Como investir em crise? Conheça 5 dicas e estratégias

Em um cenário negativo no mundo, pode parecer especialmente difícil pensar em investir na crise. Mas ela pode ser uma oportunidade imperdível para crescer. Confira!

A recente redução da queda da taxa Selic fez com que muitas pessoas migrassem o seu capital da renda fixa para a renda variável. Entretanto, diante do cenário atual, as pessoas possuem muitas dúvidas sobre como investir em crise.

Acompanhe o artigo a seguir com as nossas cinco dicas e estratégias do que você pode fazer em tempos de crise e como aproveitar as oportunidades nos momentos de incerteza. Vamos lá!

Investir em crise: não entre em pânico!

Não entrar em pânico pode ser um pouco difícil quando você vê o seu patrimônio investido caindo com a bolsa. Entretanto, é preciso lembrar de uma coisa, por maior que a perda possa parecer, você só irá consolidá-la se fizer o resgate do seu dinheiro.

Lembre-se que as ações podem ter desvalorizado, e junto o seu dinheiro, mas quando a bolsa começar a se recuperar, as ações vão começar a subir, e o seu patrimônio voltará a crescer.  Portanto, se você não é day trader e está focado no longo prazo, mantenha a sua estratégia.

5 dicas e estratégias para investir em crise

Conheça agora quais são as nossas dicas e estratégias para manter a calma e o seu dinheiro investido nos momentos de crise.

1. Tenha uma reserva de emergência

Um dos primeiros mandamentos de um bom planejamento financeiro e das finanças pessoais é ter uma reserva de emergência. Essa reserva é composta por um valor equivalente a, no mínimo, três meses do seu orçamento mensal, mas idealmente seis meses. 

Por exemplo, se você tem um orçamento mensal de R$ 3 mil, a sua reserva de emergência para três meses deverá ser de R$ 9 mil. Já se você optar por mais segurança e quiser fazer uma reserva de seis meses, então a sua reserva deverá ter um total de R$ 18 mil. 

Assim, se algo acontecer e você perder a sua fonte de renda, você ainda poderá se manter por mais alguns meses até encontrar um novo emprego. Por isso essa reserva é tão importante em momentos de crise.

No momento atual, em que a pandemia pelo coronavírus obrigou muitos empresários a fechar as portas, fazendo com que muitas pessoas perdessem a sua fonte de renda. E é essa reserva de emergência que vai garantir o seu sustento.

Entretanto, é claro que ela pode ser utilizada em outros momentos, tais como pagar por um tratamento médico, consertar o seu veículo, fazer um reparo na sua residência, fazer uma viagem inesperada, dentre muitos outros.

2. Prefira a renda fixa

Se investimentos em renda variável já oferecem riscos e possuem alta volatilidade, imagine em tempos de crise. Recentemente, a Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, viveu um momento histórico. Somente em março de 2020, o circuit breaker foi acionado seis vezes, algo que nunca havia corrido antes na história da bolsa.

Por isso, nesse momento, o melhor que você pode fazer não é parar totalmente de investir, mas sim manter o seu capital em renda fixa. Esse tipo de ativo oferece mais segurança aos investidores, já que em muitos casos você já sabe o quanto o seu dinheiro vai render quando faz a aplicação.

Dentre os investimentos de renda fixa estão:

  • Títulos públicos: como é o caso do tesouro direto;

 

  • Letras de Crédito: como o LCI e LCA;
  • Títulos Privados: como os CDB.

 

Os ativos de renda fixa são, inclusive, uma excelente opção para manter o dinheiro da sua reserva de emergência. É apenas importante que você fique atento à liquidez do investimento. Lembre-se que a reserva deve ser um dinheiro que você consiga acessar facilmente quando precisar.

3. Invista em ações de empresas sólidas

No mês de março de 2020, o Ibovespa, índice da B3 e benchmark para vários investimentos, desvalorizou 35%. O resultado disso foi que a maior parte das ações também se desvalorizaram. 

Entretanto, essa desvalorização se deu principalmente pelas incertezas provocadas pela pandemia do coronavírus, redução do preço do petróleo e pela redução das taxas de juros no país em meio à crise.

Por mais que muitas empresas estejam vivendo um momento de redução do preço das suas ações, isso foi causado pelo movimento negativo do mercado financeiro como um todo. Portanto, continuam sendo boas opções a longo prazo as empresas sólidas que apresentem:

  • Baixos índices de endividamento;
  • Resultados consistentes ao longo de sua história;
  • Boas perspectivas para o futuro.

Dito isso, para ter mais segurança no momento de escolher onde investir em crise, é melhor evitar as empresas mais novas e que tenham um IPO (Initial Public Offering) recente.

4. Não faça movimentos bruscos ao investir

Por mais tentador que seja, e que a Bolsa de Valores pareça estar em liquidação, agora não é momento de fazer grandes investimentos. Muitos especialistas estão alertando que o momento ainda é de grande volatilidade e de incertezas. Por isso, o melhor investimento na crise é deixar o seu dinheiro em um ativo seguro. 

Mas, se mesmo assim você quiser comprar alguns ativos na bolsa, opte pelas ações de empresas sólidas e foque no longo prazo, conforme mencionamos acima.

5. Mais uma vez: não entre em pânico!

Entrar em pânico não irá te ajudar neste momento. A influência do estresse nos investimentos, pode fazer com que você tome decisões erradas. Portanto, respire fundo, evite ficar olhando as cotações a cada cinco minutos e espere a crise passar. Se você tem uma boa estratégia de investimento, é hora de mantê-la.

Além disso, é importante estar ciente que provavelmente a bolsa levará muito tempo para retornar aos patamares anteriores. Por isso, pode ser que você tenha uma rentabilidade mais baixa, mas não irá perder tanto quanto simplesmente vender todos os seus ativos.

Outra ferramenta interessante que os investidores têm e que deve ser utilizada neste momento de investimentos em crise, é a venda automática.

Todas as corretoras e home broker oferecem a possibilidade de configuração, em que você tem um limite tolerável de perda, e caso a ação atinja aquele nível, ela será automaticamente vendida.

Esperamos que você aproveite as nossas dicas de como investir em crise. E se ainda ficou com alguma dúvida, é só encontrar em contato com a nossa equipe. Faça agora um dos nossos planos e tenha acesso à assessoria de investimentos, conteúdos exclusivos e cursos gratuitos. Acompanhe o blog do Capital Research para ter mais dicas de investimentos.

Recomendados

Investimentos

Como se proteger financeiramente em crise?

Os famosos períodos de “vacas magras” são mais comuns que imaginamos, sendo ...

2 anos atrás

Investimentos

Crise financeira mundial: estamos diante de uma (e quais foram as maiores)?

A crise financeira mundial é um fenômeno que gera medo e incerteza nos ...

2 anos atrás

Investimentos

Desemprego estrutural: o que é e como identificar

O desemprego estrutural pode ser mais uma ameaça da crise do coronavírus? Entenda o ...

2 anos atrás