Fluxo circular de renda: o que é e como aplicar na prática

O fluxo circular de renda representa as engrenagens da economia e seu ciclo de riquezas. Entenda como funciona esse diagrama.

O fluxo circular de renda mostra como a economia gira e quais relações estão envolvidas nas trocas de dinheiro, bens e serviços. Com um simples diagrama, você consegue visualizar os principais agentes — como famílias, empresas, sistema financeiro e governo — e suas relações dentro do sistema econômico.

Como qualquer modelo, esse fluxo não tem a pretensão de representar toda a complexidade do sistema real, mas é uma referência importante para entender a dinâmica da nossa economia e adotar uma visão mais ampla. Neste artigo, você vai entender como funciona o fluxo circular de renda e como aplicá-lo na prática.

Siga a leitura e domine mais um conceito econômico. 

O que é fluxo circular de renda

Fluxo circular de renda, ou fluxo circular de riqueza, é um modelo econômico que representa as relações elementares do mercado e seus principais atores do ponto de vista da macroeconomia. Basicamente, é um diagrama que mostra o fluxo de dinheiro, bens e serviços trocados entre empresas, famílias, instituições financeiras, governo, entre outros atores.

Em sua forma mais básica, o fluxo circular de renda ilustra a interação entre indivíduos e empresas, considerando o fornecimento de renda pelas organizações em troca do trabalho e o uso da receita para comprar seus próprios bens e serviços.

Obviamente, a economia atual é muito mais complexa do que isso, envolvendo diversos atores e um nível de interdependência muito maior.

No fluxo circular de renda acima, temos os agentes essenciais do macroambiente econômico: 

  • Mercado de bens e serviços: onde as empresas oferecem bens e serviços, que são adquiridos pelas famílias e indivíduos
  • Mercado de fatores de produção: fatores como o trabalho, terra ou capital, oferecidos pelas famílias, que são contratados ou adquiridos pelas empresas.

Dessa forma, podemos identificar dois tipos de fluxos de riquezas:

  • Fluxo real: representa os bens e serviços ofertados pelas empresas para as famílias, que por sua vez são custeados pelos fatores de produção
  • Fluxo monetário: representa o dinheiro que circula como renda para as famílias e receita para as empresas, na direção contrária dos bens e serviços.

Assim, fica fácil visualizar as relações essenciais da economia e a forma como o sistema capitalista se equilibra na oferta e demanda, em uma versão simplificada.  

Importância do fluxo circular de renda

O primeiro fluxo circular de renda foi desenvolvido em 1730, pelo irlandês-francês Richard Cantillon, e ilustrava as relações básicas de circulação de mercadorias e distribuição da produção agrícola. Com o tempo, economistas como François Quesnay, Karl Marx e John Keynes aprimoraram o modelo, e hoje temos um diagrama moderno que inclui até cinco setores econômicos:

  1. Setor doméstico: famílias e indivíduos
  2. Setor produtivo: empresas da indústria, comércio e serviços
  3. Setor financeiro: bancos e intermediários não bancários que atuam com crédito
  4. Setor governamental: atividades econômicas dos governos local, estadual e federal
  5. Setor externo (resto do setor mundial): agentes do modelo de economia aberta (globalizada).

Com essa atualização, o fluxo circular de renda é utilizado para entender a dinâmica de mercado de um país e verificar o impacto das chamadas injeções (investimentos públicos e exportações) e vazamentos (impostos, poupança e importações). Quando os vazamentos são iguais às injeções, significa que a economia está em estado de equilíbrio.

Como aplicar o conceito do fluxo circular de renda na prática

Na prática, o fluxo circular de renda é utilizado para mensurar a riqueza produzida no país e sua distribuição. Para isso, podemos usar três óticas diferentes: a do produto, renda, e despesa.

A ótica do produto é representada pela soma de valores de todos os bens e serviços finais produzidos, ou seja, o PIB (Produto Interno Bruto). Já a renda é a soma dos fatores de produção como salários, juros, aluguéis e lucros gerados na economia, enquanto as despesas representam o total de consumo, investimentos, gastos governamentais e exportações realizadas pelo país. 

Logo, para o empreendedor e investidor, o fluxo circular de renda é importante para avaliar o cenário econômico e entender como os ativos e negócios estão posicionados nesse modelo. Assim, é possível tomar melhores decisões com uma visão macroambiental dos negócios, e não somente uma perspectiva pontual ou microeconômica. 

Entendeu o que é o fluxo circular de renda e como ele representa as engrenagens da economia? Como investidor, é importante que você domine conceitos básicos de macroeconomia como PIB, inflação, taxa de juros, políticas fiscais e monetárias, entre outros tópicos que fornecem uma visão mais ampla do nosso sistema. 

Com os conteúdos da Capital Research, você tem uma base econômica essencial em linguagem simples, objetiva e livre de jargões. Aproveite para assinar a newsletter e receber análises de conjuntura e recomendações de investimentos exclusivas. 

Recomendados

Investimentos

Ativo gerador de renda: o que é, tipos e como investir

Entenda mais sobre investimentos em ativos geradores de renda como imóveis ou ...

3 anos atrás

Investimentos

Como comprar ações: confira o passo a passo e 4 formas diferentes para voce começar a investir agora!

Devido à queda da taxa SELIC e a baixa rentabilidade da renda fixa, demanda-se ...

3 anos atrás

Investimentos

Bolha especulativa: entenda o que é e como acontece

Aprenda a identificar uma bolha especulativa, com exemplos históricos! Entenda mais ...

2 anos atrás