Ágio: o que é e como calcular nos investimentos

O ágio é um termo importante para quem investe em renda fixa e variável. Descubra como ele se aplica nas finanças.

Você sabe o que é ágio e como ele interfere nos seus investimentos?

Então é hora de entender melhor esse conceito.

Em poucas palavras, o ágio é o valor excedente referente à compra ou venda de uma mercadoria ou ativo financeiro por um preço acima do valor de mercado.

Ele está presente, por exemplo, nas negociações de títulos de renda fixa, como Tesouro Direto, e CDBs (Certificados de Depósitos Bancários) no mercado secundário.

E também se encontra longe da renda fixa, quando há urgência na compra de um imóvel ou automóvel.

Ficou curioso e quer ampliar a sua compreensão?

Então siga a leitura e tire suas dúvidas sobre o tema.

O que é ágio

Ágio é o preço adicional que resulta da troca de um valor por outro.

Explicamos: é o valor adicional que é cobrado a mais por uma determinada mercadoria, investimento ou operação financeira, compondo a diferença entre o valor de mercado e o preço que é, de fato, cobrado.

Por isso, o ágio também pode ser considerado como juros para quem paga e lucro para quem vende. 

Ainda parece um conceito abstrato? Tudo bem, alguns exemplos práticos facilitam a compreensão nessa hora.

Imagine que você financiou um apartamento de R$ 300 mil, mas, devido ao número de parcelas, haverá incidência de juros.

No total, a conta fecha em R$ 350 mil devido à taxa. Nesse caso, os R$ 50 mil excedentes são considerados como ágio.

Agora pense na dinâmica de um leilão. A mercadoria vendida parte de um valor mínimo, mas ele aumenta conforme as pessoas fazem lances. 

No fim das contas, o item é vendido com preço acima do valor definido previamente. 

A diferença excedente entre o valor inicial e o valor final consiste no ágio.

Ágio x deságio

Conforme você acabou de ver, o ágio é a diferença de valor excedente quando uma mercadoria ou ativo é comprado acima do valor de mercado.

Portanto, trata-se do valor adicional sobre determinado item.

Agora, não é difícil compreender o conceito de deságio. 

O deságio é contrário do ágio. 

Ou seja: ele consiste na aquisição de mercadorias ou ativos abaixo dos preços praticados no mercado.

Quando um investidor compra um título de investimento abaixo do valor nominal, a diferença em relação ao valor pago consiste no deságio.

Esse exemplo vai ficar muito claro no próximo tópico, no qual trataremos do caso do Tesouro Direto, que envolve ágio e deságio na compra e na venda dos títulos.

Exemplo de ágio nos investimentos

O ágio tem impacto direto nos investimentos e, portanto, deve ser um conceito analisado por quem faz aplicações financeiras, independentemente do tipo de investimento realizado.

Para melhor a compreensão sobre o assunto, veja abaixo um exemplo de como o ágio funciona na prática. 

No Tesouro Direto, os títulos podem ser vendidos e comprados com ágio ou deságio (normalmente bem pequenos).

Isso pode ser visto na relação de títulos e preços do site do Tesouro Direto.

Ali você encontra a seguinte chamada: “Preços e taxas de referência dos títulos públicos disponí veis para investir”.

Então, surge a tabela de preços dos títulos para quem vai comprar.

Ao fim dela, há uma outra chamada, menor: “Preços e taxas de referência dos títulos públicos disponíveis para resgatar”.

Clicando nela, é possível ver uma tabela que antes estava escondida, com os valores dos títulos para venda.

Ou seja, os mesmos títulos têm preços diferentes de compra e venda.

Isso significa que eles sofrem ágio ou deságio, dependendo das condições do mercado.

Importância do ágio nos investimentos

Entender a dinâmica do ágio é fundamental para direcionar investimentos em títulos.

No mercado secundário de renda fixa, por exemplo, o ágio e o deságio podem ter grandes impactos nos valores das aplicações.

Isso significa que se você compra um título e deseja vendê-lo antes do prazo de resgate, pode sofrer um deságio considerável, com potencial de arruinar a rentabilidade até ali.

Esse tipo de situação de risco se observa em qualquer cenário de compra e venda em que o vendedor precise fazer uma venda urgente e não tenha a liquidez necessária.

Um carro pode ser vendido por um preço muito mais baixo do que o de mercado se houver urgência na transação.

O mesmo ocorre com imóveis, por exemplo.

Nesse caso, o deságio pode ser brutal.

E para não sofrer esse tipo de desilusão nos investimentos, é preciso estudar o mercado, compreender renda fixa e variável e buscar conhecimento de qualidade.

Nessa jornada, conte com a Capital Research para ter acesso às melhores informações, às grandes oportunidades e a uma carteira completa e diversificada para proteger e multiplicar seu patrimônio.

Com essa mentalidade de aprendizagem e o nosso apoio, você tende a fazer investimentos cada vez melhores.

Gostou das dicas deste texto?

O conceito do ágio ficou mais claro?

Deixe um comentário e compartilhe este artigo nas suas redes sociais.

Recomendados

Investimentos

Deságio: o que é, importância e como calcular

Em dúvida sobre o que é deságio e a diferença para o ágio? Confira nosso guia ...

2 anos atrás

Investimentos

Bens inferiores: o que são, principais conceitos e exemplos práticos

Neste artigo, exploramos como são caracterizados os bens inferiores, os desafios de ...

3 anos atrás

Investimentos

Ativo diferido: o que é e como funciona

Ativo diferido é uma espécie de despesa pré-operacional, cujo benefício só é ...

2 anos atrás