Recessão global: o que é, causas e consequências

Uma recessão global ocorre quando a economia do planeta encolhe. Acesse e descubra as principais causas e consequências da recessão global.

A recessão global ocorre quando a economia do planeta encolhe, seja pela expansão desenfreada de crédito, bolhas econômicas, pandemias ou guerras.

Embora esse fenômeno possa ter diversas causas, as consequências costumam ser as mesmas: falências, desemprego, queda dos investimentos e redução da qualidade de vida.

Neste artigo, você vai entender o que é a recessão global, como ela acontece e que efeitos ela provoca no dia a dia.

Além disso, vai entender por que o Covid-19, doença provocada pelo novo Coronavírus, colocou o mundo em recessão em 2020.

Recessão global em 2020

A propagação do Covid-19 foi um torpedo fulminante em qualquer projeção econômica realizada por economistas e investidores para 2020.

Com as medidas de isolamento social decretadas por todas as grandes nações para frear o contágio do vírus e assim proteger o sistema de saúde, a atividade econômica sentiu um baque difícil de ser mensurado.

A restrição da atividade econômica atingiu em cheio países em todos os estágios de desenvolvimento.

Para as economias emergentes, a situação pode ser ainda mais cruel, já que os países não possuem tantas condições para o endividamento.

Projeções do Fundo Monetário Internacional (FMI) apontam que a recessão global de 2020 entrará para a história como a pior desde a crise da bolha imobiliária americana, em 2008.

Há esperança, no entanto, de que parte da economia se recupere ainda em 2021, em um prazo mais curto do que após a crise de 2008.

Seja qual for o cenário futuro, é preciso entender os eventos que podem levar às recessões globais, e compreender suas consequências para se preparar para esses cenários.

Causas de recessão global 

Diversos eventos podem levar a uma recessão global. Em alguns casos, não há apenas uma causa específica, e sim uma junção de decisões equivocadas, ou o surgimento de alguma pandemia inesperada.

Mas também há especialistas em macroeconomia que defendem que as recessões globais são naturais nos ciclos de atividade econômica do capitalismo.

De qualquer forma, listamos, abaixo, alguns dos eventos que podem levar a recessões globais.

Má alocação dos recursos públicos

Quando governos ao redor do mundo tomam decisões equivocadas para o dinheiro dos pagadores de impostos, o que ocorre são estímulos equivocados à economia.

Pode ser o caso de uma política monetária expansionista, tentando criar uma demanda quando ela não existe, de fato.

Outro exemplo é o crédito extremamente facilitado, que leva empresários e as pessoas em geral a não tomar as melhores e mais eficientes decisões, o que acaba provocando um crescimento ilusório da atividade econômica, que sempre termina em recessão.

Além disso, também é possível citar a intervenção do estado na economia – que, em geral, é menos eficiente do que o mercado para alocar recursos.

Pandemias

Pandemias como a do Covid-19 e da gripe espanhola levam à recessão global não apenas por causa dos efeitos diretos das doenças, mas devido às medidas de restrição de circulação tomadas pelos governos para frear o contágio.

Empresas em férias, comércio fechado, aulas suspensas, viagens adiadas e as pessoas em casa, obrigadas a se manter isoladas. É impossível, nesse cenário, manter o mesmo nível de atividade econômica.

Por isso, a recessão global é inclusive esperada pelos governos, porque indica que as medidas de isolamento e distanciamento social estão surtindo efeito.

Guerras

Guerras podem ser lucrativas para quem as vence, e os Estados Unidos provaram isso após vencerem a primeira guerra mundial e se transformarem na maior economia do planeta

Mas, via de regra, o saldo que fica é negativo, como a Europa presenciou após a segunda guerra mundial, com centenas de cidades destruídas, e uma reconstrução que levou anos.

Na guerra, todos os esforços da economia ficam voltados para o poder bélico e para os itens essenciais ao país. Além disso, há redução nas interações entre as nações, de uma forma geral. Por isso, é natural que ocorra uma recessão global.

Bolhas econômicas

Bolhas econômicas e financeiras também podem levar à recessão global, como ocorreu em 2008, com a chamada crise do subprime, nos Estados Unidos.

Conhecida também como “bolha imobiliária americana”, essa crise foi provocada pela concessão irrefreada de empréstimos hipotecários para quem não tinha condições de pagar.

Quando a inevitável inadimplência chegou, instituições ruíram, como o banco americano Lehman Brothers. Como os Estados Unidos são a maior potência do mundo, todas as economias sentiram.

