Liquidez Corrente: qual sua importância para o investidor?

Conhecer bem uma empresa é prioridade para saber como investir seus recursos e por isso, se familiarizar com seu indicador mais confiável é essencial para avaliar onde podemos aplicar

Não importa o tamanho da empresa, nem a quantidade de funcionários ou investidores que ela possui. Quando falamos de finanças, as boas práticas e manutenção da saúde financeira devem ser prioridade.

Sob a ótica de quem investe, é especialmente importante analisar os indicadores financeiros para, somente após isso, poder tomar a decisão de investir ou não em determinada empresa. A principal ideia nisso é evitar riscos desnecessários ou enfrentar grandes surpresas.

Para que isso aconteça, todas as empresas devem contar com indicadores financeiros, já conhecidos dos investidores. Esses indicadores são responsáveis por mensurar o quão saudável financeiramente essas empresas são.

Continue lendo e descubra como não ser pego desprevenido na hora de investir. 

Principais indicadores financeiros

Graças aos indicadores financeiros, investidores do mundo todo conseguem analisar os riscos e possibilidades de aplicações no curto, médio e longo prazo.

Como exemplo podemos citar alguns indicadores importantes como:

  • lucratividade – mais conhecida como margem operacional, esse indicador é responsável por mostrar a lucratividade da empresa;
  • nível de satisfação dos clientes – super importante para a empresa e sua reputação no mercado;
  • giro de caixa – mostra quantas vezes o caixa da empresa em questão girou,;
  • cobertura de juros – aponta a capacidade de adquirir capital para cobrir juros contratuais;
  • ticket médio – nada mais é do que a média do valor das compras efetuadas pelos clientes;
  • gestão financeira eficiente – o indicativo básico de que uma empresa preza pela saúde financeira é manter bem estruturada uma eficiente equipe de gestão financeira;;

Agora que você já conhece alguns dos principais indicadores, vamos focar na liquidez corrente como indicador, verificando como ela pode ajudar todos os tipos de investidores.

A Capital Research vai te ajudar a entender como ela é calculada e porque ela é importante, não só para quem investe, mas também para a própria empresa.

O que é Liquidez Corrente?

 Quando falamos de indicadores, um dos mais interessantes de se analisar é a liquidez corrente. O nome parece complexo para quem está começando agora, mas esse indicador basicamente mede a capacidade que uma empresa tem de, a curto prazo, arcar com todas as suas despesas e projeções.

Logo, liquidez corrente nada mais é do que a relação entre os valores previstos que vão sair e o montante previsto que vai entrar, em um curto período de tempo. Um jeito fácil de memorizar é pensar sempre o que tem e o que vai sair.

 

Qual a diferença de Liquidez Corrente para as demais?

 Importante frisar que existem outros tipos de liquidez, como a Liquidez Seca, Liquidez Imediata e a Liquidez Geral. Todos esses tipos são importantes indicadores de liquidez e fluxo de caixa, no entanto, pelo menos a maioria delas não passa de variações da própria liquidez corrente citada no tópico anterior.

Ou seja, elas realizam o mesmo cálculo variando um ou outro componente — estoque, previsões mais longas, etc — que seja interessante para o investidor, auditor ou o gerente de finanças responsável.

A somatória da liquidez corrente com as previsões de médio e longo prazo nos fornecem a liquidez geral. Ou seja, uma série de obrigações financeiras ou um levantamento de todas as dívidas e dividendos de médio e longo prazo.

Como a Liquidez Corrente é calculada?

 Em primeiro lugar, caso você não esteja acostumado(a) às terminologias e conceitos contábeis, vamos iniciar explicando dois conceitos que serão necessários para seguir adiante. São eles o ativo circulante e o passivo circulante.

Ativo circulante: é basicamente tudo que a empresa possui e que pode ser convertido em dinheiro. Exemplo:  fluxo de caixa, carta de clientes e estoques.

Passivo circulante: é tudo que a empresa possui de dívidas, incluindo as projeções como empréstimos, pagamentos, impostos e investimentos.

Para não restar dúvidas, o ativo é tudo o que a empresa tem em caixa e o passivo são as obrigações, tudo aquilo que ela precisa pagar.

Como descobrir o grau de Liquidez Corrente de uma empresa?

Esses termos são importantes pois eles são a base para realizarmos o cálculo da liquidez corrente de uma empresa. Em suma, o cálculo é feito da seguinte maneira: divide-se o ativo circulante (AC) pelo passivo circulante (PC), ou seja, aquilo que a empresa tem de recursos pelo que ela tem de dívidas durante um curto período de tempo. O resultado dessa divisão é a própria liquidez corrente (LC).

  • AC / PC = LC

Esse valor é ótimo se o resultado for maior do que 1, pois é possível presumir que a empresa possui um capital mínimo necessário para bancar todas os seus compromissos orçamentários previstos no curto prazo.

Se for igual a 1, os recursos são iguais aos pagamentos, ou seja, não é bom mas também não é ruim. No entanto, se essa empresa visa receber investimentos externos, o índice precisa ser melhorado o mais rapidamente possível.

Se for menor, significa que a empresa atualmente está endividada e não possui capital suficiente para quitar suas dívidas nas suas previsões.

Qual o índice de Liquidez Corrente ideal para quem quer investir?

Não há um consenso de qual seria o índice ideal de liquidez para realizar investimentos. No entanto, Benjamin Graham no livro “O investidor inteligente” , pontua que para um investidor estar bem confortável em realizar alguma aplicação em uma empresa, o índice de liquidez corrente deve estar localizado entre 1,5 e 2.

De qualquer forma, as boas práticas financeiras apontam que uma vez que a liquidez corrente esteja acima de 1 já temos o indício claro de que a empresa está positivada financeiramente e apta a receber investimentos.

Quer saber de mais conteúdos relacionados ao mercado financeiro sem complicação e com uma linguagem democrática e acessível? Continue acompanhando a Capital Research! Publicamos rotineiramente levantamentos do mercado, e as melhores opções de aplicações sugeridas para cada tipo de perfil. Assine nosso Newsletter abaixo.

Recomendados

Investimentos

Ativo gerador de renda: o que é, tipos e como investir

Entenda mais sobre investimentos em ativos geradores de renda como imóveis ou ...

3 anos atrás

Investimentos

Bens inferiores: o que são, principais conceitos e exemplos práticos

Neste artigo, exploramos como são caracterizados os bens inferiores, os desafios de ...

3 anos atrás

Investimentos

Como comprar ações: confira o passo a passo e 4 formas diferentes para voce começar a investir agora!

Devido à queda da taxa SELIC e a baixa rentabilidade da renda fixa, demanda-se ...

3 anos atrás