Bear market: o que é e quanto tempo dura

Entenda o que é bear market, funcionamento na prática e quais são os sinais de queda nos preços do mercado de ações.

Já ouviu falar em bear market, mas não sabe o que significa? Em poucas palavras, trata-se de um período de queda e pessimismo nos preços das ações no mercado.

Investidores devem entender como ele funciona na prática, pois uma queda generalizada impacta diretamente nos investimentos na Bolsa de Valores. 

Quer entender melhor o assunto? Confira neste guia o que é bear market, por que ele ocorre e quanto tempo dura.

O que é bear market 

Bear market é um termo que sinaliza um estado de pessimismo no mercado, em que os preços das ações caem juntamente com a expectativa geral dos investidores.

Bear market x bull market

Em uma tradução para o português, bear market significa mercado de urso. A expressão significa que o mercado ou determinado setor está em baixa.

Sendo assim, o reflexo é a queda dos preços das ações nas bolsas de valores. Como consequência, a expectativa dos investidores é cada vez menor.

Já o bull market é o fenômeno oposto: consiste no mercado em alta. Em português, bull market significa mercado de touro.

Nesse fenômeno, os investidores passam por um período de otimismo em relação ao mercado. Os preços das ações aumentam, e a demanda por elas fica cada vez maior.

Bearish x bullish

O bear market e o bull market geralmente são acompanhados por outros dois termos: bearish e bullish.

Dito de forma simples, bearish é a designação para um cenário em que investidores mantém expectativas baixas, pois acreditam na queda dos preços no mercado. á bullish é o nome dado para o cenário contrário, em que investidores estão otimistas e acreditam na subida dos preços de ações.

Origem do termo bear market

A explicação mais aceita atualmente sobre a origem do termo bear market é do professor da Universidade de Harvard Richard S. Tedlow.

De acordo com ele, os termos bear market e bull market são analogias às formas como os ursos e os touros atacam suas presas.

Em seu livro Denial (Editora Penguin, 2010), Tedlow explica a ideia por trás dos conceitos. “Quando um urso ataca suas presas, ele as agarra de cima para baixo. Quando um touro ataca suas presas, ele as atira para cima com os chifres”, esclarece o professor.

4 sinais de bear market

Compreendeu o conceito de bear market? Agora é importante conhecer os sinais de que o mercado enfrenta um período de quedas. 

Confira a seguir quatro sinais do bear market:

1. Bolsas caem ou andam de lado

O sinal mais fácil de identificar é a queda na Bolsa de Valores e lateralidade nos preços dos ativos, que significa que as ações e outros ativos financeiros estão com preços mais baixos. É justamente como funciona o bear market na prática. 

2. A incerteza é grande

Quando o mercado passa por períodos de incerteza, os investidores tendem fugir dos ativos de risco. Consequentemente, com menos investimento na Bolsa de Valores, os preços das ações caem. 

3. Investidores desistem da renda variável

Outro sinal de bear market é o deslocamento de investidores da renda variável (ações) para a renda fixa (Tesouro Direto, por exemplo). 

Além da bolsa em queda, a desistência da renda variável ocorre sobretudo quando a taxa de juros da economia está elevada, o que resulta, na prática, retornos mais altos para os investidores que compram títulos públicos. 

4. A crise parece não ter fim

Em períodos de instabilidade econômica, conforme vimos, os investidores aplicam menos em ações. A razão é que esses ativos têm maior risco e volatilidade

Por isso, quando não há perspectivas de melhora na economia, a tendência é que os investidores não tenham tanta confiança para comprar ações. E esse movimento tende a parecer muito longo. 

A explicação é relativamente simples: quando o fim da crise se aproxima ou quando o mercado antevê uma luz no fim do túnel, já se antecipa e encerra o bear market antes mesmo que a economia real acione todas as suas engrenagens.

Quanto tempo dura um bear market? 

De acordo com o investidor e trader James Chen, o bear market pode durar vários anos ou apenas algumas semanas. É o que ele explica em um artigo para o site Investopedia.

“Um bear market secular pode durar de 10 a 20 anos e é caracterizado por retornos abaixo da média em uma base sustentada”, afirma.

Nesse caso, segundo Chen, pode haver bear markets seculares em que ações ou índices se recuperam por um período, mas com ganhos que não se sustentam e com preços que voltam a cair.

Mas como os bear markets se aplicam na economia brasileira?

Em um artigo para o site da plataforma Investing, o trader Márcio Lemos se propõe a identificar um padrão nos períodos de bear market na Bovespa, Bolsa de Valores de São Paulo.

Segundo ele, até hoje, a Bovespa teve quatro grandes ciclos de baixa de longo prazo.

Ao analisar o histórico da bolsa em dólares, Lemos observou os seguintes períodos de bear market:

  1. De 1971 a 1983 (12 anos): queda de 81,3%
  2. De 1986 a 1991 (5 anos):  queda de 90,4%
  3. De 1997 a 2003 (6 anos): queda de 82,8%
  4. De 2008 até 2016 (8 anos) com queda de 80%.

Ou seja: a Bolsa de Valores brasileira apresentou até agora períodos de longo prazo de queda, com pelo menos cinco anos cada. Mas vale lembrar que esses bear markets podem ser analisados em janelas mais curtas e apresentar cenários de alta, ok? E agora, será que o conceito ficou mais claro? Assine a nossa newsletter e fique sempre bem informado sobre o mundo dos investimentos

Recomendados

Investimentos

Bullish: o termo que todo mundo quer ouvir no mercado financeiro

Mercado operando em alta e clima de otimismo entre acionistas tem nome: bullish. ...

3 anos atrás

Investimentos

Bull x Bear: mercado em alta contra o mercado em baixa

A simbologia “touro versus urso” representa as subidas e descidas nos valores dos ...

2 anos atrás

Investimentos

Bull market: entenda o mercado em alta e como o coronavírus reverteu o cenário

O bull market é o cenário de alta no mercado, mas a crise do coronavírus inverteu ...

2 anos atrás