Consequências de recessão global

A redução da atividade econômica causada pela recessão global traz consequências diretas para todos os países, já que vivemos em uma economia globalizada, em que todas as nações possuem algum grau de correlação.

Entre as principais consequências de qualquer recessão global, é possível citar:

Falências

A falências de pequenas e médias empresas, e até de grandes corporações, incluindo bancos, está entre as consequências mais nocivas da recessão global.

Em geral, sofrem mais as empresas que não estão ligadas a serviços essenciais, como a indústria de turismo, lazer e entretenimento, que tendem a sofrer mais com a retração do consumo das famílias.

Mas nenhuma empresa está totalmente livre nesse momento de crise. Quando a atividade econômica é reduzida, cortes ocorrem e ajustes são feitos, o que necessariamente provoca um rearranjo da economia.

Desemprego

Com as falências, cortes e ajustes, cresce o desemprego

A recessão global de 2009, por exemplo, provocou, nos Estados Unidos, a extinção de mais de 7,3 milhões de empregos entre janeiro de 2008 e fevereiro de 2010. Com isso, a taxa de desemprego atingiu 10%, figurando entre os números mais elevados da história do país.

Em todo o planeta, o fenômeno se repete quando há recessão global, porque as empresas precisam ajustar seus quadros de funcionários à nova realidade

Redução da qualidade de vida

Menos dinheiro circulando e mais desemprego provocam uma redução da qualidade de vida das famílias – e não há como fugir desse cenário.

Se você foi afetado pela recessão que o Brasil enfrentou em 2015 e 2016, quando a economia encolheu por dois anos, sabe o que isso significa: cortar a escola particular, o plano de saúde, a viagem das férias ou o plano de assinatura da TV.

Há também quem venda o próprio carro, para usar transporte público, quem troque as marcas preferidas e quem passe a viver apenas com o essencial. 

Nas camadas mais pobres da população, os cortes tendem a ser ainda mais cruéis, quando é necessário abrir mão do básico apenas para garantir a alimentação e a moradia. O fato é que as recessões impactam de forma decisiva a qualidade de vida das pessoas.

Aumento da dívida 

Quando a recessão global não é causada pelo excesso de crédito, e sim por algum evento que provoque redução abrupta da atividade econômica, uma das respostas dos governos pode ser o aumento da dívida do país, para injetar dinheiro na economia.

Embora esta não seja uma regra, é preciso ficar atento – e se preparar – para eventos como esse quando o cenário é de recessão global.

Queda dos investimentos

Assim como as empresas passam por cortes e reduções para se adaptar à nova realidade econômica, em que já menos dinheiro circulando, menos consumo e menos projetos, elas também precisam adequar os seus investimentos.

Em geral. recessão global significa que os investimentos não essenciais são enxugados, e os projetos de ampliação da fábrica, abertura de nova franquia ou desenvolvimento de um produto inovador são suspensos.

Aumento da capacidade ociosa

Nas indústrias, a recessão global também tende a aumentar a capacidade ociosa. Ou seja: há recursos humanos, estrutura e maquinário para produzir um determinado volume de produtos, mas a demanda não alcança esse valor.

Por isso, a indústria opera com capacidade ociosa, quando pavilhões ficam vazios, turnos de trabalho são reduzidos e máquinas colocadas de lado. 

Em 2016, por exemplo, um levantamento da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostrou que o uso da capacidade na indústria da transformação atingiu a mínima história, de 62%. 

Significa dizer a capacidade ociosa da indústria era de 38%. Embora em 2015 e 2016 não tenha ocorrido uma recessão global, com o Brasil entrando em crise sozinho, essa é uma boa amostra das implicações da redução da atividade econômica.

Como se vê, a recessão global pode provocar uma série de desafios para empresas, funcionários e famílias.

Nessas horas, uma das melhores opções é se manter o mais informado possível, para entender o contexto e descobrir a hora certa de agir.

Se você gostou do artigo, continue navegando pelo blog da Capital Research para ficar informado sobre o mercado financeiro.

Recomendados

Investimentos

Bolsa de Valores: o que é, qual sua importância e 5 razões para investir

A Bolsa de Valores pode ser uma maneira de aumentar a rentabilidade dos seus ...

3 anos atrás

Investimentos

Como funciona a bolsa de valores: tudo o que você precisa saber

Saber como funciona a bolsa de valores habilita você a investir em ações e fazer ...

2 anos atrás

Investimentos

Conheça as 8 maiores bolsas de valores do mundo

Saiba onde estão as maiores bolsas de valores do planeta e conheça mais sobre elas. ...

2 anos atrás