Aposentadoria privada: conheça os tipos de fundos e sua importância

A aposentadoria privada é uma opção de investimento de longo prazo para um futuro mais tranquilo. Conheça os tipos de planos.

A aposentadoria privada vem crescendo entre os brasileiros como opção de investimento para garantir uma renda superior no futuro. Com as mudanças na previdência social, cada vez mais pessoas buscam esses fundos de longo prazo para se aposentar com mais tranquilidade e atingir objetivos financeiros.

De modo geral, os planos de previdência privada funcionam como fundos de investimento, mas têm algumas particularidades. Por isso, vamos mostrar quais são os tipos de aposentadoria privada disponíveis, vantagens e sua importância para o investidor. 

Siga a leitura e veja se vale a pena ter seu plano de previdência complementar.

Importância da aposentadoria privada

A aposentadoria privada é uma opção de investimento de longo prazo para complementar a previdência social, aumentar a renda no futuro e atingir objetivos financeiros. Trata-se de um fundo de investimentos gerido por bancos e corretoras, com diferentes planos, formas de tributação e modelos de contribuição. 

Desde a Reforma da Previdência de 2019, ficou claro que o sistema de previdência pública brasileiro enfrenta uma situação de déficit. Com o aumento da insegurança em relação ao INSS e mudança das regras, a aposentadoria privada disparou no país. 

Só no terceiro trimestre de 2019, os investimentos nos fundos previdenciários cresceram 35,4%, somando R$ 34,2 bilhões em novos aportes e 13,3 milhões de participantes, segundo dados da FenaPrevi publicados na Istoé. Esse crescimento foi reflexo direto das mudanças na aposentadoria pública, mas também do aumento da concorrência e condições mais atrativas dos planos de previdência privada. 

Como funciona a aposentadoria privada 

A aposentadoria privada funciona como qualquer outro fundo de investimento, mas tem algumas regras específicas.

Confira as características dos planos. 

Fase de acumulação x fase de recebimento

Os planos de aposentadoria privada são divididos em duas fases: acumulação e recebimento. Na primeira, você realiza os aportes no valor e periodicidade desejados para formar seu patrimônio. Na segunda, pode escolher como deseja receber o benefício acumulado e corrigido, seja na forma de renda mensal ou retiradas por conta própria.

Composição variada da carteira 

Assim como os fundos de investimentos, a aposentadoria privada têm diferentes composições de carteira, que atendem todos os perfis de investidores. No mercado, é possível contratar planos de previdência privada que investem em renda fixa, fundos multimercados e ações, por exemplo, com diferentes proporções de cada ativo

Aplicações em longo prazo

Os fundos de aposentadoria privada são formatados para investimentos em longo prazo (a partir de dez anos, geralmente). Por isso, quanto mais tempo o dinheiro ficar aplicado, maior será a rentabilidade e o benefício obtido no futuro. 

Sem come-cotas e inventário

A previdência privada oferece duas vantagens importantes para quem deseja construir patrimônio de longo prazo e fazer o planejamento sucessório: ausência de come-cotas e dispensa do processo de inventário. Dessa forma, os rendimentos se tornam mais atrativos e o dinheiro pode ser facilmente transferido aos herdeiros. 

Tributação diferenciada

Outro aspecto essencial da aposentadoria privada é o regime diferenciado de tributação do Imposto de Renda. Além dos benefícios fiscais como abatimento da declaração anual, os fundos previdenciários oferecem opções de tributação progressiva e regressiva, como veremos em mais detalhes a seguir. 

Tipos de fundos para aposentadoria privada 

Os fundos para aposentadoria privada podem ser abertos, quando são comercializados livremente, ou fechados, quando são oferecidos como benefício aos funcionários de empresas e outras entidades. Além disso, também é possível classificá-los em tipos e regimes de tributação.

Confira os tipos de fundos abertos do mercado.

PGBL

O PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) é o tipo de fundo previdenciário recomendado para pessoas de renda mais alta, pois seu valor pode ser abatido do IR (desde que represente até 12% da renda bruta anual). Porém, no momento dos resgates, o imposto é cobrado sobre o valor total aplicado — e não somente sobre os rendimentos.

VGBL

O VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) não permite a dedução do Imposto de Renda, mas tem a vantagem da tributação somente sobre os rendimentos no momento do resgate. É indicado para pessoas de renda inferior que declaram IR simplificado. 

Tipos de tributação na aposentadoria privada

Por fim, tanto o PGBL quanto o VGBL permitem a escolha entre os regimes de tributação segundo a tabela regressiva ou progressiva. 

No primeiro caso, as alíquotas diminuem conforme o tempo de aplicação, partindo de 35% até 2 anos de aplicação e chegando a apenas 10% acima de 10 anos no plano. 

Já no regime progressivo, a tributação segue a mesma tabela que incide sobre os salários, aumentando a alíquota conforme o valor resgatado (de zero a 27,5%). 

Para quem busca o longo prazo e tem muitos anos de acumulação de patrimônio pela frente, a tributação regressiva é a mais indicada.

Entendeu como funciona a aposentadoria privada? 

Se você quer garantir um futuro tranquilo e construir um patrimônio sólido, pode considerar a previdência privada como opção de investimento. 

Para se aprofundar no assunto e conhecer outras aplicações com retornos em longo prazo, assine a newsletter da Capital Research e planeje melhor seus investimentos.

Recomendados

Investimentos

10 livros para o investidor sobre mercado financeiro

Opções de leitura não faltam para quem quer investir. Veja lista com 10 livros ...

2 anos atrás

Investimentos

5 melhores podcasts para ouvir e aprender mais sobre negócios

Na Era dos Podcasts não faltam opções para quem está buscando dicas sobre ...

2 anos atrás

Investimentos

5 sites de notícias para acompanhar o mercado

Buscar informações atualizadas e confiáveis é fundamental para entender as ...

2 anos atrás