretora de investimentos

Como vimos, os fundos devem ser administrados por instituições gestoras. Assim, você deve procurar por uma corretora de investimentos que faça a operação com fundos. Analise as taxas e tarifas e, em seguida, transfira seu dinheiro para ela.

 

2 – Escolha o fundo de renda fixa

Na plataforma da gestora, você terá acesso aos diferentes fundos disponíveis no mercado. Lá, será possível analisar valores para aplicação mínima e histórico de rentabilidade.

Muitas corretoras permitem fazer simulações de remuneração, com todas as taxas e os impostos descontados. Assim, faça uma boa análise de riscos e ganhos e, então, prossiga para a outra etapa.

 

3 – Envie a ordem de compra

Por fim, envie sua ordem de compra para a corretora. Na nova tela, você deverá ler os termos relativos à aquisição, inserir o valor do investimento e a senha ou assinatura eletrônica. Pronto! Você já estará investindo em fundos de renda fixa, com a administração profissional da gestora.

Viu como pode ser simples fazer novos investimentos? Conheça outras modalidades de fundos e aplicações acessando nossos conteúdos, recomendações e análises. A Capital Research é sua parceira para investir mais e melhor!

Recomendados

Investimentos

Como escolher um fundo de investimento: Guia Completo 2020

Assim como qualquer modalidade, saber como escolher um fundo de investimento é a ...

2 anos atrás

Investimentos

Como investir em fundos imobiliários e diversificar a carteira

Procura diversificar suas aplicações? Veja como investir em fundos imobiliários, ...

2 anos atrás

Investimentos

Como aplicar dinheiro com lucratividade em renda fixa e variável

Ainda não faz investimentos financeiros? Saiba como aplicar dinheiro da forma certa ...

2 anos atrás