Previdência privada: tudo para investir em aposentadoria complementar

A previdência privada, ou complementar, é um formato de investimento para garantir um futuro melhor. Conheça planos e regras.

Investir em previdência privada é uma das forma de garantir uma aposentadoria confortável. Afinal, com o benefício do INSS cada vez mais baixo, fica difícil todas as suas despesas mensais e manter o padrão de vida desejado.

Por isso, siga a leitura e descubra tudo sobre os planos privados previdenciários e como você pode fazer para contratar o seu. Neste guia completo e prático, apresentamos todas as principais informações para que você conheça mais sobre esse tipo de investimento.

Siga acompanhando!

Previdência privada: o que é?

Atualmente, todo contribuinte da Previdência Social pode se aposentar após o período mínimo de pagamento ao INSS. A contribuição é recolhida de maneira obrigatória para o trabalhador com carteira assinada e outros profissionais.

Mas a Reforma da Previdência endureceu as regras para recebimento dos benefícios. Além disso, o pagamento vêm ficando cada vez menos atrativo para o contribuinte.

Assim, a previdência privada é a maneira para complementar a renda futura, fazendo uma poupança durante a vida ativa. Qualquer pessoa pode contratar os planos e, então, investir na aposentadoria.

Resumidamente, o contratante faz aporte mensais a título de previdência. A empresa responsável pelos recursos reaplica o valor em outros ativos financeiros que rendem juros.

Ao fim do período de acumulação, o contratante poderá resgatar o saldo total de uma única vez ou recebê-lo sob a forma de pagamentos mensais.

Quando investir em previdência privada

Os planos de aposentadoria privada são, no geral, um investimento de longo prazo. Dessa forma, o contratante inicia os investimentos na vida adulta para receber o valor quando se aposentar.

Mas a previdência complementar também é ótimo investimento para as crianças e adolescentes. Afinal, quanto antes a poupança começar, menores serão os aportes, maiores os rendimentos e melhores as condições para investir.

Os planos privados previdenciários são indicados, inclusive, para os idosos. Atualmente, as operadoras já elaboram serviços especialmente desenvolvidos para a terceira idade, com foco na sucessão. Enfim, sempre é um bom momento para investir em previdência privada.

Vantagens da previdência privada

Estas são algumas das principais vantagens da previdência privada:

  • Poupança: você guarda dinheiro, de forma mensal e disciplinada, para receber no futuro
  • Investimento: o saldo é remunerado, evitando perdas e rentabilizando a aplicação
  • Baixo risco: apesar de não ser assegurada pelo FGC, a aposentadoria complementar é um investimento com vários mecanismos de segurança
  • Portabilidade: você pode trocar de plano ou operadora a qualquer momento e de forma gratuita.

Cuidados com a previdência privada

Agora, veja pontos de atenção importantes antes de contratar previdência privada:

  • Custos: observe todos as taxas e impostos que podem incidir sobre os planos. Por isso, analise as ofertas e compare as condições das operadoras
  • Período de carência: alguns formatos podem exigir investimento mínimo para sacar o saldo. Então, analise todas as informações antes da contratação.

Planos de previdência privada

Existem duas classificações da aposentadoria privada: planos abertos ou fechados. Confira suas principais características e veja qual formato se alinha aos seus objetivos e ao seu perfil.

 

Planos abertos

A previdência aberta não faz discriminação de contratantes. Ou seja, toda pessoa pode contratar um dos planos abertos de aposentadoria. Entre os variados formatos, o PGBL e VGBL são os mais conhecidos. A principal diferença entre eles está na tributação do Imposto de Renda (IR).

No Plano Gerador de Benefício Livre, o IR é calculado sobre os aportes e os juros. Por isso, o PGBL pode trazer mais vantagens fiscais para o contribuinte que faz a declaração anual completa.

Já no Vida Gerador de Benefício Livre, o imposto incide apenas sobre os rendimentos. Dessa forma, o VGBL é recomendado para o contribuinte que pode fazer a declaração do Imposto de Renda no modo simplificado.

 

Planos fechados

Os planos fechados de aposentadoria são exclusivamente disponíveis para determinados grupos. Eles são operados sem fins lucrativos por empresas e entidades de classes a seus membros.

Também conhecidos como fundos de pensão, são divididos em planos instituídos e patrocinados. Os planos instituídos funcionam basicamente como qualquer outra aplicação em previdência. 

Nos planos patrocinados, no entanto, a instituição contribui com o saldo da aposentadoria junto ao beneficiário. Ou seja, a patrocinadora paga uma parte da previdência privada e, o contratante, a outra parcela.

Qual a melhor previdência privada?

O melhor plano de previdência privada é, sem dúvida, aquele que atende adequadamente ao seu perfil e aos seus objetivos de longo prazo. Além disso, ele deve caber no seu bolso e garantir uma boa renda futura.

Assim, pesquise pelas opções disponíveis, compare taxas e veja as condições oferecidas pelas operadoras. Mesmo que você possa contratar planos fechados, busque alternativas competitivas de planos abertos e faça a comparação entre as taxas de rentabilidade e custos.

Lembre-se: os planos previdenciários têm objetivo de poupança e de investimento. Assim, garanta que o seu dinheiro seja adequadamente poupado para o futuro, mas, também, que possa ser remunerado.

Gostou deste guia prático sobre a previdência privada? Então, continue a sua leitura pelos nossos conteúdos para ter mais detalhes sobre os planos. Conte com a Capital Research para investir certo e com mais rentabilidade.

Recomendados

Investimentos

Previdência privada sem taxa de carregamento existe? Confira

...

2 anos atrás

Investimentos

Portabilidade de planos de previdência privada: conheça as regras

...

2 anos atrás

Investimentos

Previdência privada para idosos: existe idade limite para investir?

...

2 anos atrás