Margem de contribuição: entenda esse indicador de lucratividade

A margem de contribuição indica a diferença entre receitas e custos diretos e variáveis de uma empresa. Saiba como calcular e analisar.

A margem de contribuição tem uma importância muito grande para empresas e investidores, apesar de ser calculada de maneira simples. O valor que resulta da diferença entre o custo variável de um bem e seu preço de venda contribui para cobrir os custos fixos e gerar lucro à empresa. Só tenha o cuidado de não confundir o conceito com margem de lucro. Ao longo da leitura, você vai perceber que são índices diferentes.

Siga acompanhando e entenda como encontrar a margem de contribuição total e unitária, utilizando o resultados para análise de negócios tanto pela ótica do gestor, quanto pela visão do investidor.

O que é margem de contribuição e para que serve?

Margem de contribuição (MC) é a quantia de dinheiro entre a receita operacional bruta de uma empresa e todos os seus custos e despesas variáveis. O valor corresponde à cobertura dos demais gastos do negócio e deve ser suficiente, ainda, para dar lucro.

Para avançarmos no entendimento, cabe recapitular alguns pontos sobre as contas de um empreendimento. Como você sabe, as vendas de produtos e serviços geram receita para a empresa. Esse volume total precisa ser suficiente para manter as atividades empresariais com produção, comercialização, prestação de serviços, entre outros. Além disso, deve pagar as despesas referentes ao negócio, como juros, remuneração, amortização e demais contas.

Todos esses gastos podem ser definidos como fixos (quando independem das vendas) e variáveis (quando se alteram conforme as vendas). Na contabilização dos números da empresa, depois que todas as receitas foram somadas, é hora de diminuir os custos e despesas a fim de encontrar os resultados.

Para descobrir a margem de contribuição, devemos subtrair todos os gastos variáveis do faturamento do negócio. Assim, será possível descobrir a quantidade de recursos existentes para pagar despesas e custos fixos. Por fim, o valor também será destinado aos lucros da organização, sendo reinvestido ou distribuído entre sócios e investidores.

Então, como destacamos na abertura do artigo, a margem de contribuição se diferente da margem de lucro, porque o valor encontrado será utilizado, ainda, para o pagamento da operação da empresa. A MC serve, basicamente, para a análise de gestores e investidores. Ao estudar seus números, eles observam se as operações da empresa se sustentam e remuneram a todos os envolvidos.

Como calcular a margem de contribuição?

Vamos ao cálculo de três importantes números sobre margem de contribuição.

1. Margem de Contribuição Total

Margem de contribuição total é o valor de todas as receitas somadas e excluídos os custos e despesas fixos.

A fórmula é a seguinte:

  • MC = Receita – (CV + DV).

Nela:

  • Receita = (Preço de venda x quantidade vendida)
  • CV = Custo variável ou Custo das Mercadorias Vendidas (CMV)
  • DV = Despesa variável.

2. Margem de Contribuição Unitária

O valor corresponde ao quanto cada produto ou serviço contribui para o pagamento de todos os gastos fixos da empresa.

Esta é a fórmula:

  • MC unit = PV – (CV + DV).

Seus elementos são os seguintes:

  • PV = Preço de venda unitário
  • CV = Custo variável unitário
  • DV = Despesa variável unitária.

3. Índice de Margem de Contribuição

O IMC descobre o quanto do preço de venda de um bem cobre lucro, custos e despesas fixas.

Veja a fórmula utilizada:

  • IMC = MC / PV.

Analise o seguinte exemplo:

Uma empresa vendeu 1.000 unidades de um produto por R$ 10 cada. Seus custos unitários são de R$ 2,50 e as despesas variáveis somam R$ 3,00. Qual será a margem de contribuição total, unitária e índice de margem de contribuição?

  • Receita total = 1.000 x R$ 10 = R$ 10.000
  • Gastos variáveis totais =(R$ 2,50 x 1.000) + (R$ 3,00 x 1.000) = R$ 5.500
  • Gastos variáveis unitários = R$ 2,50 + R$ 3,00 = R$ 5,50.

Logo, os valores de margem de contribuição são:

  • MC = R$ 10.000 – R$ 5.500 = R$ 4.500
  • MC unit = R$ 10 – R$ 5,5 = R$ 4,50
  • IMC = 4,5 / 10 = 45%.

Ou seja, cada item colabora com 45% do seu preço de venda para cobrir custo e despesa fixa, além de separar o lucro. Do total de faturamento, a empresa tem R$ 4.500 para fazer o pagamento de gastos fixos e lucrar.

O que a margem de contribuição diz sobre a empresa?

Descobrir a margem de contribuição é importante para mensurar o quanto a empresa consegue agregar valor aos negócios. O índice representa uma maneira para gestores avaliarem a saúde financeira da organização. Afinal, a MC deve ser ampla o suficiente para permitir as operações empresariais e, ainda, converter em saldo positivo.

Caso ela não consiga exercer seu papel, as contas podem ficar no vermelho e, em vez de lucro, a empresa vai amargar prejuízos. Ao analisar a MC, o gestor pode considerar se ela está no tamanho suficiente para pagar os custos e despesas fixos e, além disso, lucrar com suas operações.

O investidor, por outro lado, pode tomar o índice como um dos critérios de avaliação da aplicação financeira. Assim, ele analisa se a empresa em questão tem condições para se sustentar e trazer retornos. Por isso, fique de olho nas informações divulgadas pelas empresas em que você pretende investir.

Fique sempre bem informado sobre assuntos financeiros, investimentos e contábeis, aqui no blog da Capital Research. Aproveite para acessar nosso site e descobrir mais sobre como encontrar as melhores oportunidades de investimento de forma gratuita.

Recomendados

Investimentos

ADR: o que é, como funciona e as vantagens de se investir

Entenda o que é American Depositary Receipt (ADR), como funciona, quais as ...

3 anos atrás

Investimentos

Debêntures: confira aqui o que é e como investir

Aprenda o que são debentures, os tipos, rendimentos e como ...

3 anos atrás