Entenda o que é trade off? Aprenda mais sobre aqui

Você sabe o que é trade off? Entenda o conceito e saiba como aplicá-lo na hora de decidir no que investir.

É importante considerar qual é o custo de oportunidade de determinada coisa antes de escolher gastar seu tempo ou dinheiro com ela. Isso porque, ao optar por investir em algo, você automaticamente abre mão de outra coisa. É nesse momento que o conceito de trade off (ou custo de oportunidade) aparece. 

O conceito de trade off

Ao abrir mão de algo para escolher outra opção, você já está colocando em prática o conceito de trade off. Ao solucionar uma questão você  automaticamente acarreta um problema, lhe obrigando a tomar uma decisão. 

Por exemplo, se você decide sair todos os dias para correr às 5 horas da manhã, você escolhe ter uma vida mais saudável e melhor desempenho cardiovascular, mais disposição para começar o dia. 

Por outro lado, você abre mão de mais alguns minutos de sono. Ao decidir pela corrida, você ponderou previamente qual seria o custo-benefício daquela atividade para a sua vida e chegou a conclusão de que ela lhe daria mais benefícios do que poder acordar mais tarde. 

Esse é um exemplo de trade off pessoal, mas existem muitos outros exemplos e aplicações práticas desse conceito outras situações, como na economia de um país.

Dessa maneira, podemos pensar no trade off como a decisão entre custos que não são exatamente contábeis, mas sim, qualitativos.  Uma das circunstâncias mais clássicas é a do governo decidir elevar os juros para conter um momento de inflação.  

De forma bem resumida, o trade off, também conhecido como custo de oportunidade, é a sua decisão pessoal entre os custos e os benefícios das opções em questão para que haja uma tomada de decisão.

Como o trade off afeta o nosso dia a dia?

Se pararmos para refletir por um minuto vamos perceber que aplicamos o conceito de trade off em muitas ocasiões, especialmente quando tomamos decisões relacionadas ao nosso dinheiro. 

Quantas escolhas inconscientes você já fez ao gastar seus rendimentos com bens que não lhe trouxeram um custo-benefício tão interessantes no futuro? Quantas compras por impulso você fez no último ano que poderiam ter se transformado em títulos de renda fixa, por exemplo?

Consumo versus investimento

É comum para o investidor se pegar pensando sobre renunciar a confortos do dia a dia para que possa investir mais dinheiro e consequentemente ter um benefício maior no futuro, em comparação ao presente. Quem nunca cogitou vender o carro e começar a ir ao trabalho de bicicleta para ter mais recursos para investimento, por exemplo? 

Você pode pensar em outros exemplos para poupar, como assinar um serviço de streaming ao invés de ir ao cinema toda semana, cozinhar em casa com os amigos, ao oposto de ir para restaurantes ou decidir passar férias no litoral, ao contrário de gastar mais em uma viagem ao exterior. 

Dessa maneira, vemos que não é necessário abrir mão do lazer, mas sim analisar qual seria o custo de oportunidade melhor entre as opções para ajudar a alcançar seu objetivo final.

Trade off entre as opções de investimento

Não pense que as aplicações do trade off param por aí. Sua própria dúvida sobre por qual tipo de investimento decidir também entra no conceito de escolhas entre custos e benefícios. 

Será que vale mais a pena investir no Tesouro Selic ou você está pronto para investir em uma categoria de alto risco com ações? Seu objetivo é mais segurança no seu rendimento ou um maior rendimento? 

Nesse momento, é muito importante analisar o seu cenário pessoal antes de tomar qualquer decisão.

Uma boa maneira de começar a fazer esse planejamento é refletir consigo mesmo sobre alguns aspectos:

  • Qual é o meu perfil de investidor?
  • Quanto dinheiro eu tenho para investir?
  • Vou precisar da rentabilidade do meu investimento a curto, médio ou longo prazo?
  • Tenho conhecimento suficiente ou preciso contar com a ajuda de um especialista?

Não se esqueça de levar em consideração fatores externos, como a situação atual do país e quais índices da economia poderiam fazer a diferença na decisão da categoria de investimento. 

Além do mais, é importante entender qual é o seu objetivo. O que você vai fazer com o seu rendimento? Entre ter dinheiro para trocar de carro e ter dinheiro para se aposentar há uma diferença grande de estratégia, que vai pesar na sua triagem. 

Depois de ter essas respostas, você pode passar para o próximo passo do seu planejamento. Faça uma lista de categorias de investimentos que mais se encaixam nas suas necessidades. 

Não adianta considerar comprar ações se você prefere fundos mais seguros, como os de renda fixa, por exemplo. Analise com calma quais são os benefícios e desvantagens de cada categoria. 

Considere, inclusive, as possíveis taxas que você terá que pagar. Elas podem variar bastante de acordo com o tipo de investimento: se você vai ter que pagar Imposto de Renda, se a sua corretora cobra taxa de serviço ou se você optou por ter um banco como instituição financeira.

Lembre-se que a aplicação do trade off não é sobre escolhas certas ou erradas, mas sim sobre a opção ideal para o seu caso. 

Conhecimento é o melhor amigo do investidor. E cadastrando-se na Capital Research você terá acesso a muita informação sobre investimentos, economia e mercado financeiro. 

Recomendados

Investimentos

ADR: o que é, como funciona e as vantagens de se investir

Entenda o que é American Depositary Receipt (ADR), como funciona, quais as ...

3 anos atrás

Investimentos

Calculando o Índice de Endividamento: saiba como aqui!

...

2 anos atrás

Investimentos

Como comprar ações: confira o passo a passo e 4 formas diferentes para voce começar a investir agora!

Devido à queda da taxa SELIC e a baixa rentabilidade da renda fixa, demanda-se ...

3 anos atrás