Resgate Tesouro Direto: entenda como sacar seus rendimentos

O resgate no Tesouro Direto prevê regras para o saque no vencimento do título e também antecipado. Veja como funciona.

O resgate do Tesouro Direto é simples e rápido. Os títulos públicos têm liquidez diária e, assim, podem ser sacados a qualquer momento. Portanto, basta seguir alguns passos para ter acesso ao valor investido. 

Quer saber como fazer o resgate dos títulos do Tesouro Direto? Então, este é o artigo certo para você. Nas próximas linhas, vamos apresentar as regras e condições para sacar o rendimento da aplicação no vencimento ou de forma antecipada.

Resgate Tesouro Direto: como sacar

Antes de partir para o resgate no Tesouro Direto, precisamos entender que se trata de um investimento com alta liquidez. Isso quer dizer que o investidor tem facilidade para transformar os papéis da aplicação em dinheiro.

Para isso, o Tesouro Nacional facilita o resgate dos títulos públicos. Veja como é fácil sacar o valor investido em aplicações já vencidas:

  1. Acesse a sua conta de investimento, na plataforma da corretora
  2. Logo depois, localize os papéis que já ultrapassaram o prazo de vencimento
  3. Em seguida, faça a solicitação de resgate do título total ou parcial
  4. Depois que você já escolheu, insira a assinatura eletrônica e confirme a operação

Estando tudo certo, o valor entrará na sua conta no dia útil seguinte à solicitação. É necessário, no entanto, seguir algumas regras para efetuar o saque. Veja, a seguir, como funciona o resgate dos títulos públicos.

Como funciona o resgate no Tesouro Direto

Quando a data de vencimento do título chega, você pode solicitar o saque total ou parcial do valor investido. Para isso, basta fazer a solicitação na plataforma da corretora. 

Apesar de ter liquidez diária, o resgate do Tesouro Direto vencido deve ser realizado dentro destas condições:

Nos dias úteis:

  • Das 9h30 às 18h, os resgates serão processados com os preços e taxas disponíveis no momento da transação
  • Das 18h às 5h, os resgates serão liquidados com os preços e taxas de abertura do dia útil seguinte.

Aos finais de semana e/ou feriados

  • Os resgates serão liquidados com os preços e taxas de abertura do dia útil seguinte.

Outro ponto de observação é sobre títulos que pagam juros semestrais. Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN-B), Tesouro IGPM+ com Juros Semestrais (NTN-C) e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTN) terão a opção de resgate suspensa 2 dias úteis antes do pagamento dos fluxos periódicos.

Regras do resgate antecipado

Se você deseja sacar o valor antes do prazo de vencimento do título, também pode contar com a liquidez diária do Tesouro Direto. Assim, para fazer o resgate antecipado dos títulos públicos, é só seguir o mesmo procedimento para os papéis já vencidos.

Então, faça a solicitação do saque junto a sua corretora de investimentos e observe as regras quanto a horários e ativos com juros semestrais.

 

Vale a pena resgatar antes do vencimento?

A resposta a essa pergunta vai depender de, pelo menos, dois fatores sobre o resgate do Tesouro Direto no formato antecipado:

  • Preço de mercado
  • Taxas e impostos.

Quando você saca o investimento antes da data de vencimento, o Tesouro Nacional compra o título de volta. Mas, em vez de adquirir o papel pelo valor que você desembolsou no momento da compra, ele paga o preço praticado no mercado na hora da operação.

Nesse caso, pode haver oscilação do valor tanto para baixo quanto pra cima. Então, você pode ter perdas ou ganhos com o resgate antecipado do Tesouro Direto.

No entanto, ainda é necessário considerar o segundo fator: custos com o saque antes do tempo. Ao resgatar antecipadamente os títulos, você poderá ter gastos extras com taxas e impostos.

O Imposto de Renda (IR), por exemplo, é aplicado sobre o Tesouro Direto através de tabela regressiva. Dessa forma, alíquota do IR é maior no curto prazo e menor, no longo prazo.

Ao retirar o valor investido antes do tempo, o recolhimento do imposto pode ser maior do que seria na data de vencimento – nunca será menor. Portanto, você deve analisar esses fatores ao considerar fazer o saque dos títulos de forma antecipada.

Entenda o Tesouro Direto e sua rentabilidade

O Tesouro Direto é uma ótima opção de renda fixa. Os títulos públicos são emitidos pelo governo e, assim, são seguros. O investimento pode ter taxas prefixadas – que se manterão por toda a duração da aplicação. Ou, ainda, pode ser pós-fixado e atrelado a algum índice – como IPCA e taxa Selic. 

Ou seja, os títulos públicos indexados rendem ganhos de acordo com os números da inflação e/ou da taxa básica de juros. Dessa forma, o Tesouro Direto é um tipo de investimento de baixo risco e com ganhos atrativos.

Vale observar que as taxas e impostos aplicados aos títulos podem impactar sua rentabilidade. O investimento pode ter valores descontados pela B3 e corretora, além dos tributos que incidem sobre o Tesouro.

Assim, considere todos os gastos com o investimento antes de fazer a aplicação. Estude as opções disponíveis, analise os rendimentos anuais e condições para investir. Por fim, avalie com cuidado a possibilidade de fazer o resgate antecipado que, como vimos, pode gerar despesas extras ao investimento.

Quer saber mais sobre renda fixa, Tesouro Direto e maneiras para investir? Então, acompanhe sempre os conteúdos e recomendações da Capital Research.

Recomendados

Investimentos

Tesouro Direto: passo a passo de como investir

O Tesouro Direto é uma opção mais rentável e tão segura quanto a poupança. ...

3 anos atrás

Investimentos

Saiba o que são títulos públicos e porquê você deveria investir neles

Ajudar a financiar os projetos do governo e ainda rentabilizar com isso é possível ...

3 anos atrás

Investimentos

Tesouro Direto: conheça os títulos públicos e invista sem medo

O Tesouro Direto permite que você compre e venda títulos públicos sem burocracia. ...

2 anos atrás