Queda da bolsa: como evitar o pânico diante das incertezas

Como se comportar diante de uma queda da bolsa? Descubra como evitar o pânico e enxergar oportunidades com dicas de gestores.

A queda da bolsa sempre provoca medo e assusta os investidores cuja mentalidade não está preparada para as oscilações da renda variável.

Não é fácil ver o próprio patrimônio despencar 30%, 40%, 50% e ainda assim manter a calma em meio às incertezas da bolsa de valores.

De fato, grandes quedas da bolsa podem ser acompanhadas por péssimas notícias e derrocada econômica. 

Mas é possível evitar o pânico nesse momento e até lucrar com as oportunidades, desde que você tenha a mentalidade de um investidor de longo prazo, que acumula ativos para ganhar no futuro.

Neste artigo, você vai conhecer as maiores quedas da bolsa e também vai entender o que dizem especialistas sobre esse momento, tão recorrente na renda variável.

Queda da bolsa: e agora? 

O que fazer diante de uma queda da bolsa? A resposta mais certeira é: depende.

Depende principalmente do seu perfil de investidor e do seu horizonte de investimento. A verdade é que não há uma resposta certa para essa pergunta, porque há várias maneiras de ganhar dinheiro na bolsa.

Investidores de longo prazo, que praticam o buy and hold, podem ver a queda da bolsa como uma oportunidade para se tornar sócio de empresas a preços mais atrativos do que antes.

Já os investidores de curto prazo, que buscam ganhar na especulação, podem enxergar oscilações como uma oportunidade de apostar contra o índice Ibovespa, por exemplo. Nesse caso, a bolsa teria que cair ainda mais para que a operação tenha lucro.

O fato é que a bolsa de valores é o melhor investimento no longo prazo, como já mostrou o especialista em finanças Jeremy Siegel em um estudo nos Estados Unidos.

Em seu livro “Investindo em ações no longo prazo”, ele analisa mais de 200 anos de evolução da bolsa de valores, do dólar, ouro, títulos públicos e inflação, para apurar a perspectiva de crescimento das ações no mercado norte-americano.

Mas esse crescimento não é retilíneo. Um lema comum dos investidores do mercado de ações é de que a “bolsa sobe caindo”. Em outras palavras, a renda variável varia no curto e até no médio prazo, mas tende a seguir trajetória de crescimento no longo prazo.

De qualquer forma, todas as quedas da bolsa costumam ser explicadas pela aversão ao risco entre os investidores. Quando surgem incertezas sobre o cenário econômico e a capacidade das empresas em manter os lucros, os investidores podem procurar ativos mais sólidos, e é isso que derruba a percepção de valor dos ativos. 

4 das maiores quedas da bolsa da história 

De acordo com a consultoria Economática, a bolsa de valores brasileira passou por quatro grandes períodos de queda na sua história, também chamados de bear market.

1971 – Crise no regime militar

O fim do chamado milagre brasileiro, durante o regime militar, fez as ações da bolsa de valores despencarem. A partir do dia 8 de junho de 1971, as ações entraram em declínio, e a bolsa amargou uma década de queda, com perda de 81,3% no total. 

1986 – Falha do plano cruzado

Tentando controlar a inflação, o Brasil passou por sucessivos problemas com a sua moeda. O plano Collor coincidiu com o colapso do Plano Cruzado, e provocou uma desvalorização de 90,5% na bolsa de valores.

1997 – Crise dos tigres asiáticos

Com a crise dos tigres asiáticos e, posteriormente, o estouro da bolha da internet, a bolsa entrou em novo ciclo de desvalorização no dia 8 de julho de 1997.  A queda total foi de 82,9% no período.

2008 – Crise do subprime

Já em 2008, a crise do subprime, a famosa bolha imobiliária norte-americana, levou a bolsa de valores brasileira a uma queda total de 71,1%, começando no dia 19 de maio de 2008.

Queda da bolsa: o que dizem os gestores

Como se comportar diante de uma queda na bolsa? Reunimos alguns ensinamentos de grandes gestores do mercado de ações para você se inspirar.

Peter Lynch

Um dos mais icônicos e celebrados investidores da história, Peter Lynch ficou famoso por assumir um fundo de investimento com patrimônio de US$ 18 milhões e chegar aos US$ 14 bilhões.

Alguns dos seus ensinamentos presentes no livro O Jeito Peter Lynch de investirdão uma ideia de como ele enxerga as quedas da bolsa – e de como o investidor às vezes precisa agir contra o comportamento de manada.

Uma frase que mostra isso é: “Os investidores tendem a ser otimistas e pessimistas precisamente nos momentos equivocados, de modo que é prejudicial a si próprio a atitude de tentar investir em bons mercados e sair em maus mercados.”

Outra que mostra o seu pensamento é: “As ações têm maior probabilidade de serem aceitas como prudentes no momento em que não o são“.

Luiz Barsi

Com mais de R$ 2 bilhões investidos na bolsa de valores, o investidor Luiz Barsi é um dos maiores investidores de renda variável do Brasil, tratado como uma lenda do mercado financeiro brasileiro.

Quando a bolsa despencou devido à crise provocada pelo novo Coronavírus, em março de 2020, Barsi deu diversas entrevistas e publicou vídeos nas redes sociais expondo a sua mentalidade para a queda da bolsa.

Segundo ele, aquele foi um grande momento para o investidor de longo prazo. “Estou comprando tudo que posso. O jacaré está de boca aberta esperando a passarinhada”, disse, em um vídeo.

Warren Buffett

Warren Buffett, o oráculo de Omaha, que já ostentou o posto de homem mais rico do mundo por alguns anos, quando sua fortuna bateu mais de US$ 60 bilhões, é famoso por suas frases de efeito, além do seu profundo conhecimento do mercado de ações.

Algumas dessas frases podem ser aplicadas no momento de queda da bolsa, como essas três que separamos:

  • Veja as flutuações de mercado como uma amiga e não como uma inimiga. Lucre com suas bobagens e não participe delas.
  • “Só compre algo que você ficaria perfeitamente feliz em segurar caso o mercado fechasse por 10 anos”
  • “Quer estejamos a falar de meias ou de ações, gosto de comprar mercadorias de qualidade quando o mercado está para baixo”.

Isso significa que comprar ações é o mais indicado diante de qualquer queda na bolsa? Não. Significa apenas que grandes gestores, que tiveram sucesso no longo prazo, conseguem distinguir o preço de um ativo do seu valor.

Ou seja: diferenciar o quanto ele custa do quanto ele vale.

Se você também conseguir fazer isso, são grandes as chances de que tenha sucesso no longo prazo.

E aí, gostou do artigo? Então inscreva-se na newsletter da Capital Research e receba atualizações diárias sobre o mercado financeiro na sua caixa de entrada.

Recomendados

Investimentos

10 livros para o investidor sobre mercado financeiro

Opções de leitura não faltam para quem quer investir. Veja lista com 10 livros ...

2 anos atrás

Investimentos

Bolsa de Valores: o que é, qual sua importância e 5 razões para investir

A Bolsa de Valores pode ser uma maneira de aumentar a rentabilidade dos seus ...

3 anos atrás

Investimentos

Bolsa de Valores para iniciantes: tudo o que você precisa saber

Entenda o que é, como funciona e as principais características da bolsa de valores ...

2 anos atrás