Ciclo econômico: o que é e como ganhar dinheiro com cada um

É essencial compreender o ciclo econômico para gerir seus investimentos e ganhar mais dinheiro. Veja por onde começar.

Quer entender como funciona o ciclo econômico, quais são seus estágios e como investir melhor considerando o momento no país?

Boa notícia: é justamente sobre isso que você vai ler neste artigo.

O ciclo econômico se constitui em quatro momentos. São eles: expansão, boom, contração e recessão.

Conhecer as características de cada estágio é essencial para identificar os melhores investimentos e, possivelmente, aumentar os ganhos financeiros.

Quer saber mais? Continue lendo e descubra como funciona cada ciclo econômico. 

Teoria dos ciclos econômicos

Os ciclos econômicos são períodos marcados por flutuações na atividade econômica de um país em longo prazo.

Eles são marcados por quatro períodos principais: expansão, boom, contração e recessão, alternando tempos de economia próspera com tempos de estagnação ou crise.

Trata-se de um movimento natural na economia, uma vez que ela é impactada por um número enorme de fatores.

Em um artigo para a revista Forbes, o cientista de dados Kurt Cagle faz uma analogia para explicar os ciclos econômicos: eles são como um sistema climático.

“Um sistema de alta pressão traz dias quentes, céu limpo e muito crescimento. Periodicamente, você pode receber breves tempestades que fornecem um pouco de chuva, limpando o ar da lama acumulada, mas raramente duram muito”, explica o autor.

Mas, afinal, quais são os fatores que resultam nos ciclos econômicos?

Esse sistema é explicado pela escola monetarista, que relaciona esses ciclos à atividade de crédito.

Quando as taxas de juros estão altas, as pessoas compram menos e, de preferência, ficam longe de alternativas como empréstimos e financiamentos.

Acontece o contrário quando as taxas de juros estão baixas: as pessoas compram mais e têm mais segurança para fazer investimentos de longo prazo. 

Essas atividades têm impacto direto na economia do país, contribuindo positiva ou negativamente para o cenário geral.

Outro fator que contribui para a formação dos ciclos econômicos, de acordo com o monetarismo, é instabilidade da oferta da moeda, que também tem impacto nas movimentações financeiras.

O que acontece em cada ciclo econômico

O ciclo econômico ocorre em quatro etapas diferentes. Agora que você está familiarizado com o conceito, é hora de conhecer as características principais de cada fase. Confira:

Expansão

O período de expansão é caracterizado por uma economia em fase de crescimento da produção de produtos e serviços.

É quando um país está se recuperando de um período de recessão.

A economia fica favorável à abertura de novos negócios, os índices de desemprego tendem a cair, e os salários aumentam.

Além disso, as taxas de juros normalmente são mais baixas em fases de expansão.

Boom

Depois da expansão, a economia tem o pico do ciclo.

Dito de outra forma, trata-se do ponto máximo na produção de mercadorias e serviços. É quando a economia está no auge.

Contração

Após o boom, a tendência é que a economia sofra um período de contração: a diminuição das atividades econômicas e o aumento nos índices de desemprego.

Geralmente, aqui as empresas reduzem preços de mercadorias e serviço para ganhar competitividade no mercado, já que há barreiras financeiras para o consumo de maneira geral.

Recessão

A quarta etapa do ciclo econômico, a de recessão, é marcada por declínio da economia, podendo chegar a um cenário de crise.

Nesse período, o desemprego é alto, assim como as taxas de juros, que desencorajam a população a consumir.

E a roda não para por aí.

Depois da recessão, vem a expansão, e assim a economia segue o seu fluxo.

Como ganhar dinheiro com o ciclo econômico

É essencial levar em conta o ciclo econômico na hora de investir, pois isso permite um direcionamento mais assertivo das aplicações financeiras.

No Brasil, é possível observar uma economia na fase de expansão.

Em setembro de 2019, o nível de atividade da economia teve alta de 0,44% em comparação com agosto, por exemplo, de acordo com o Índice de Atividade Econômica do BC (IBC-Br).

Se o nível for comparado com setembro de 2018, trata-se de um aumento de 2,11% da atividade econômica.

Além disso, é um momento interessante para ampliar os investimentos na Bolsa de Valores.

Com as taxas de juros mais baixas, a renda fixa perde sua atratividade, e as empresas ganham força.

Em outubro, por exemplo, a Ibovespa alcançou a máxima histórica acima dos 107 mil pontos. 

Portanto, na etapa de recuperação econômica, o caminho é investir em renda variável, com destaque para as ações na Bolsa de Valores.

Nesse momento, as empresas estão em ascensão e com margens de lucro maiores. Logo, possuem maior valor de mercado, o que aumenta a rentabilidade do investidor.

Mas, para se posicionar bem no ciclo econômico e entender qual é o melhor investimento, primeiro você precisa conhecer o seu perfil de investidor e a sua tolerância ao risco.

Nessa hora, conte com o apoio da Capital Research para avaliar o investimento ideal, compor uma carteira diversificada e receber orientação de um time de especialistas.

Gostou das dicas? 

Curta e compartilhe este artigo nas redes sociais.

Recomendados

Investimentos

Análise de custos: o que é, para que serve e como fazer

Entenda a importância, quais os métodos mais utilizados e de que forma a análise ...

3 anos atrás

Investimentos

Capitalização composta: o que é, exemplos e como aproveitar

...

3 anos atrás

Investimentos

Como investir em ações com pouco dinheiro: passo a passo

Aprenda como investir e comprar ações com pouco dinheiro, confira nosso passo a ...

3 anos atrás