Análise de sensibilidade: o que é e como é feita

Análise de sensibilidade é um método de avaliação que pode ser usado para traçar estratégias em investimentos. Descubra tudo a respeito

A análise de sensibilidade é um recurso importante tanto para empresas quanto para investidores. O método busca entender o quanto será impactado do resultado final se uma de suas variáveis for alterada.

Para isso, gestores e traders devem conhecer bastante sobre o mercado em questão e ter a capacidade de elaborar cenários.

Descubra, neste artigo, como a análise de sensibilidade pode ter efeitos positivos nos investimentos e reduzir os riscos das aplicações.

O que é análise de sensibilidade?

Você saberia dizer o quanto de sua renda mensal seria afetada, no mês que vem, caso o valor da conta de luz aumentasse em 10%?

Pois é, essa é uma resposta simples, mas que nem sempre temos na ponta da língua.

Para avaliar o quanto de um projeto ou investimento será afetado se uma das suas variáveis sofrer alteração, é utilizada a análise de sensibilidade. Em outras palavras, esse é um processo de verificação dos pesos de cada um dos elementos no resultado final de uma empreitada.

Assim, a análise de sensibilidade pode ser utilizada em diversos contextos. Especialmente no mundo empresarial e de investimentos, ela possibilita minimizar riscos e maximizar ganhos.

Para que serve a análise de sensibilidade?

O principal objetivo da análise é entender como cada uma das partes atua para que o produto final seja concluído. Isso é feito compreendendo como cada uma delas age para o alcance do resultado.

Por exemplo, pense em variáveis que interferem nos lucros de uma empresa, como receita, custos, impostos, inadimplência, produtividade, rentabilidade, economia de escala, macroeconomia, entre outros.

É função do bom gestor compreender como esses elementos atuam e interferem na obtenção de lucros da companhia. Mais do que isso, ele deve mensurar o impacto que cada um deles terá sobre o resultado do empreendimento.

Em determinado ano operacional, a meta é chegar a R$ 1 milhão em lucro. Mas se os impostos subirem 5%? E se os custos operacionais crescerem 10%? Como a lucratividade será afetada caso a receita aumente 7,5%?

A administração da empresa, ao fazer a análise de sensibilidade, terá a capacidade de elaborar diferentes cenários. E, para cada um deles, responder sobre o impacto da alteração das variáveis.

Quando a análise de sensibilidade se aplica?

Como vimos, a análise de sensibilidade pode ser aplicada em diferentes contextos, até mesmo para operações rotineiras ela tem validade. Assim, você pode imaginar situações futuras de sua vida particular e mensurar como alterações pontuais podem impactar diferentes áreas.

Caso você mude de cidade no ano que vem, o que isso afetaria a sua vida profissional e pessoal, por exemplo?

Em termos mais técnicos, no entanto, a análise de sensibilidade é utilizada particularmente para a compreensão de negócios e investimentos. Através da avaliação dos componentes, gestores e investidores são capazes de encontrar soluções prévias para possíveis problemas futuros. Com essas “respostas” em mãos, eles podem agir de maneira antecipada para diminuir riscos e aumentar ganhos.

Como é feita a análise de sensibilidade

Basicamente, a análise pode ser feita sob duas perspectivas:

  • Ceteris Paribus: considera-se que somente uma variável será alterada e, assim, todas as demais se mantêm;
  • Mudança em mais de uma variável: em uma avaliação mais complexa, analisam-se diferentes mudanças ao mesmo tempo.

Em um cenário ideal, somente uma das variáveis se alteraria. Assim, seria possível ver com mais clareza o impacto de um elemento sobre o todo. Porém, na prática, sabemos que muitas situações podem se alterar de forma conjunta, trazendo mudanças significativas para o resultado final.

Assim, a análise de sensibilidade pode isolar uma parte ou considerar várias diferentes para a criação de cenários. Fundamental para que essa avaliação seja feita com sucesso é ter dados precisos, afinal, isso garante a maior confiabilidade dos cenários.

Análise de sensibilidade nos investimentos

Já vimos um exemplo da análise de sensibilidade com empresa. Agora, vamos trazer uma prática de investimentos?

O grande objetivo do investidor é ter retorno sobre o dinheiro aplicado, não é verdade?  Supondo que um acionista espere ter um lucro de R$ 10.000 ao fim de um período: para isso, ele analisa a sensibilidade de diversas questões envolvidas ao mercado de ações:

  • Se a empresa em questão diminuir seu lucro em 5%, o quanto isso afeta os ganhos esperados?
  • Caso a taxa de corretagem for menor, o quanto isso impacta na lucratividade do investimento?
  • Se a meta de inflação for maior, haverá real rentabilidade da aplicação?

Esses são apenas alguns pontos que podem ser levantados na análise de sensibilidade. O importante é que ela leve em conta questões relevantes, que tenham real influência sobre o resultado do investimento. Além disso, é necessário utilizar o máximo de precisão nos dados referentes às variáveis.

Assim, a análise de sensibilidade será realizada com maior certeza – apesar das incertezas da criação de cenários. Por tudo isso, o método é excelente tanto para empresas quanto para investidores que desejam pesar as variáveis de uma aplicação financeira.

No blog da Capital Research você fica bem informado sobre os assuntos que mais interessam a você. Aproveite para acessar nosso site e descobrir mais sobre como encontrar as melhores oportunidades de investimento de forma gratuita.

Recomendados

Investimentos

Ativo diferido: o que é e como funciona

Ativo diferido é uma espécie de despesa pré-operacional, cujo benefício só é ...

3 anos atrás

Investimentos

Capital especulativo: como funciona e como ganhar dinheiro

Entenda mais sobre esse tipo de ação de mercado e conheça melhor suas vantagens e ...

3 anos atrás

Investimentos

Diferenças entre corretora e gestora: saiba tudo antes de investir

Leia nosso artigo para esclarecer melhor quaisquer dúvidas sobre a diferença entre ...

3 anos atrás