Crise de 2020: como o coronavírus derrubou a economia

A Crise de 2020 é marcada pela pandemia do coronavírus e recessão econômica global. Entenda suas causas e consequências.

A Crise de 2020 foi detonada pela pandemia global do coronavírus e derrubou a economia de forma implacável. Considerada a mais grave desde a crise financeira de 2008, ela resultou de uma combinação de fatores sem precedentes no mundo. 

De repente, todo o planeta está projetando uma profunda recessão econômica e os maiores setores produtivos estão paralisados. Bolsas derretem, ativos viram pó e os governos disparam os gastos públicos para socorrer empresas e trabalhadores. 

Nesse cenário, você precisa entender quais foram as causas e quais serão as possíveis consequências da Crise de 2020.

Leia até o fim para se situar em meio ao caos. 

Coronavírus e a Crise de 2020

Possivelmente, a Crise de 2020 será lembrada como a crise do coronavírus, mas vários outros fatores se combinaram à pandemia global para formar um cenário sem precedentes.

Acompanhe as principais causas que levaram a esse quadro de recessão.

Cenário de desaceleração econômica

É importante lembrar que, antes de qualquer sinal de pandemia, o Brasil já enfrentava a desaceleração da economia e se encontrava em lenta recuperação. Em 2019, o PIB teve um crescimento de apenas 1,1%, em comparação ao 1,3% de 2017 e 2018, conforme dados do IBGE. 

Para 2020, as expectativas eram otimistas: o governo chegou a projetar uma alta do PIB de 2,40% em janeiro de 2020. Em abril de 2020, esse número já havia despencado para uma queda de 1,18% no PIB brasileiro, conforme o boletim Focus do período. 

Ou seja: o coronavírus e seus fatores associados chegaram em um momento delicado para o país, em meio às dificuldades para retomar a economia e números modestos. 

Crash do petróleo

Junto à pandemia global, o preço do petróleo desabou 30% devido à guerra de preços entre Rússia e Arábia Saudita. A queda é a maior desde os tempos da Guerra do Golfo, e foi causada pelo aumento da produção e oferta de descontos da Arábia Saudita, para proteger sua posição de mercado contra a Rússia.

Pânico diante das incertezas da Covid-19

Com o avanço da Covid-19, o pânico tomou conta do mercado financeiro e da sociedade no geral. O medo da recessão global somado ao contexto da guerra de preços derreteu as bolsas no mundo todo, levando a B3 a acionar o circuit breaker repetidamente durante a Crise de 2020. 

Diante das incertezas, cessam os investimentos e cresce a aversão ao risco — criando um cenário de fuga de capital estrangeiro na bolsa brasileira. 

Paralisação das atividades econômicas

Para completar o quadro caótico da Crise 2020, as medidas adotadas para controlar a pandemia do coronavírus paralisam grande parte da economia, devido à necessidade de isolamento social para conter a disseminação. O intuito é adiar o contágio para que o sistema de saúde dê conta da demanda, salvando muitas vidas, mas o custo econômico também será altíssimo.

Consequências da Crise de 2020 

O consenso sobre a Crise de 2020 é que suas consequências podem ser muito piores do que as da Crise Financeira Global de 2008.

Veja quais são as maiores ameaças. 

Desemprego

Com o fechamento das empresas e queda brusca no faturamento, o aumento do desemprego é a primeira consequência que deve afetar o país. Os analistas preveem um aumento brusco da taxa de desemprego e desocupação, que deve ultrapassar os 11,6% do período pré-crise em pelo menos cinco pontos percentuais.

Endividamento público

Com os pacotes de medidas de enfrentamento ao Coronavírus, os gastos públicos emergenciais devem gerar um déficit de pelo menos R$ 452,5 bilhões, segundo estimativa publicada o G1. Diante da necessidade de socorrer trabalhadores e empresas, o rombo nas contas públicas é inevitável.

Falências

Muitas das empresas afetadas pela Crise de 2020 não têm caixa suficiente para se sustentar durante o período de paralisação. Considerando que a maioria são micro, pequenas e médias empresas, o país pode enfrentar um cenário de falência generalizada

Incertezas políticas

A Crise de 2020 também afeta o campo político e gera ainda mais incertezas em relação à capacidade dos governos em lidar com a recessão prolongada. Ficou claro que as principais economias do mundo estão com dificuldades em cooperar umas com as outras e que os países emergentes serão os mais prejudicados, devido à falta de recursos e endividamento.

Diante desse cenário, é fácil deduzir que o mercado financeiro enfrenta uma volatilidade intensa e um estado de bear market generalizado. Nesse momento, você precisa tomar decisões inteligentes para proteger seu patrimônio e reduzir possíveis as perdas da Crise de 2020. 

Se você ainda não recebe a newsletter diária da Capital Research, é um bom momento para assinar e receber relatórios exclusivos sobre as oportunidades e riscos do mercado. Em cenários otimistas ou pessimistas, é a análise profissional que fará diferença na sua estratégia de investimento.

Recomendados

Investimentos

10 livros para o investidor sobre mercado financeiro

Opções de leitura não faltam para quem quer investir. Veja lista com 10 livros ...

2 anos atrás

Investimentos

5 melhores podcasts para ouvir e aprender mais sobre negócios

Na Era dos Podcasts não faltam opções para quem está buscando dicas sobre ...

2 anos atrás

Investimentos

5 sites de notícias para acompanhar o mercado

Buscar informações atualizadas e confiáveis é fundamental para entender as ...

2 anos atrás