Keiretsu: descubra o que é, a origem e como funciona

O keiretsu foi uma estrutura de negócios relevante no Japão até a década de 1980. Entenda o conceito e como funciona.

Keiretsu

Quer entender melhor o que é keiretsu e como esse antigo conceito japonês se aplica nos negócios?

De forma resumida, keiretsu foi um modelo de parcerias entre empresas que teve seu apogeu na década de 1980.

Entre suas características principais, estão a integração vertical ou horizontal, a busca por competitividade e o ganho de eficiência na cadeia de suprimentos.

A seguir, vamos tirar todas as suas dúvidas sobre o tema e mostrar como essa ideia se insere no contexto econômico atual.

O que é keiretsu

Keiretsu é um termo japonês que indica uma estrutura de negócios em que grandes empresas firmam parcerias e colaboram entre si para alcançar objetivos estratégicos.

Parece um conceito abstrato para você? Então, imagine o keiretsu como uma rede em que parceiros estratégicos são conectados.

Essas relações podem apresentam integrações verticais e horizontais. Nesse modelo, empresas colaboram em projetos em comum e adquirem participações de capital entre o grupo.

Mas como foram criados os keiretsus? Trata-se de um modelo surgido depois da Guerra Russo-Japonesa com o objetivo de dar suporte à economia do Japão depois da Segunda Guerra Mundial.

O keiretsu teve seu apogeu no país na década de 1980. Em um artigo para a revista Harvard Business Review, Katsuki Aoki, professor-adjunto na Escola de Administração de Empresas da Universidade de Meiji, afirma que o keiretsu tradicional consistia em um acordo em que compradores faziam associações com fornecedores.

Segundo ele, um exemplo são os fabricantes de equipamentos originais, que recorriam a longos relacionamentos exclusivos com os fornecedores que, por sua vez, detinham participações acionárias das empresas.

Keiretsu x zaibatsu

Como você já sabe agora, o keiretsu é uma estrutura empresarial oriunda do Japão e que ainda é usada hoje para grandes estruturas de negócios com elevadas sinergia e integração.

Mas é importante não confundir o keiretsu com o zaibatsu, outra estrutura empresarial que tem origem no mesmo país.

Dito de forma resumida, o zaibatsu designa conglomerados empresariais industriais e financeiros que são controlados por holdings familiares.

Esses grupos tiveram ampla influência na economia japonesa desde o Período Meiji, que teve início em 1868, até o fim da Segunda Guerra Mundial.

“Por definição, os zaibatsu eram monopólios verticais de controle familiar controlados por uma holding no topo, com uma subsidiária bancária e várias subsidiárias industriais dominando setores específicos de um mercado”, afirma o doutorando em design Eduardo Araújo de Ávila, em um artigo acadêmico sobre o tema.

Como funciona o keiretsu

Nos próximos tópicos, entenda o funcionamento do keiretsu a partir de suas principais características.

Integração vertical ou horizontal

O keiretsu apresenta dois tipos de integração: vertical ou horizontal. Em um artigo acadêmico, Shoji Nishijima, doutor em economia pela Universidade de Kobe, explica a diferença entre as estruturas vertical e horizontal.

Segundo ele, a integração vertical é voltada à distribuição de produtos e é constituída de fabricantes de estruturas de montagem, subcontratantes que fornecem peças e componentes, atacadistas e varejistas que vendem produtos. Exemplos dessa estrutura, de acordo com o autor, incluem Mitsui e Mitsubishi.

Já a integração horizontal se configura um agrupamento financeiro composto de empresas em diferentes indústrias, a partir de cross-holding de ações e financiamento de um banco principal. De acordo com Nishijima, Toyota, Hitachi e Matsushita são algumas empresas fabricantes que operam a partir de integração horizontal.

Busca por competitividade

Outra característica do keiretsu é a busca pelo aumento da competitividade no mercado por meio da redução de custos e do aumento da qualidade na produção. Sendo assim, as empresas parceiras reúnem esforços para elevar os resultados alcançados no mercado por cada uma delas.

Ganho de eficiência na cadeia de suprimentos

Em um artigo para o site Investopedia, Brian Twomey, professor-adjunto da Godbold School of Business na Universidade Gardner-Webb, afirma que a redução de custos proveniente do keiretsu pode aumentar a eficiência dentro da cadeia de suprimentos. “A invenção de keiretsus para automóveis do sistema de inventário Just In Time é um excelente exemplo”, afirma o autor.

Compartilhamento de informação

Twomey também afirma que, no keiretsu, as informações são compartilhadas entre clientes, fornecedores e funcionários. “Isso leva a decisões de investimentos mais rápidas e a fornecedores, funcionários e clientes conhecendo os propósitos e objetivos desses investimentos“, diz o professor.

Keiretsu no Brasil

Como vimos, o keiretsu é um modelo empresarial de origem japonesa. Por isso, importante diferenciá-lo da companhia Keiretsu Software, criada no fim de 2019 no Brasil.

A empresa foi fundada por Pierre Schurmann, empresário que investe em negócios de tecnologia e que fundou também a Bossa Nova Investimentos.

A Keiretsu Software nasceu com capital inicial de R$ 100 milhões, com o objetivo de comprar participações em startups com produtos no modelo Software as a Service (SaaS) até 2025.

Gostou do artigo? Então assine a newsletter da Capital Research e receba, diariamente, novidades sobre investimentos.

Recomendados

Investimentos

6 dicas para ficar rico: você também pode alcançar a riqueza!

Confira uma lista com 6 dicas para ficar rico combinando economia de despesas, renda ...

2 anos atrás

Investimentos

Aprenda já a calcular juros de empréstimo

Entenda um pouco mais sobre Juros Simples e Juros Compostos e veja como realizar o ...

3 anos atrás

Investimentos

Ativo não circulante: o que é, tipos e exemplos práticos

Ativo não circulante se refere aos bens e direitos que são permanentes em uma ...

3 anos atrás