Asset management: o que é e como funciona a gestão de ativos

O asset management é a gestão inteligente dos seus ativos. Descubra agora como melhorar os resultados do seu portfólio.

O asset management consiste na gestão de ativos de um portfólio, que pode ser feita pelo próprio investidor ou por um gestor, o asset manager. A responsabilidade no asset management é comprar e vender ativos para obter a melhor rentabilidade possível em diferentes cenários, considerando o perfil de risco desejado e as especificidades do investidor. Siga com a leitura, entenda como funciona esse tipo de gestão e confira uma sugestão para levar seus investimentos a um novo patamar.

O que é asset management

Asset management, em uma tradução literal para o português, significa gestão de ativos. É um conjunto de práticas de aquisição e gerenciamento de investimentos realizado pelo investidor ou por um especialista na área, o asset manager.

O objetivo dessa atividade é gerenciar os ativos para obter a maior rentabilidade possível, o que significa compor um portfólio diversificado que se ajuste à realidade do investidor. Esses ativos podem ser, por exemplo, ações na Bolsa de Valores, títulos públicos e fundos de investimento. Sendo assim, ao contratar uma casa de asset management, o cliente delega para um terceiro a responsabilidade de comprar e vender ativos, considerando uma estratégia de investimento que leva em consideração os objetivos de curto, médio e longo prazos.

Normalmente, quem contrata serviços de asset management são clientes de alto padrão de renda, já que o custo da administração dos recursos é elevado para quem não dispõe de grandes quantias. Por isso, vale a pena entender os princípios básicos do asset management e dar os primeiros passos para compor um portfólio que gere retornos adequados ao seu perfil.

Como funciona o asset management

O asset management funciona como uma estratégia de alocação de recursos que se foca no desempenho do portfólio, e não em um ou outro ativo isoladamente. Assim, o asset manager, seja ele o investidor ou gestor profissional, fica responsável por tomar decisões referentes às aplicações financeiras, considerando tolerância ao risco, demandas de liquidez, oportunidades de mercado e principais objetivos.

No asset management, a composição do portfólio é feita para proporcionar os maiores lucros diante da realidade do investidor. Ou seja, não adianta pensar em um portfólio todo de ações se você tem necessidade de utilizar parte do caixa em curto prazo. Nesse cenário, a volatilidade da bolsa pode provocar oscilações prejudiciais à sua performance em caso de resgates antecipados ou sem planejamento.

Normalmente, o portfólio é dividido em classes de ativos, com um percentual em renda fixa, um em renda variável e um em proteções. Na renda fixa, por exemplo, podem entrar títulos do Tesouro Direto, CDBs (Certificados de Depósitos Bancários) e LCAs/LCIs (Letras de Crédito do Agronegócio e Letras de Crédito Imobiliárias). Na renda variável, pode haver ações, derivativos estratégicos (commodities, por exemplo), fundos multimercado, fundos de ações e fundos imobiliários. Nas proteções, muitos gestores adotam o dólar e o ouro, que servem de “hedge” de diferentes formas e em diferentes cenários.

Asset management x wealth management

Se você ainda quer começar a investir, é provável que já tenha se deparado com estes três termos ao buscar por apoio especializado: asset management, wealth management e corretor. Mas eles significam serviços distintos. Para acabar com a confusão, explicamos as características de cada um deles abaixo:

Asset management

Conforme você aprendeu antes, o asset management é o serviço de gestão de ativos financeiros. O asset manager fica responsável, portanto, pela manutenção dos investimentos do cliente e pela tomada de decisão, de modo a otimizar os resultados das aplicações financeiras.

Wealth management

Wealth management, em português, significa gestão da riqueza, ou gestão patrimonial. Nesse caso, o serviço prestado é uma gestão mais ampla do patrimônio de pessoas e empresas, garantindo que os bens, direitos e obrigações do cliente sejam administrados. O objetivo, nesse caso, é proteger e otimizar as riquezas.

Assim como o asset management, o wealth management também inclui a gestão de ativos. Mas ele vai além disso, pois engloba as finanças do cliente como um todo, agregando, por exemplo, impostos, planejamento de aposentadoria, fluxo de caixa, dívidas e transmissão patrimonial. Geralmente esse tipo de serviço é contratado por clientes com alta renda, como empresários e herdeiros com grande patrimônio.

Capital research ajuda no asset management

A Capital Research pode ser sua parceira no asset management. Ao assinar um plano, você tem acesso a conteúdos exclusivos sobre investimentos e a relatórios. São duas modalidades: uma grátis e uma premium.

Com o plano premium, você tem acesso a uma carteira de investimentos completa que tem como objetivo a acumulação de capital no longo prazo. É possível criar a sua carteira a partir de ativos de renda fixa, ações e fundos imobiliários. Os investimentos são definidos conforme os seus objetivos financeiros, e um time de especialistas acompanha o mercado diariamente para dar todo o apoio necessário. Tudo isso de uma forma simples, sem uso do temido “economês”. Gostou da ideia? Assine e comece a investir agora mesmo.

Recomendados

Investimentos

Debêntures: confira aqui o que é e como investir

Aprenda o que são debentures, os tipos, rendimentos e como ...

3 anos atrás

Investimentos

Day trade: como funciona na prática (e dá dinheiro?)

Tire suas dúvidas sobre day trade, como funciona esse tipo de investimento na bolsa ...

3 anos atrás

Investimentos

Fusões e Aquisições: como o processo de M&A influencia nos investimentos

Fusões e aquisições, ou (M&A), são acontecimentos comuns no mercado financeiro. ...

3 anos atrás