CFDs: o que são os contratos por diferença

Quer entender melhor o que são CFDs e como esses contratos são negociados em bolsa? Tire todas as suas dúvidas no nosso guia.

CFDs

Os CFDs são instrumentos de negociação de ativos que oferecem alta alavancagem e acesso aos maiores mercados globais.

Com esses contratos derivativos, você tem um grande potencial de retorno e baixa necessidade de capital —  desde que saiba analisar os riscos e prever as oscilações do mercado.

No caso, seus ganhos vêm da diferença entre os preços de compra e venda, em uma operação que exige apenas uma taxa de margem.

Quer entender como funcionam os CFDs e como você pode negociá-los?

Então siga a leitura.

O que é CFD, o contrato por diferença

A sigla CFD significa Contract For Difference em inglês, traduzida para contrato por diferença.

Trata-se de um contrato derivativo firmado entre dois investidores, que tem como objeto apenas a liquidação financeira sobre um título — e não sua liquidação física.

Ou seja: ao comprar um CFD, você absorve somente a variação financeira do ativo, sem precisar adquiri-lo propriamente.

Dessa forma, a negociação é feita com base no valor da diferença entre a cotação de abertura e cotação de fechamento de um determinado ativo.

Se o ativo tiver alta, o comprador do CFD ganha a diferença entre o preço final e o preço inicial.

Mas, se houver baixa e o resultado for negativo, ele terá que pagar a diferença ao vendedor.

Logo, quando a intenção é especular, os traders utilizam esses contratos para lucrar com a baixa ou ganhar com a alta dos ativos.

Em relação às classes de ativos, os CFDs podem ser operados em ações, índices, títulos, commodities, entre outros.

Esse tipo de contrato costuma ser utilizado por investidores mais agressivos, que desejam tomar e liquidar posições em curto prazo e tirar proveito especulativo de títulos.

Geralmente, é preciso deixar uma margem de 10% de garantia para um CFD de ação, o que permite ao investidor alavancar seus ganhos utilizando menos dinheiro.

Isso porque, mesmo que você invista apenas 1% do valor (de acordo com a margem exigida), terá direito aos ganhos e perdas de quem paga 100%.

Porém, da mesma forma que é possível ganhar muito investindo pouco, os riscos de perda também são altos — daí a importância da experiência nesse tipo de operação.

Tipos de CFDs no mercado financeiro

Confira, a seguir, alguns dos principais tipos de CFDs disponíveis:

Forex (Foreign Exchange)

Quando se trata da negociação de moedas, os CFDs estão entre os contratos mais utilizados no Forex (Foreign Exchange, ou mercado de divisas).

Graças à volatilidade e às mudanças de tendência desse mercado, há várias possibilidades para especular sobre a taxa de câmbio.

Ações

Na bolsa de valores, o CFD é um importante instrumento para negociar ações utilizando apenas uma margem do volume financeiro operado.

Ao contrário das ações em propriedade, esse tipo de contrato requer menos capital e favorece a alavancagem.

Logo, os CFDs de ações, ou de “ativos subjacentes”, são muito utilizados para lucrar com os preços de compra e venda.

Índices

Para aproveitar as oscilações dos índices, também é possível abrir CFDs com base nos indicadores das maiores bolsas globais.

Para isso, é preciso estar atento aos gráficos de volatilidade, spreads cobrados por corretoras e taxas de margens de cada bolsa.

Commodities

Outro tipo comum de CFD é aquele operado com commodities como ouro, prata e petróleo.

Uma das principais vantagens desse tipo de contrato é ter a chance de lucrar com as variações de cotação das matérias-primas sem custos adicionais.

Exemplos de negociação de CFDs

As negociações de CFDs são realizadas no mercado de balcão, também conhecido como OTC (over-the-counter).

Essa característica traz mais flexibilidade e a possibilidade de negociar um amplo leque de ativos, acessando outros mercados financeiros.

Vamos considerar um exemplo básico de negociação de uma CFD de ação.

Suponha que uma ação da empresa X custe US$ 50,00 e você decida adquirir um contrato por diferença para 1.000 ações, especulando sobre a alta do valor.

Para isso, você terá que deixar uma garantia de 10% para a corretora, no valor de US$ 5.000,00.

Se o preço subir para US$ 53,00 na cotação final, você receberá sua garantia de volta mais os US$ 3.000,00 de diferença, descontando apenas o spread e comissões cobrados pela corretora.

Mas, se por acaso as ações caírem para US$ 47,00, você terá um prejuízo de US$ 3.000,00.

Da mesma forma, as corretoras oferecem CTDs de índices como o NASDAQ, que é o segundo mercado de ações mais importante dos EUA e conhecido pela predominância das ações de empresas de tecnologia (A Apple é uma das principais).

Nesse caso, você pode comprar contratos por diferença antecipando as altas de baixas dessa bolsa, analisando o desempenho do mercado de informática e internet nos EUA.

Viu como os CFDs oferecem inúmeras oportunidades de negociação e alavancagem (mesmo com pouco capital)?

Mas, obviamente, os riscos envolvidos são altos, e você precisa de uma boa bagagem em investimentos para operar com esses contratos.

Para aumentar sua segurança, você pode contar com os conteúdos exclusivos da Capital Research, que auxilia na escolha das melhores aplicações para todos os perfis de investidores — dos iniciantes aos experientes.

Aproveite para deixar seu comentário e tirar suas dúvidas sobre CFDs e derivativos.

Recomendados

Investimentos

ADR: o que é, como funciona e as vantagens de se investir

Entenda o que é American Depositary Receipt (ADR), como funciona, quais as ...

3 anos atrás

Investimentos

Anbima CEA: tudo sobre a Certificação de Especialista em Investimentos

Entenda mais sobre como essa certificação pode ser importante para você e quais ...

3 anos atrás

Investimentos

Análise de custos: o que é, para que serve e como fazer

Entenda a importância, quais os métodos mais utilizados e de que forma a análise ...

3 anos atrás