DRA: o que é o Demonstrativo de Resultados Abrangentes?

Saiba o que é e para que serve o DRA. Veja também a importância de sua análise e como ele ajuda nos seus investimentos.

DRA

Na hora de analisar os dados financeiros de uma empresa para avaliar se o investimento vale ou não a pena, alguns documentos oficiais são essenciais. Um deles é o DRA (Demonstrativo de Resultados Abrangentes), que ajuda o investidor a visualizar os resultados por período, avaliação patrimonial, origem do patrimônio, entre outros itens.

O que é DRA?

Segundo as normas internacionais, o DRA mostra “uma alteração no patrimônio líquido de uma sociedade durante um período, decorrente de transações e outros eventos e circunstâncias não originadas dos sócios. Isso inclui todas as mudanças no patrimônio durante o período, exceto aquelas resultantes de investimentos dos sócios e distribuições aos sócios”.

Ou seja, o DRA — Demonstrativo de Resultado Abrangentes — é um documento produzido pelo setor contábil de uma organização que demonstra todos os dados afetados pelo balanço patrimonial.

O documento tem como objetivo manter atualizado a divisão entre o que é patrimônio da empresa e o que é de seus sócios. Ele também é ótimo para que investidores entendam a fundo a situação da empresa candidata a receber o investimento.

Este documento faz parte de uma série de outros papéis importantes para o fechamento do ano fiscal de um empreendimento, como Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL), Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC), balanço patrimonial e outros.

Em 2009, a emissão do DRA se tornou obrigatória através da publicação do Pronunciamento Técnico nº26 do Comitê de Pronunciamento Contábil (CPC), fazendo parte das Normas Internacionais de contabilidade.

Que dados um DRA precisa conter?

Segundo a CPC 26, há pelo menos alguns itens obrigatórios na produção de uma DRA, com base nos lucros líquidos obtidos através do DRE (Demonstrativo de Resultado do Exercício), mesmo que essa obrigatoriedade não esteja disposta na Lei n. 6.404/1976. São eles:

  • Resultado líquido do período.
  • Descrição dos outros resultados abrangentes classificados conforme sua natureza.
  • Demais resultados abrangentes de empresas investidas reconhecida por meio do método de equivalência patrimonial.
  • Resultado abrangente total do período.

Este último, resultado abrangente  total do período, ainda inclui:

  • Avaliação patrimonial ajustada.
  • Variações da reserva de reavaliação.
  • Ganhos e perdas em planos de pensão.
  • Ganhos e perdas oriundos de conversão de demonstrações de operações no exterior.

Apesar de conter dados da DRE, a DRA não deve ser apresentada unificada ao outro demonstrativo. A regulamentação prevê que “a demonstração do resultado abrangente pode ser apresentada em quadro demonstrativo próprio ou dentro das mutações do patrimônio líquido”, ou seja, da DMPL.

Leia também: Investidor Anjo – Entenda o que é e como pode ajudar em seu negócio.

Por que é importante analisar o DRA?

Com a divisão feita entre os bens de sócios e empresa, o investidor consegue analisar a real situação financeira da empresa, assim como projetar seus lucros. É este documento, também, que terá informações cruciais na hora de avaliar a saúde financeira do negócio, como o desempenho e fluxo de caixa, disponíveis não só ao investidor como a todos que tiverem algum interesse contábil, como bancos e governo.

Toda mudança deve ser informada nesse demonstrativo, por parte da empresa. Com isso, é possível estar atualizado sobre todos esses pontos. Além disso, como investimentos não são feitos “de uma hora para a outra”, o investidor pode reunir as últimas DRAs e avaliar os crescimentos, declínios ou mudanças de desempenho que possam afetar positiva ou negativamente no futuro.

Como o DRA pode ajudar na decisão de investimento?

Antes de investir, deve-se analisar o fluxo financeiro do empreendimento, entender suas entradas e saídas, lucros e deficits, patrimônio da organização e dos sócios e prever qual será o retorno sobre o investimento feito.

Documentos financeiros oficiais são ótimos meios de se ter todas as informações necessárias para avaliar os riscos de um investimento. É a partir deles que o investidor poderá analisar se o aporte investido valerá a pena, como citado no parágrafo anterior.

Com uma análise aprofundada dos DRAs, o investidor terá mais segurança em inserir os seus bens no empreendimento, sabendo como a empresa se comporta financeiramente quando o assunto é o seu patrimônio.

É importante lembrar que informações como investimentos originários de aporte dos sócios e demais itens patrimoniais que os incluem diretamente, não constam neste documento. Já itens como ativos e passivos futuros, ou seja, que ainda não foram recebidos, mas que já são previstos, também podem ser encontrados nestes papéis.

Gostou do artigo? Que tal receber mais dicas importantes como essa? Abra hoje mesmo sua conta no Capital Research.

Recomendados

Investimentos

BDR: Invista no exterior, sem sair do Brasil

Conheça as vantagens e desvantagens do BDR, os fundos que investem em títulos de ...

2 anos atrás

Investimentos

Custo de Oportunidade: quando vale a pena?

Entenda até onde pode ser vantajoso abrir mão de um benefício em prol de outra ...

2 anos atrás

Investimentos

Empresas listadas na B3: quais são e como investir?

Está pensando em investir em ações mas não sabe como começar? Veja o que é a ...

3 anos atrás