O que é circuit breaker e como ele protege seu investimento

Circuit breaker é um mecanismo de proteção na bolsa de valores contra a alta volatilidade no mercado de ações. Veja como funciona

O circuit breaker é daqueles conceitos básicos para investir em ações.

Afinal, como você deve saber, operar com ativos financeiros de alto risco requer preparo. 

Em alguns momentos, o valor de uma ação ou da bolsa pode cair repentina e drasticamente. 

O circuit breaker, nesses casos, é uma forma de acalmar os ânimos quando notícias de grande impacto provocam oscilações severas nos preços.

Imagine, por exemplo, uma notícia como a Crise dos Subprimes que, em 2008, provocou um dos maiores colapsos financeiros da era moderna e contemporânea. 

Certamente um evento desses faz com que o mercado financeiro sofra forte abalo. 

Como fazer, então, para evitar a fuga em massa de capitais?

A resposta está em uma espécie de “botão vermelho”, acionado apenas em casos de extrema urgência. 

Veja, neste artigo, como ele funciona e que critérios são necessários para ele ser utilizado.

O que é circuit breaker?

Em uma conceituação mais ampla, circuit breaker se trata de um mecanismo protetivo. 

Ele entra em ação quando a bolsa de valores B3 (antiga BM & FBovespa) registra queda igual ou superior a 10% no valor de seus papéis.

“Mas será que é possível o valor de uma ação cair tanto assim de uma hora para outra”? 

Na verdade, oscilações desse nível são realmente raras, mas elas acontecem, e em uma frequência maior do que se pode imaginar. 

Como veremos mais à frente, embora não sejam muitos os casos, grandes quedas na B3 não são propriamente uma exceção.

Assim, sendo, é necessário uma medida de emergência que evite que uma queda abrupta no preço das ações leve a uma debandada geral de investidores. 

Portanto, o circuit breaker é uma espécie de contenção, no sentido de evitar estragos ainda maiores.

Para que serve o circuit breaker?

Quando a bolsa de valores aciona o circuit breaker, é como se ela estivesse dizendo “vamos paralisar nossas atividades até que o mercado volte ao seu estado de normalidade”. 

Por isso, ela congela a compra e venda de ações, pelo menos de forma provisória, até que a notícia bombástica seja assimilada. 

Isso dá tempo para os investidores e empresas de capital aberto pensarem no que fazer em um instante de crise, ajudando a tomar decisões longe do calor da emoção. 

Como se sabe, o mercado financeiro é altamente técnico e uma negociação realizada sob forte estresse apresenta altíssima chance de redundar em mais perdas. 

Logo, ao parar o pregão, a bolsa preserva a capacidade de negociação de seus players enquanto dá tempo para o mercado reagir e, assim, escapar de um colapso.

Como o circuit breaker funciona?

Notícias de grande impacto para o mercado financeiro são, em geral, previamente conhecidas antes mesmo de começar o pregão. 

A bolsa, normalmente, monitora eventos como encontros de cúpula, discursos presidenciais e reuniões de órgãos reguladores. 

Dessa forma, ela busca se antecipar, antecipando os investidores sobre os fatos que podem provocar quedas ou subidas elevadas de preços.

Acontece que há notícias totalmente imprevistas e que, por esse motivo, não deixam margem de manobra para o mercado dar uma resposta sem uma grande oscilação. 

Quando isso acontece, o circuit breaker é acionado, desde que a queda provocada pela notícia seja, como dissemos, igual ou maior do que 10%.

Contudo, uma grande queda na bolsa pode não ser estancada nesse percentual. 

É por isso que a B3 estipula algumas regras para cionamento desse mecanismo de proteção. 

Além disso, deve-se medir o tempo de paralisação, que não pode se estender indefinidamente.

Veja agora que regras são essas.

Regras para o circuit breaker

Desde que a queda chegue aos 10%, entra em cena a contagem para começo e fim do circuit breaker. 

Nesse primeiro momento, a bolsa é paralisada em todas as suas atividades por 30 minutos.

Se, após retornar as operações a queda continuar, chegando aos 15%, então um segundo circuit breaker é acionado. 

Nesse caso, o tempo de paralisação é de uma hora. 

Caso a queda continue após a reabertura e chegar a 20%, o circuit breaker é acionado pela terceira e última vez no dia. 

Quando isso acontece, a bolsa encerra as atividades, se responsabilizando por anunciar uma nova data para reabrir.

Vale destacar que, se um evento de grande impacto econômico acontecer na última meia hora de funcionamento, o circuit breaker deverá ser acionado apenas no pregão seguinte. 

Ou seja, ele deverá começar meia hora depois do horário normal.

Exemplos de ativações do circuit breaker

Instituído pela bolsa de São Paulo em 1997, o circuit breaker, desde então, foi utilizado em alguns dos momentos mais críticos da nossa economia. 

Conheça os principais fatos que fizeram a B3 parar, em alguns casos, mais de uma vez no mesmo dia.

 

Crise dos Subprimes

Em 2008, o mercado financeiro mundial estremeceu diante do escândalo dos subprimes nos Estados Unidos. 

De forma bastante resumida, essa crise teve origem em uma espécie de moratória, em que as pessoas simplesmente deixaram de pagar suas hipotecas.

A economia de todo o mundo depende do mercado norte-americano e com o Brasil não é diferente. 

Por isso, tivemos circuit breaker nos dias 29 de setembro, 2, 10, 15 e 22 de outubro e duas vezes no dia 6 do mês 10.

 

Escândalo JBS 

O mais recente circuit breaker da história da B3 aconteceu em 2017, quando veio à tona o escândalo envolvendo o empresário Joesley Batista, da JBS. 

Em 18 de maio, ele apareceu na mídia com uma gravação, na qual fazia uma grave denúncia contra o então presidente Michel Temer. 

Nesse dia, a bolsa foi paralisada por 30 minutos e seu site inclusive saiu do ar.

 

Queda do Real

Em 1999, o Real sofreu uma forte desvalorização perante o dólar. 

Essa perda de valor, por sua vez, foi causada pela compra de moeda norte-americana pelo governo brasileiro no mercado futuro. 

Resultado: nos dias 13 e 14 de janeiro desse ano, a bolsa foi paralisada duas vezes, uma em cada dia.

O circuit breaker, como vimos ao longo deste artigo, é uma medida emergencial. 

De qualquer forma, ele ajuda a proteger principalmente o pequeno investidor, sempre o mais vulnerável em momentos de crise.

Aqui no blog da Capital Research é assim. Informação sobre o mercado financeiro de forma simples e sem complicação.

Aproveite para acessar nosso site e descobrir mais sobre como encontrar as melhores oportunidades de investimento de forma gratuita.

Obrigado pela leitura!

Recomendados

Investimentos

Como comprar ações: 6 dicas para quem quer ingressar nesse mercado

...

3 anos atrás

Investimentos

Entenda o que é capital fixo e confira as principais dúvidas sobre o assunto

Vamos explicar o que é o capital fixo, respondendo as principais questões que ...

3 anos atrás

Investimentos

Fusões e Aquisições: como o processo de M&A influencia nos investimentos

Fusões e aquisições, ou (M&A), são acontecimentos comuns no mercado financeiro. ...

3 anos atrás