Exportações líquidas: o que são e a importância da balança comercial

Entenda o que são exportações líquidas, como são os números no Brasil e por que avaliar esse indicador em investimentos.

Exportações líquidas

Você sabe o que são exportações líquidas e qual sua importância na economia? Esse é um termo importante para o investidor que deseja explorar oportunidades em renda variável, já que ele oferece insights sobre a situação econômica do país.

E não estamos falando de um conceito complicado. Dito de forma breve, as exportações líquidas são as exportações menos as importações.

Ficou interessado sobre o assunto? Neste guia, confira o que são exportações líquidas, os números do mercado brasileiro e a importância desse conceito para seus investimentos.

O que são exportações líquidas

Exportações líquidas são o total de exportações de um país menos o valor das importações em determinado período. O cálculo é simples: basta subtrair o valor da importação do valor da exportação.

Essa diferença entre as exportações e importações é chamada de balança comercial. Então, temos a equação: exportação – importação = saldo da balança comercial.

Ao aplicar o cálculo, é possível chegar a dois resultados: superávit ou déficit nas exportações líquidas.

Quando os números relativos a exportações são maiores que as importações em determinado período, a balança tem um superávit. Em outras palavras, significa que o país vendeu mais do que comprou.

Já quando as importações superam as importações, a balança apresenta um déficit.

Exportação x importação

Antes de continuar a leitura, é válido ter ambos os conceitos em mente.

A exportação consiste nos produtos produzidos no Brasil e vendidos para o exterior. Já a importação diz respeito aos produtos produzidos no exterior e que foram comprados pelo Brasil.

Exportações líquidas do Brasil

Agora que você sabe o que são exportações líquidas, vamos analisar alguns dados para entender a balança comercial brasileira.

Confira abaixo os números alcançados nos anos de 2017, 2018 e 2019.

Exportações líquidas em 2019

Em 2019, o Brasil teve um superávit comercial de 46 bilhões de dólares, de acordo com dados do Ministério da Economia. Então, quer dizer que as exportações foram maiores do que as importações.

Apesar disso, foi o menor desempenho da balança comercial brasileira desde 2015, ano que o saldo foi de 19,5 bilhões de dólares. Os principais produtos exportados em 2019 incluem soja em grãos, petróleo bruto, minério de ferro e celulose.

Exportações líquidas em 2018

Em 2018, o Brasil também teve superávit nas exportações líquidas, contabilizando 58 bilhões de dólares. Segundo o Ministério da Saúde, soja, óleos brutos de petróleo e celulose foram produtos que bateram recorde em quantidade e valor durante o ano.

Exportações líquidas em 2017

O Brasil teve superávit em 2017 de 67 bilhões de dólares durante todo o ano. Nesse ano, foi alcançando o melhor resultado em 29 anos, desde 1989, segundo o Ministério da Economia.

Mais uma vez, minério de ferro, soja, petróleo bruto e celulose apareceram como produtos em destaque em termos de volumes exportados.

Importância das exportações líquidas e da balança comercial

As exportações líquidas são indicadores importantes para analisar o desempenho da economia de um país e compará-la em relação a outros.

De maneira geral, quando um país exporta mais do que importa, a sua economia tende a crescer. Isso inclui, na prática, reflexos como valorização da moeda, economia aquecida e aumento da capacidade de compra da população.

Como resultado, o Produto Interno Bruto (PIB) cresce na medida em que os números da balança comercial se elevam. Apesar disso, vale lembrar que o PIB também é influenciado por outros três fatores: gastos do governo, investimentos privados e consumo da população.

Considerando a relação entre os indicadores, alcançar uma balança comercial com superávit é importante para o crescimento econômico, sobretudo em países em desenvolvimento.

Por outro lado, se há um déficit nas exportações líquidas, a economia sente os impactos negativos. Essa é a dinâmica que geralmente ocorre, mas não é regra.

Em um artigo para o site Investopedia, Will Kenton, criador do Investopedia Anxiety Index, afirma que a balança comercial deve ser considerada no contexto do ciclo de negócios e de outros indicadores econômicos de um país.

“Por exemplo, em uma recessão, os países preferem exportar mais para criar empregos e demanda na economia”, diz o autor.

Já em tempos de expansão econômica, segundo Kenton, a preferência é por importar mais a fim de promover a concorrência de preços, limitando a inflação.

Mas, afinal, por que o investidor deve ficar atento às exportações líquidas? É que elas são indicadores relevantes para desvendar a situação financeira do país, a evolução econômica e as tendências para os próximos anos.

Trata-se de uma informação muito importante para o investidor que busca investir em juros longos, em moedas ou até em empresas específicas da bolsa que se beneficiam do comércio exterior.

Para fazer uma análise certeira, conte com a Capital Research. Aqui você tem acesso a uma carteira de investimentos diversificada e apoio de especialistas na área. Aproveite e assine a newsletter para ficar por dentro das notícias do universo financeiro.

Recomendados

Investimentos

Balança comercial: o que é e qual a importância para os investimentos

A balança comercial mede as importações e exportações e ainda serve como ...

2 anos atrás

Investimentos

Protecionismo alfandegário: o que é e veja exemplos atuais

Entenda como se favorece o produto nacional em detrimento da importação e o que ...

3 anos atrás

Investimentos

5 sites de notícias para acompanhar o mercado

Buscar informações atualizadas e confiáveis é fundamental para entender as ...

2 anos atrás