Volatilidade: entenda o que é e como afeta o mercado

Entenda o que é volatilidade, como afeta o mercado, os tipos e como você pode usar para os seus investimentos.

Seja para um investidor experiente ou para um iniciante, a volatilidade é um conceito fundamental para nortear a estratégia das aplicações. Este é o indicador utilizado para avaliar o risco de um ativo ou mesmo de um mercado.

O apetite de risco de um investidor – seja ele conservador, moderado, arrojado ou agressivo – deve estar alinhado à carteira que ele se propõe a fazer. Por isso, compreender a volatilidade dos ativos e suas potenciais oscilações é vital para entender todos os riscos assumidos a cada operação.

Mas e aí…o que é volatilidade?

No campo das finanças, o índice de volatilidade é a mais utilizada mensuração de risco de uma aplicação, a partir da análise de como o preço do ativo varia em relação ao seu valor médio ou atual, seja em aplicações de renda fixa ou variável.

A volatilidade está relacionada à intensidade e à frequência dessas oscilações em um período determinado de tempo. Com base nesses dados, o investidor consegue fazer uma análise preditiva do comportamento do ativo no futuro e estudar a melhor forma de incrementar a sua rentabilidade.

Quanto maior a variação de preço de um ativo, maior é a sua volatilidade. Logo, quanto mais volátil, mais instável e, consequentemente, mais arriscado.

Relação risco x volatilidade

O risco financeiro de uma aplicação é, geralmente,medido pela volatilidade. Você já deve ter ouvido falar que quanto maior o risco de um investimento, maior o retorno esperado. Porém, já deve ter escutado também que quanto maior a altura, maior a queda.

Essas ideias estão diretamente ligadas à volatilidade. Por isso, é praticamente impossível abordar esse assunto sem falar de risco.

No âmbito financeiro, o risco é o grau de incerteza em relação ao retorno do investimento. O risco exprime a possibilidade de perder dinheiro (podendo ser até mais do que foi investido para algumas categorias de ativos) em determinada aplicação. Desta forma, se a chance da rentabilidade for pequena, a matemática é simples: o risco é alto.

Risco e rentabilidade andam lado a lado. E fica a critério do investidor decidir quais riscos está disposto a correr para alcançar uma maior lucratividade. Para isso, ele deve estar atento à volatilidade da aplicação.

Tipos de volatilidade

Volatilidade histórica

Como o próprio nome diz, é aquela que se baseia em fatos passados. É calculada a partir das variações de preço de um ativo em um período de tempo determinado. Com essa análise, é possível ter uma estimativa da volatilidade da aplicação no futuro. Porém, dadas as incertezas do mercado, isso não significa que essa previsão irá se realizar. Trata-se de uma análise preditiva da volatilidade do ativo. 

Volatilidade implícita

É a volatilidade que o mercado está praticando atualmente. É calculada com base na volatilidade histórica e outras variáveis, como os derivativos da bolsa de valores. Pode ser uma maneira de estimar o futuro. Entretanto também é instável, visto que muda rapidamente. Por isso, também é necessário analisar a volatilidade histórica.

Volatilidade real

Parece irônico, mas a volatilidade real é também conhecida como futura, portanto é desconhecida. E quando for conhecida, passará a ser histórica, uma vez que o futuro é incerto.

A imprevisibilidade é o que dá sentido ao mercado financeiro. Portanto, o que está ao nosso alcance é tentar prever o comportamento dos preços no futuro, a partir dos indicadores de volatilidade histórica e presente. Esses dados servem para projetar possíveis cenários e nortear estratégias. Mas sem garantia efetiva. Afinal, o risco é um efeito colateral do funcionamento do mercado. E essa é a única certeza quando o assunto é investimento em ativos muito voláteis.

Como a volatilidade impacta o mercado

Os impactos da volatilidade estão diretamente ligados às possibilidades de ganhos e perdas relacionadas aos ativos. Confira abaixo as vantagens e desvantagens de cada tipo de investimento:

Tipo de Investimento

Volatilidade

Vantagens

Desvantagens

Poupança

Baixa

Baixo risco, segurança e previsibilidade.

Ganhos reais mais baixos, podendo não cobrir a inflação do período.

Tesouro Direto

Baixa

Baixo risco, segurança.

Investimento de longo prazo, podendo ser pré ou pós fixado.

Renda Fixa

Baixa

Baixo risco, segurança.

Investimento pode ter liquidez diária ou não, também podendo ser pré ou pós-fixado.

Fundos de Renda Fixa

Baixa

Baixo risco, segurança.

Fica suscetível a pequenas variações do mercado, mas dada a baixa volatilidade ainda é indicado para pessoas com perfil conservador e moderado.

Debêntures

Moderada

Ativos de renda fixa. Rendimento previsível.

Não possui a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Fundos Multimercados

Moderada

Maior liberdade de gestão dos ativos. Objetivo de superar o CDI. Indicado para diversificação de carteira.

Volatilidade maior que as opções de renda fixa.

COEs

Moderada

Mescla crédito emitido por instituição financeira e derivativos.

Não possui a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Fundos de Ações

Alta

Indicado para perfis de investidores arrojados a agressivos. Possibilidade de ganhos maiores.

Muita volatilidade.

Ações

Alta

Indicado para perfis de investidores agressivos. Possibilidade de ganhos maiores.

Muita volatilidade.

 

Dá para usar a volatilidade para fazer bons investimentos?

Sem dúvida. Ao passo que um ativo tem alto índice de volatilidade e, consequentemente, um risco maior, esse mesmo ativo é uma grande oportunidade para se fazer mais dinheiro.

Para mitigar os riscos de operações com ativos muito voláteis, análise e acompanhamento de perto da carteira de investimento são de suma importância, bem como uma atenção redobrada a fatores externos que podem impactar os negócios, como notícias, pronunciamentos de entes representativos dos mercados, concorrentes, direcionamentos macroeconômicos, política, cenário internacional, outros mercados, etc.

Agora, está nas suas mãos. Qual seu apetite de risco para um ativo com alta volatilidade?

Recomendados

Investimentos

ADR: o que é, como funciona e as vantagens de se investir

Entenda o que é American Depositary Receipt (ADR), como funciona, quais as ...

3 anos atrás

Investimentos

Bolsa de Valores: o que é, qual sua importância e 5 razões para investir

A Bolsa de Valores pode ser uma maneira de aumentar a rentabilidade dos seus ...

3 anos atrás

Investimentos

Fundos Multimercado: por que investir e como escolher

Fundos multimercado são aplicações administradoras por gestoras para entregar ...

3 anos atrás