O que é BTC e como funciona o aluguel de ações

Entender o que é BTC é o primeiro passo para quem deseja lucrar com o aluguel de ações. Veja como funciona esse instrumento.

Entender o que é BTC é um dos primeiros passos para quem deseja fazer o aluguel de ações e receber um rendimento extra com a carteira, focando no longo prazo.

Embora a taxa de aluguel não vá gerar um retorno expressivo para o seu patrimônio, esses valores somados podem melhorar a remuneração da sua posição em ações.

Neste artigo, você vai entender o que é BTC, como funciona o aluguel de ações e quais são as taxas médias de aluguel.

O que é BTC

BTC é a sigla para Banco de Títulos CBLC. Na prática, porém, BTC se refere ao aluguel de ações, porque o Banco de Títulos CBLC é o mecanismo por meio do qual a bolsa de valores negocia esses ativos.

Não é difícil entender como funciona o aluguel de ações. Há duas partes interessadas:

  • Doador: ele detém os ativos e aluga para o tomador
  • Tomador: ele utiliza os ativos alugados pelo doador para operações de especulação.

Se você investe com foco no longo prazo e possui diversas ações em carteira, o BTC é uma maneira interessante de conseguir uma remuneração extra.

Isso porque o tomador vai remunerá-lo pelo aluguel das ações no período definido, mas você continuará com o direito sobre os dividendos e sobre os juros sobre capital próprio.

Por isso, o aluguel de ações é indicado para quem não pretende vender os ativos no curto prazo e no médio prazo, mas quer turbinar os retornos das ações, buscando acumulação de capital no longo prazo.

Por enquanto, é possível fazer o aluguel dos seguintes ativos na bolsa de valores brasileira:

  • Ações
  • Units 
  • ETFs 
  • BDRs.

Da parte do doador, que emprestará as ações, não há nenhum custo. Já o tomador precisa arcar com algumas despesas, entre taxas e a própria remuneração do doador, que detalharemos a seguir. 

Mesmo assim, a operação pode ser vantajosa para o tomador se ele quiser operar vendido, ou seja: negociar ações que ele não possui. Em geral, essa estratégia é adotada por quem acredita na queda de determinado ativo. Assim, ele vende ativos que não possui para comprá-los novamente no futuro, a um preço inferior – se a operação for bem-sucedida, é claro.

Como se vê, o BTC pode ser uma operação ganha-ganha, em que ambos os lados são beneficiados. Vamos entender melhor?

Vantagens do BTC

Agora que você já sabe o que é BTC, vamos listar as principais vantagens para as duas partes envolvidas no aluguel de ações.

Vantagens para o doador

Como o doador não tem custos na operação, ele acumula uma série de vantagens ao alugar suas ações:

  • É remunerado pelo aluguel
  • Continua recebendo dividendos e juros sobre capital próprio
  • Aumenta a rentabilidade da carteira no longo prazo.

 

Vantagens para o tomador

Já o tomador tem menos vantagens flagrantes, mas pode se beneficiar caso suas estratégias se mostrem bem-sucedidas:

  • Pode ganhar com a queda de um ativo
  • Pode negociar um ativo que não possui
  • Pode fazer operações de long & short.

O que é a taxa BTC

A taxa BTC é a taxa de juros pela qual o tomador das ações vai remunerar o doador ao final do período de aluguel das ações.

Esse valor é acordado entre as partes antes das operações. Usualmente, é o doador, que detém as ações, que estipula uma taxa BTC para alugá-las. Se algum tomador achar o preço interessante, o negócio é realizado.

Além da taxa BTC, que define o valor da remuneração, é preciso definir o tempo que o ativo ficará alugado.

Para o tomador, a taxa BTC não é o único custo. Ele também precisará pagar as taxas de corretagem – caso a corretora de valores cobre –, a taxa de registro da operação na B3, que é de 0,25% ao ano sobre o valor total das ações emprestadas, e as taxas de emolumentos das ações.  

Custódia remunerada no BTC

A custódia remunerada no BTC é um serviço oferecido por grandes corretoras de valores, em que o aluguel de ações ocorre de forma “automática”, bastando ao doador selecionar uma opção no site da corretora.

Nesse caso, a corretora se encarrega de emprestar os ativos e registrar os contratos. Ela funciona como uma intermediadora do processo – e é remunerada por isso. 

Esse mecanismo vale a pena para quem tem muitas ações em carteira com foco no longo prazo e prefere não se incomodar procurando tomadores para as suas ações. 

Taxa média de aluguel no BTC

As taxas de aluguel no BTC são livremente negociadas entre as partes envolvidas, o doador e o tomador. 

Em geral, no entanto, a taxa média de aluguel fica entre 2% e 5% do preço total da ação no período de 12 meses. Se o tomador ficar com o ativo por um mês, por exemplo, é preciso calcular proporcionalmente. 

Quer um exemplo? Suponha que você tenha 550 ações da Petrobras (PETR3) ao valor aproximado de R$ 10 mil, e consiga alugar todas total pelo período de um ano, a uma taxa BTC de 3% ao ano. Ao fim do período, o tomador vai remunerar as suas ações com R$ 300. 

E aí, conseguiu entender o que é BTC e como o aluguel de ações pode beneficiar os doadores no longo prazo? Se você está montando a sua carteira e tem dúvidas entre quais empresas escolher, assine a Capital Research e tenha acesso aos melhores relatórios do mercado.

Recomendados

Investimentos

Análise técnica das tendências das ações: guia para lucrar na bolsa

...

2 anos atrás

Investimentos

Ações preferenciais ou PN: entenda qual a vantagem

Ações preferenciais ou PN são ações com prioridade na distribuição de ...

3 anos atrás

Investimentos

Ações com dividendos: como ter as melhores na sua carteira?

...

2 anos atrás