Bens inferiores: o que são, principais conceitos e exemplos práticos

Um conceito bastante utilizado na economia é o de bens inferiores, que estão em maior demanda principalmente entre os cidadãos que fazem parte da classe baixa e média.

Bens inferiores

Quer entender mais sobre o assunto? Neste artigo, vamos explorar o conceito de bens inferiores, mostrando o que são, quais são os principais desafios de quem produz e também alguns exemplos bem esclarecedores. Confira!

O que são bens inferiores?

Bens inferiores são os que substituem um bem normal, com preços mais baixos, porém, não tendo a mesma percepção de qualidade.

A característica, portanto, desse ramo é que a demanda por produtos ou serviços aumenta à medida que a renda da população cai. Ou seja, são de baixa qualidade, porém, mais acessíveis.

Governos e pesquisadores podem usar a demanda e oferta de bens inferiores e normais para avaliar os padrões de vida em um determinado país.

Um aumento na demanda por bens inferiores e ao mesmo tempo uma diminuição geral na demanda por bens normais sinaliza tempos econômicos ruins em determinada economia.

Até alguns anos atrás, eram considerados bens inferiores todos os produtos de baixa qualidade, incluindo produtos estragados, como por exemplo, ovos quebrados e sapatos com defeitos de fábrica.

Porém, ao longo das décadas, a maioria dos consumidores tornou-se cada vez mais consciente dos custos e as organizações passaram a fabricar produtos inferiores como seus principais produtos.

Dois fatores que influenciam bastante a procura são o preço dos bens e serviços e o rendimento disponível dos agentes econômicos.

Assim, os bens ou serviços cuja procura sofrem um acréscimo quando se verifica um aumento do rendimento denominam-se bens normais, precisamente porque se enquadram dentro de um critério de normalidade.

O desafio dos produtores de bens inferiores

Geralmente, países que sofrem com crises econômica, estimulam o consumo de bens inferiores, afinal, a população está com uma renda reduzida e não consegue adquirir bens mais valiosos, decidindo optar por produtos de bens inferiores.

Por outro lado, em momentos de expansão de renda, um dos principais desafios das empresas que trabalham com bens inferiores é incorporar valor à marca, deixando essa individualidade para trás.

Exemplo da Havaianas

Um dos exemplo mais conhecidos é o das Havaianas, que foi capaz de reformar completamente seu conceito, aproveitando o cenário econômico.

Esse modelo de sandália foi criado em 1962 pela empresa Alpargatas, surgindo no Brasil como um produto bom e acessível para todos os públicos.

Ao longo dos anos, a marca foi ganhando espaço internacional e se tornando um bem mais valioso, deixando a característica dos bens inferiores de lado, para se tornar um produto mais elitizado, por exemplo, utilizando celebridades para mostrar que as Havaianas poderiam compor um look mais luxuoso,  se valendo de informações como: “entre anônimos e famosos, não há quem não tenha um par”.

Exemplos de bens inferiores

É possível citar vários exemplos de bens inferiores, afinal, ele faz parte do cotidiano do cidadão e está presente em diversas situações.

Um muito simples que é possível citar logo de cara são as passagens de ônibus. Imagine que uma pessoa recebe um salário mínimo e tenha que deslocar-se para o seu trabalho todos os dias utilizando o transporte público.

Caso este trabalhador receba um super aumento de salário e passe a receber mais de R$ 15 mil por mês, você acha que ele iria continuar gastando seu salário com mais passagens de ônibus? Provavelmente não né?

Afinal, este trabalhador utilizaria a nova renda adicional para investir em um veículo próprio, diminuindo desta forma, sua demanda pelo transporte público.

Em outras palavras, quanto maior for a renda dos trabalhadores, menor será a demanda pelo transporte público e consequentemente é possível concluir que passagens de ônibus são um bem inferior.

Mais exemplos de bens inferiores são: restaurantes populares, cervejas mais baratas, planos de celulares pré pagos, enfim, tudo que tem um valor de mercado inferior a outro produto com maior qualidade.

Como mencionado, os bens inferiores são fundamentais para a economia, possibilitando que cidadãos de menores rendas tenham acesso a produtos fundamentais. Além disso, vimos que a situação econômica do país é determinante para o consumo de bens inferiores, bem como exemplos claros de como esses bens estão presentes na rotina dos trabalhadores.

Gostou deste artigo? Quer receber mais dicas sobre como investir no mercado financeiro? Então, acompanhe a Capital Research e assine nossa Newsletter!

Recomendados

Investimentos

Conheça os 7 melhores aplicativos de controle financeiro

Selecionamos os melhores aplicativos de controle financeiro para você. Saiba qual o ...

3 anos atrás

Investimentos

Aprenda como calcular prestações, de forma rápida e prática

Calcular suas prestações é essencial, não importa qual seu ramo de negócios. ...

3 anos atrás