Orçamento base zero: o que é, origem e benefícios

O orçamento base zero é um sistema usado para enxugar e racionalizar custos em uma empresa. Confira nosso guia sobre o tema.

Orçamento base zero

Você já ouviu falar em orçamento base zero? Para quem está pensando em testar alternativas para o planejamento financeiro da sua empresa, pode ser uma estratégia interessante. O orçamento base zero é uma forma alternativa que inverte a lógica do orçamento tradicional.

No modelo padrão, o orçamento é feito basicamente em cima das variações dos gastos em relação aos exercícios anteriores. No orçamento base zero, as solicitações são elaboradas cuidadosamente em razão de cada necessidade, sem levar em conta receitas e despesas de outros anos. Ou seja, parte de uma “base zero”.

Cada despesa precisa ser justificada e aprovada para cada novo período. Essa estratégia não chega a ser uma novidade, como vamos ver, mas voltou com força nos últimos anos. Ficou interessado? Então acompanhe a sequência do texto.

O que é o orçamento base zero

O orçamento base zero é aquele elaborado a partir da demanda de cada setor da empresa para determinado período, independentemente do histórico. Ele não parte do princípio de que as receitas e despesas do ano anterior estão automaticamente aprovados.

Todos os departamentos são obrigados a justificar a necessidade de cada recurso alocado. A ideia, evidentemente, é chegar a um planejamento mais enxuto, aproximando-se do mínimo de custos necessários para que a empresa opere, otimizando assim o potencial de lucro. Dependendo do tamanho da empresa, a implementação deste formato pode demandar um processo extensivo de identificação dos custos.

Basicamente, é necessário um grande raio-X da organização. A metodologia precisa ser apresentada a cada gestor, para que suas equipes se engajem no processo de documentar cada custo e adotem o orçamento base zero como uma filosofia da organização. Caso a implementação seja bem-sucedida, a possibilidade de ganhos é real.

Origem do orçamento base zero

O orçamento base zero apareceu de forma revolucionária nos anos 1970, baseado nas ideias do contador americano Peter Pyhrr, que escreveu o livro “Orçamento Base Zero: Uma Ferramenta Gerencial Prática Para Avaliar Despesas”. Jimmy Carter, então governador da Geórgia, nomeou Pyhrr como responsável pelo orçamento daquele Estado. No final da década, já como presidente dos Estados Unidos, Carter determinou que o orçamento de base zero fosse utilizado por todo o governo federal americano. A partir daí, a metodologia ganhou ainda mais notoriedade e passou a ser adotada em maior escala também no setor privado.

Benefícios do orçamento base zero

São muitas as vantagens em potencial:

Precisão

O orçamento base zero permite mapear cada centavo que sai da empresa. Isso favorece também a capacidade de investimentos e alocação de recursos em projetos especiais. Protege até mesmo o planejamento estratégico da empresa. Se seguido de maneira rígida, diminui consideravelmente o risco de quaisquer pedidos de suplementação orçamentária de última hora.

Eficiência

O orçamento base zero ajuda a evitar gastos supérfluos ou até mesmo redundantes, repetidos em diferentes setores da empresa.

Comunicação e clareza

Com os objetivos mensuráveis definidos, a comunicação interna é facilitada. Cada setor sabe claramente o que se espera dele.

Desafios do orçamento base zero

É importante observar, porém, que, além dos benefícios, o orçamento base zero também acarreta uma série de desafios. Os principais estão ligados a tempo e confiança. Essa metodologia demanda o investimento de quantidades enormes de energia, portanto é preciso cuidado: a burocracia pode se tornar um obstáculo.

Além disso, é necessário que todos os gestores sejam 100% confiáveis e abracem a ideia, executando-a de boa fé nos seus setores. Dependendo do grau de especificidade da atividade, poderia ser fácil para eles inventarem e justificarem custos que não seriam realmente necessários.

Exemplos de orçamento base zero

Depois de alcançar a Casa Branca e causar furor nos anos 1970, o orçamento base zero saiu de moda. Recentemente, voltou a ser adotado por grandes companhias em todo o mundo.

Cerca de 300 multinacionais, incluindo 85 que figuram na lista das 2 mil maiores empresas da Forbes, aderiram, segundo levantamento da empresa de consultoria de gestão Accenture. Kraft Heinz Co., Mondelez International Inc., Unilever PLC e Diageo PLC são alguns dos exemplos citados pelo Wall Street Journal. A média entre esses gigantes é de 280 milhões de dólares por ano economizados com o ZBB (zero based budgeting, em inglês). Uma empresa, mencionada pela consultoria McKinsey & Company sem revelar o nome, detectou uma economia de 11% nos primeiros quatro meses.

A metodologia saiu do ramo de bens e serviços e se espalhou para qualquer tipo de indústria. Da mesma forma, é possível de ser aplicada em economia pessoal (também chamada de orçamento de soma zero).

Enfim, trata-se de um tema bem extenso que apresentamos aqui de forma resumida. Ficou interessado em saber mais, talvez descobrir a viabilidade de usar esses princípios nos seus investimentos pessoais? Para isso, é altamente recomendável buscar o auxílio de profissionais competentes e experientes.

Seja para investimentos pessoais ou corporativos, a Capital Research oferece informação e conteúdo de alta qualidade. Cadastre-se agora para obter uma carteira completa de investimentos que vai proteger e multiplicar seu patrimônio.

Recomendados

Investimentos

AFAC: entenda tudo sobre Adiantamento Para o Futuro Aumento de Capital

AFAC, ou Adiantamento para Futuro Aumento de Capital, é uma estratégia utilizada ...

2 anos atrás

Investimentos

Bacen: entenda o que é e como essa instituição afeta seus investimentos

O Bacen é uma instituição do sistema financeiro responsável por controlar a ...

3 anos atrás

Investimentos

CDB e CDI: conheça as diferenças antes de investir

Entenda melhor sobre esses dois tipos de certificado de depósito e como se ...

3 anos atrás