Fundo de ouro: como funciona e como investir

Investir em um fundo de ouro é uma alternativa para quem deseja proteger o patrimônio. Entenda como funciona.

Investir em um fundo de ouro é uma alternativa para quem deseja proteger parte do seu patrimônio contra oscilações da renda variável.

Isso porque o ouro funciona como uma reserva de valor: historicamente, quando a aversão ao risco cresce no mercado internacional, prejudicando o retorno das ações, os investidores procuram investir no metal para proteger o patrimônio, já que ele tem valor tangível e é considerado escasso.

Ao investir em um fundo de ouro, você faz esse mesmo movimento de proteção, porque os fundos de investimento de ouro se dedicam apenas em investir em ativos lastreados no metal. 

Neste artigo, você vai entender como funcionam os fundos de ouro e vai descobrir como investir na prática.

Como funciona um fundo de ouro

Um fundo de ouro é um fundo multimercado que investe todo o capital dos cotistas em ativos lastreados em ouro, como os contratos futuros que representam ouro na bolsa de valores e ETFs de ouro negociados no exterior.

Os fundos de investimento em ouro têm suas cotas negociadas em corretoras de valores e bancos de investimento, como os outros tipos de fundos de investimento.

Eles são uma das maneiras mais simples e acessíveis para o investidor comum se expor ao ouro. Embora seja possível comprar ouro na bolsa, é necessário ter um patrimônio elevado para negociar os contratos futuros de OZ1D, o código por meio do qual os contratos de ouro são negociados. Além disso, o mercado futuro não é recomendado para investidores iniciantes, que estão dando os primeiros passos na renda variável.

Ao investir em um fundo de ouro, o seu patrimônio vai se valorizar de acordo com a oscilação do preço do ouro ao longo do tempo, já que o fundo compra ativos lastreados no metal. 

Mas os fundos de ouro não visam à valorização no longo prazo, nem possuem uma gestão ativa por parte dos gestores. O objetivo é simplesmente se expor ao ouro, com a crença de que esse ativo pode funcionar como um colchão para os seus investimentos em períodos de crise.

Assim como você não contrata um seguro de carro torcendo para que ocorra um acidente e seja necessário acionar o seguro, você não investe em um fundo de ouro focado na valorização dessa cota no curto prazo. 

O objetivo dos investidores é proteger um percentual do patrimônio, já que o preço do ouro costuma ter um comportamento contrário ao mercado de ações: quando a aversão ao risco toma conta, parte dos investidores procuram ativos mais seguros, como dólar e ouro. Com isso, o preço do metal se valoriza.

Em 2019, parte dos investidores internacionais intensificou esse movimento, temendo uma recessão nos Estados Unidos e o fim do bull market do S&P 500, o principal índice das ações norte-americanas. Como resultado, o ouro fechou o ano valorizado em 28,1%. 

Por que investir em fundo de ouro

Agora que você entendeu como funciona um fundo de ouro, vamos conhecer os principais motivos para investir em um fundo de investimento em ouro.

Ouro é uma reserva de valor

O ouro é um dos metais mais antigos e valorizados do mundo, e tem um valor intrínseco, já que provou a sua utilidade ao longo dos anos. Ele é escasso e até hoje continua valioso, pelas propriedades do metal. 

Pelo fato de ter um valor intrínseco – o que não é o caso do dinheiro, por exemplo, que só possui valor porque alguém atribui valor a ele e o aceita como meio de pagamentos –, o ouro funciona como uma reserva de valor em momentos de crise.

Em geral, quando o mercado de ações se desvaloriza porque os investidores interpretam que o risco dos ativos aumentou, o preço do ouro cresce. Isso ocorre principalmente em meio a crises.

O ouro pode minimizar eventuais perdas nas suas aplicações

Ao se valorizar enquanto outros ativos perdem valor, o ouro ajuda a minimizar as perdas de uma carteira diversificada

Imagine, por exemplo, que você tenha R$ 100 mil aplicados, sendo metade em renda fixa, 40% em renda variável e 10% em um fundo de ouro. Se, em um ano, a renda fixa subir 4%, as ações caírem 30% e o ouro valorizar 15%, você terminará o ano com R$ 91,5 mil. Se, em vez de 10% em ouro, você tivesse 50% do montante renda variável, terminaria o ano com R$ 87 mil

Por isso, muitos investidores dedicam um percentual do patrimônio ao ouro para proteger parte da carteira, em especial nos momentos de turbulência do mercado financeiro

Fundos são a maneira mais fácil de investir em ouro

Embora haja outras maneiras de investir em ouro, como comprar contratos futuros na bolsa de valores ou comprar barras de ouro físicas, elas são mais complexas e burocráticas ao investidor comum. 

Para investir em um fundo de ouro, basta ter uma conta em uma corretora de valores e transferir o montante, que os gestores vão se responsabilizar pela negociação dos ativos e a respectiva custódia.

Como investir em fundo de ouro

Mas como investir em um fundo de ouro na prática? Montamos um passo a passo simplificado.

Defina seus objetivos

O primeiro passo é definir os seus objetivos para sua carteira de investimentos. Por que você quer investir em ouro? Qual o prazo? Qual percentual da sua carteira será destinada a esse ativo?

Compare os fundos de ouro à disposição nas corretoras

Definidas essas questões, você pode partir para a comparação entre os fundos de ouro à disposição no mercado financeiro. Não há mistério em relação aos ativos que eles adquirem, mas você precisa comparar custos, taxas de administração e investimento mínimo para encontrar aquele fundo de ouro que faz mais sentido para a sua necessidade. 

Alguns fundos, por exemplo, contam com variação cambial, porque também estão expostos ao dólar, mas essa característica depende de cada fundo.

Abra sua conta e invista

Depois de escolher o fundo de ouro, basta abrir a sua conta em uma das corretoras nas quais esse fundo é negociado, transferir o montante e comprar as respectivas cotas do fundo.

Diversifique a sua carteira

Uma carteira de investimentos com foco no longo prazo não pode ser formada apenas por fundos de ouro. O ideal é diversificar seus investimentos em diferentes classes de ativos, de acordo com os seus objetivos e o seu grau de aversão ao risco.

Se você quer ajuda para escolher os melhores ativos para o longo prazo, assine a Capital Research e tenha acesso à Carteira Capital, com relatórios completos sobre as melhores oportunidades do mercado de ações, fundos imobiliários e renda fixa.

Recomendados

Investimentos

Alta do dólar: as razões e seus impactos nos investimentos

...

2 anos atrás

Investimentos

Investir em dólar: veja 7 dicas e conselhos antes de comprar a moeda

Investir dólar pode fazer a diferença nos investimentos. Veja as principais dicas e ...

2 anos atrás

Investimentos

Fundo de dólar: o que é e por que investir

Investir em fundo de dólar pode diversificar sua carteira e proteger o patrimônio ...

2 anos atrás