Contas de resultado: o que são e como analisar?

Para ficarem a par da saúde financeira da empresa em que investem, acionistas têm acesso a relatórios sobre os números da companhia, inclusive, as contas de resultado

contas de resultado

Todo investidor em ações de empresas deve saber que a eficiência da gestão financeira da companhia depende majoritariamente do controle adequado das despesas e receitas, ou seja, as contas de resultado. Além do olhar atento, é preciso acompanhar de forma histórica como estão estes valores para projetar possíveis cenários e tendências a longo prazo e que, de diversas formas, podem impactar no seu capital.

Ações, como o acompanhamento atento do fluxo de caixa, ferramenta que permite tanto ao empresário quanto ao investidor acompanharem toda a movimentação de valores da empresa, são fundamentais para a saúde de qualquer negócio uma vez que ajudam a fundamentar as tomadas de decisões e, consequentemente, manter a vida financeira do empreendimento organizada.

Tão importante quanto o fluxo de caixa é também o DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) ou contas de resultado. Aqui, o objetivo é detalhar a formação do resultado líquido de um exercício pela análise das receitas, custos e despesas da empresa.


Mas afinal, como funcionam as contas de resultados?

A definição de contas de resultado representa as receitas e as despesas de uma determinada empresa. Dessa maneira, identificam se houve lucro ou prejuízo em determinado período do exercício das funções empresariais. Estas demonstrações contábeis são obrigatórias para fins fiscais, e, também, uma importante ferramenta para análise da saúde financeira da companhia. Elas são embasadas de acordo com a Teoria Patrimonialista, modelo usualmente adotado pelas empresas brasileiras.

São classificados como receitas todos os valores ganhos decorrentes da venda de produtos ou mercadorias, ou da prestação de algum serviço. Esses valores podem ser classificados como dinheiro em caixa (no caso das vendas à vista) ou em direitos a receber (no caso das vendas a prazo). São as receitas as responsáveis por aumentar os ativos ou minimizar os passivos de uma companhia.

Já as despesas compreendem todos os gastos que não se enquadram no processo de transformação ou produção de bens e produtos. Elas estão relacionadas aos valores despendidos com a estrutura administrativa e comercial da empresa. Sendo assim, bens e serviços consumidos como água, aluguel, despesas bancárias, fretes, energia elétrica e salários, por exemplo, representam reduções no ativo de uma empresa. Elas podem ser originadas de desembolso (saída de dinheiro do caixa) ou por depreciação (desgaste de itens do ativo imobilizado).

Como analisar as contas de resultado?

As contas de resultado ou DRE são compostas por um resumo dos resultados operacionais e não operacionais da empresa em um período previamente estabelecido, e que servirá de base para as análises do empresário e dos atuais e possíveis investidores.

A sua estrutura forma uma lógica de análise por etapas, que contém o resultado bruto, o operacional e o líquido. Como exemplo resumido de DRE, temos:

Resultado de Vendas – Custos = Resultado Bruto (Lucro Bruto)

Resultado Bruto – Despesas Operacionais = Resultado ou Lucro Operacional

Resultado Operacional – Impostos = Resultado Líquido (Lucro ou Prejuízo Líquido)

Aqui estão as informações contábeis da empresa (quanto vendeu, quanto gastou, quais foram as despesas, quanto pagou de impostos e quanto sobrou no final disso tudo).

E enquanto investidor, é possível ter acesso às contas de resultados?

Empresas de capital aberto têm por objetivo angariar investidores dispostos a apostar em seus negócios. Sendo assim, divulgar certas informações se torna essencial na argumentação para os acionistas que pretendem investir em determinada empresa. 

Uma das obrigações das empresas de capital aberto, ou seja, em que o capital é formado por ações que são negociadas em bolsa de valores, é prestar contas para seus acionistas sobre o plano de negócios, o fluxo de caixa, entre outros detalhes. Só assim os acionistas saberão se o aporte financeiro está valendo a pena e quando terão o retorno desse dinheiro.

Apresentar esses números de forma adequada é crucial para manter e conquistar novos investimentos. Inicialmente, o investidor precisa conhecer o modelo de negócio, os detalhes da operação e os planos do empreendedor para o futuro. Por isso, oferecer uma apresentação que exponha todos esses detalhes de forma simples e esclarecedora é o primeiro passo em termos de conhecimento sobre a empresa.

Depois, é importante que o investidor fique atento à divulgação dos resultados. Eles podem ser apresentados trimestral, semestral ou anualmente. O intuito dessa prática é deixar todos os interessados sempre a par da saúde financeira e econômica do empreendimento.

Tudo sobre capital financeiro!

Com o intuito de democratizar o acesso a informações de qualidade para o investidor individual, a Capital Research conta com um time de analistas com anos de experiência no mercado financeiro, e que acompanha diariamente as principais notícias e ações para trazer as melhores análises e recomendações de investimentos.

Os conteúdos são desenvolvidos com o objetivo de abordar o tema utilizando uma linguagem simples e direta, e que compreenda todos os perfis de investidores, do iniciante ao mais experiente. A casa aposta em uma carteira de investimentos completa e diversificada, composta por ativos de Renda Fixa, Ações e Fundos Imobiliários.

Recomendados

Investimentos

Anbima CEA: tudo sobre a Certificação de Especialista em Investimentos

Entenda mais sobre como essa certificação pode ser importante para você e quais ...

3 anos atrás

Investimentos

BDR: Invista no exterior, sem sair do Brasil

Conheça as vantagens e desvantagens do BDR, os fundos que investem em títulos de ...

2 anos atrás

Investimentos

Capacidade produtiva: o que é e como analisar nos investimentos

A capacidade produtiva é um fator importante ao analisar uma ação da bolsa. Saiba ...

2 anos atrás